Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Dezembro de 2013

Um falso amigo

Um falso amigo

 Um falso amigo

Você tem um “amigo” que conheceu quando era jovem. Ele fazia você se sentir mais maduro e parecia ajudá-lo a ser aceito pelos colegas. Quando você ficava estressado, sempre podia encontrar certa medida de “alívio” com ele. De fato, você passou a depender dele em muitas situações.

Mas, com o tempo, você descobriu o lado sombrio desse amigo. Ele exige sua companhia o tempo todo e, por causa dele, você não é bem-vindo em alguns lugares. E, embora ele talvez tenha feito você se sentir mais maduro, isso se deu à custa de sua saúde. Para completar, ele rouba parte do seu salário.

Ultimamente, você tentou várias vezes acabar com essa amizade, mas ele não deixou. De certa forma, você se tornou escravo dele. Você gostaria de nunca tê-lo conhecido.

ASSIM é o relacionamento de muitos fumantes com o cigarro. Depois de 50 anos fumando, uma mulher chamada Earline recorda: “A companhia do cigarro era melhor do que a de uma pessoa. Ele era mais do que apenas um velho amigo — às vezes, era meu único amigo.” Mas depois Earline se deu conta de que o cigarro é, na realidade, um amigo falso e cruel. De fato, a descrição no início do artigo bem que poderia ser sobre ela — com uma exceção. Earline largou o cigarro depois de aprender que fumar é errado do ponto de vista de Deus, porque polui o corpo que ele criou. — 2 Coríntios 7:1.

Um homem chamado Frank também decidiu parar de fumar a fim de agradar a Deus. Mas cerca de um dia depois de fumar o último cigarro, ele se viu rastejando debaixo da casa procurando pontas de cigarro que haviam caído pelas frestas do piso de madeira. “Isso foi a gota d’água”, disse Frank. “Quando me vi de quatro, vasculhando a sujeira em busca de pontas de cigarro, fiquei horrorizado. Nunca mais coloquei um cigarro na boca.”

Por que o tabaco tem tanto poder assim? Pesquisadores descobriram vários motivos: (1) Produtos à base de tabaco podem ser tão viciadores quanto drogas ilícitas. (2) A nicotina inalada pode chegar ao cérebro em apenas sete segundos. (3) Fumar costuma ser importante para a pessoa por estar associado a comer, beber, conversar, aliviar o estresse e assim por diante.

Mas, como os casos de Earline e de Frank mostram, é possível abandonar esse vício prejudicial. Se você fuma e quer parar, os artigos a seguir podem ajudá-lo a começar uma nova vida.