Pular para conteúdo

Pular para sumário

Prepare-se para os obstáculos

Prepare-se para os obstáculos

 Prepare-se para os obstáculos

“Resolvi parar de fumar por causa da saúde do meu filho recém-nascido. Então coloquei em casa um aviso ‘Proibido Fumar’. Apenas uma hora depois, a vontade de fumar tomou conta de mim como um ‘tsunami’ e acabei acendendo um cigarro.” — Yoshimitsu, Japão.

COMO o caso de Yoshimitsu mostra, parar de fumar tem seus obstáculos. Além disso, pesquisas indicam que quase 90% das pessoas que têm uma recaída durante o processo retomam o hábito de fumar. Assim, se você está tentando largar o vício, as chances de ser bem-sucedido são maiores se estiver preparado para os obstáculos. Quais são os mais comuns?

Desejo desesperado por nicotina: Esse desejo costuma atingir a intensidade máxima no período de três dias após o último cigarro e diminui depois de duas semanas. Durante esse tempo, “o desejo vem em intervalos; não é algo constante”, diz um ex-fumante. Mesmo anos depois, porém, você talvez sinta uma vontade repentina de fumar. Se isso acontecer, não tome nenhuma ação precipitada. Espere uns cinco minutos, e o desejo deve passar.

Outros sintomas de abstinência: No começo, as pessoas acham mais difícil ficar acordadas ou se concentrar e pode ser que ganhem peso com mais facilidade. Outros possíveis sintomas são: dores, coceira, suor intenso e tosse, além de mudanças de humor evidenciadas por impaciência, propensão à raiva ou até depressão. A maioria desses sintomas diminui dentro de quatro a seis semanas.

Nessa fase crítica, há algumas coisas que você pode fazer para ajudar. Por exemplo:

● Reserve mais tempo para dormir.

● Beba bastante água ou suco. Coma alimentos saudáveis.

● Faça exercícios com moderação.

● Respire fundo e imagine ar puro enchendo seus pulmões.

Fatores desencadeantes: Trata-se de atividades e sentimentos que podem desencadear um forte desejo de fumar. Por exemplo, se você bebia algo enquanto fumava, tente tomar aquela bebida mais depressa. É claro que com o tempo você poderá apreciar sua bebida com mais calma.

Em vista do que foi dito, conexões psicológicas podem perdurar muito tempo depois de seu corpo estar livre da nicotina. Torben, já mencionado, admite: “Eu ainda tenho vontade de fumar durante o intervalo do café, apesar de ter largado o cigarro há 19 anos.” Mas, via de regra, a relação do cigarro com atividades específicas enfraquecerá com o tempo.

A situação é diferente quando o cigarro está associado a bebidas alcoólicas. De fato, no período em que estiver parando de fumar, você talvez precise se abster de álcool e evitar lugares onde essas bebidas são servidas, pois uma alta porcentagem de recaídas ocorre enquanto a pessoa está bebendo. Por que isso acontece?

● Poucas doses de álcool bastam para aumentar o prazer causado pela nicotina.

● Em geral, há uma forte relação entre beber socialmente e fumar.

● O álcool afeta o bom-senso e deixa a pessoa mais desinibida. A Bíblia tem razão quando diz que o vinho ‘faz perder o juízo’. — Oseias 4:11, Bíblia na Linguagem de Hoje.

Amizades: Seja seletivo. Por exemplo, evite a companhia desnecessária de pessoas que fumam ou que podem lhe oferecer um cigarro. Além disso, fique longe de pessoas que talvez zombem de você, atrapalhando seus esforços de parar de fumar.

Emoções: Numa pesquisa, quase dois terços das pessoas que tiveram uma recaída estavam estressadas ou com raiva um pouco antes da recaída. Se determinado sentimento desencadeia a vontade de fumar, distraia-se, por exemplo, bebendo água, mascando chiclete ou fazendo uma caminhada. Tente encher a mente com pensamentos positivos, talvez orando a Deus ou lendo alguns trechos da Bíblia. — Salmo 19:14.

Evite dar desculpas

● Uma tragada não vai fazer mal.

Fato: Apenas uma tragada pode satisfazer até 50% de certos receptores de nicotina do cérebro por três horas. O resultado costuma ser uma recaída completa.

● Fumar me ajuda a lidar com o estresse.

Fato: Pesquisas mostram que a nicotina na verdade aumenta os níveis dos hormônios do estresse. Qualquer aparente alívio do estresse pode ser em grande parte resultado da ausência temporária dos sintomas de abstinência.

● Já fumo há muitos anos.

Fato: O pessimismo enfraquece a determinação. A Bíblia diz: “Mostraste-te desanimado no dia da aflição? Teu poder será escasso.” (Provérbios 24:10) Assim, evite uma atitude derrotista. A pessoa que realmente quer parar e coloca em prática princípios úteis, como os mencionados nesta revista, pode ser bem-sucedida.

● Eu não vou aguentar os sintomas de abstinência.

Fato: É verdade que os sintomas de abstinência são fortes, mas eles diminuirão de intensidade em poucas semanas. Então, não desista! Se der vontade de fumar meses ou anos depois, isso vai passar, provavelmente em apenas poucos minutos — desde que você não acenda um cigarro.

● Tenho um distúrbio mental.

Fato: Se estiver tratando um distúrbio mental, como depressão ou esquizofrenia, peça a ajuda de seu médico para parar de fumar. Ele talvez esteja mais do que disposto a dar essa ajuda. Pode ser que faça mudanças no tratamento para compensar o impacto que sua decisão pode ter em sua doença ou nos remédios que você está tomando.

● Se eu tiver uma recaída, vou achar que sou um fracasso.

Fato: Se você tiver uma recaída — como acontece com muitas pessoas que tentam parar de fumar —, sua situação não está perdida. Simplesmente se levante e continue em frente. Uma recaída não significa um fracasso. Desistir é que é um fracasso. Então, não desista. Com o tempo, você vai conseguir!

Veja o caso de Romualdo, que fumou por 26 anos e parou há mais de 30 anos. “Perdi a conta de minhas recaídas”, escreveu ele. “Em cada uma delas, eu me senti péssimo, como se fosse um caso perdido. Mas, depois que fiquei bem determinado a ter uma boa relação com Jeová Deus e orei várias vezes pedindo sua ajuda, finalmente consegui parar de vez.”

No último artigo desta série, analisaremos mais algumas sugestões práticas que podem ajudar você a ser um ex-fumante feliz.

[Quadro/Foto na página 7]

MORTAL EM TODAS AS FORMAS

O tabaco é usado de muitas maneiras. Alguns produtos à base de tabaco são até mesmo vendidos em lojas de produtos naturais e fitoterápicos. No entanto, “todas as formas de tabaco são mortais”, disse a Organização Mundial da Saúde. Um grande número de doenças relacionadas ao tabaco, como o câncer e as doenças cardiovasculares, pode resultar em morte. Mulheres que fumam durante a gestação podem prejudicar o feto. De que formas os produtos à base de tabaco costumam ser usados?

Bidis: Esses pequenos cigarros enrolados à mão são comuns em países asiáticos. Eles liberam muito mais alcatrão, nicotina e monóxido de carbono do que o cigarro convencional.

Charutos: São rolos de folhas de tabaco envolvidos numa folha inteiriça dessa erva. O tabaco dos charutos, que é levemente alcalino em comparação ao tabaco acidífero dos cigarros, permite que a nicotina seja absorvida pela boca, mesmo que o charuto esteja apagado.

Cigarros de cravo ou kreteks: Normalmente, esse tipo de cigarro contém cerca de 60% de tabaco e 40% de cravo-da-índia. Ele libera mais alcatrão, nicotina e monóxido de carbono do que o cigarro convencional.

Cachimbos: Fumar cachimbo não é uma alternativa segura, porque pode causar muitos dos mesmos tipos de câncer e outras doenças que o cigarro causa.

Tabaco sem fumaça: Inclui fumo de mascar, rapé e gutkha (produto aromatizado usado no Sudeste Asiático). A nicotina absorvida entra na corrente sanguínea pela boca. O uso do tabaco sem fumaça apresenta exatamente os mesmos riscos que os outros usos do tabaco.

Cachimbos d’água (narguilés, shishas, hookahs): Com esses equipamentos, a fumaça do tabaco passa pela água antes de ser inalada. Mas o processo não reduz a quantidade de toxinas, incluindo agentes cancerígenos, que entram nos pulmões.

[Quadro/Foto na página 8]

COMO AJUDAR ALGUÉM A PARAR DE FUMAR

● Seja positivo. Elogios e recompensas funcionam melhor do que reclamações e sermões. “Acho que você consegue se tentar de novo” tem mais poder do que “Você falhou outra vez!”.

● Seja perdoador. Quando alguém está tentando parar de fumar, talvez desconte sua raiva ou frustração em você. Faça todo o possível para não levar isso em conta. Use expressões bondosas, como: “Sei que é difícil, mas tenho muito orgulho de você por estar tentando.” Nunca diga: “Eu gostava mais de você quando você fumava!”

● Seja um verdadeiro amigo. A Bíblia diz: “O verdadeiro companheiro está amando todo o tempo e é um irmão nascido para quando há aflição.” (Provérbios 17:17) Procure ser paciente e amoroso “todo o tempo” com a pessoa que está tentando parar de fumar — não importa a hora do dia nem o humor dela.