Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Outubro de 2013

Soluções para queixas comuns

Soluções para queixas comuns

 Soluções para queixas comuns

A BÍBLIA não diz que o casamento é fácil. O apóstolo Paulo escreveu sob inspiração divina que os casados teriam de lidar com os “problemas de cada dia”. (1 Coríntios 7:28, Bíblia na Linguagem de Hoje) Mas um casal pode fazer muito para diminuir seus problemas e aumentar a alegria um do outro. Considere a seguir seis queixas comuns de maridos e esposas, e veja como a aplicação de princípios bíblicos pode ajudar.

1

QUEIXA:

“Nós estamos nos distanciando um do outro.”

PRINCÍPIO BÍBLICO:

“Que vos certifiqueis das coisas mais importantes.” — FILIPENSES 1:10.

Seu casamento é uma das coisas mais importantes de sua vida e, por isso, deve ser uma prioridade. Assim, verifique se seus compromissos são parte do problema. Não permita que suas obrigações diárias façam com que você e seu cônjuge levem vidas separadas. É claro que o trabalho e outras situações inevitáveis podem privá-los temporariamente da companhia um do outro. Mas você pode e deve colocar limites em qualquer coisa que esteja sob o seu controle — como, por exemplo, o tempo gasto com hobbies ou amigos.

No entanto, alguém talvez se envolva com trabalho extra ou hobbies só para não ter de passar tempo com o cônjuge. Pessoas assim não estão ‘se distanciando’; estão fugindo dos problemas. Se isso está acontecendo com você ou com seu cônjuge, é preciso identificar o que está por trás do problema e lidar com ele. Somente por compartilhar a vida é que vocês dois podem se aproximar um do outro e “tornar-se uma só carne” no pleno sentido. — Gênesis 2:24.

Como alguns aplicam esse conselho: Andrew * e Tanji, da Austrália, estão casados há dez anos. Andrew diz: “Percebi que trabalhar demais e assumir muitos compromissos sociais pode colocar o casamento em risco. Assim, eu e minha esposa reservamos tempo para conversar e falar sobre nossos sentimentos.”

Dave e Jane, que moram nos Estados Unidos e estão casados há 22 anos, dedicam meia hora toda noite depois do jantar para conversar sobre o dia e sobre seus sentimentos. Jane diz: “Esses momentos são tão importantes que não deixamos que nada interfira.”

2

QUEIXA:

“Não estou recebendo mais o que quero desse relacionamento.”

PRINCÍPIO BÍBLICO:

“Que cada um persista em buscar, não a sua própria vantagem, mas a da outra pessoa.” — 1 CORÍNTIOS 10:24.

A pessoa que se concentra principalmente no que pode receber do casamento nunca será feliz de verdade, mesmo que se case várias vezes. O casamento dá certo quando cada cônjuge se preocupa mais em dar do que em receber. Jesus explicou o motivo: “Há mais felicidade em dar do que há em receber.” — Atos 20:35.

Como alguns aplicam esse conselho: Maria e Martin, que moram no México, estão casados há 39 anos. Mas seu casamento nem sempre foi um mar de rosas. Eles se lembram de uma ocasião bem difícil. Maria recorda: “No meio de uma discussão, eu disse algo muito desrespeitoso para Martin. Ele ficou furioso. Tentei explicar que não era aquilo que eu queria dizer, que só estava chateada. Mas ele não quis ouvir.” Martin diz: “Durante aquela discussão, comecei a achar que não dava mais para vivermos juntos, que eu devia desistir de tentar fazer o casamento dar certo.”

Martin precisava ser respeitado. Maria queria compreensão. Nenhum deles estava conseguindo o que queria.

Como eles resolveram o problema? “Dei um tempo para me acalmar”, diz Martin, “depois nós dois decidimos aplicar os conselhos sábios da Bíblia sobre mostrar respeito e bondade. Ao longo dos anos, aprendemos que não importa quantos problemas surjam podemos superá-los se orarmos pedindo a ajuda de Deus e aplicarmos os conselhos da Bíblia”. — Isaías 48:17, 18; Efésios 4:31, 32.

3

QUEIXA:

“Meu cônjuge não se esforça para que nosso casamento dê certo.”

PRINCÍPIO BÍBLICO:

“Cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.” — ROMANOS 14:12.

Sem dúvida, o casal não será plenamente feliz se apenas um dos cônjuges fizer a sua parte. Mas a situação será pior se os dois forem negligentes, colocando a culpa um no outro.

Se você ficar pensando no que seu cônjuge deveria fazer, nunca será feliz, especialmente se usar as falhas dele como desculpa para fugir de suas próprias responsabilidades. Por outro lado, se você se esforçar para ser um bom marido ou uma boa esposa, é provável que seu casamento melhore. (1 Pedro 3:1-3) Ainda mais importante, você mostrará a Deus que honra a instituição do casamento, e suas ações o alegrarão muito. — 1 Pedro 2:19.

Como alguns aplicam esse conselho: Kim e seu marido, que moram na Coreia, estão casados há 38 anos. Kim diz: “Às vezes meu marido fica chateado comigo e para de falar comigo, e eu nem sei por quê. Isso me faz sentir que o seu amor por mim esfriou. Às vezes me pergunto: ‘Como ele quer que eu o entenda se ele não procura me entender?’”

Kim poderia se concentrar naquela situação injusta e no que seu marido não faz. Mas ela prefere agir de outra forma. Ela diz: “Em vez de ficar chateada, aprendi que é melhor tomar a iniciativa de fazer as pazes. No final, conseguimos nos acalmar e resolvemos o assunto em paz.” — Tiago 3:18.

4

QUEIXA:

“Minha esposa não é submissa.”

PRINCÍPIO BÍBLICO:

“A cabeça de todo homem é o Cristo.” — 1 CORÍNTIOS 11:3.

O marido que acha que sua esposa não é submissa deveria primeiro ver se ele está disposto a ser submisso ao seu Cabeça, Jesus Cristo. O marido pode demonstrar sua submissão por seguir o exemplo de Jesus.

O apóstolo Paulo escreveu: “Maridos, continuai a amar as vossas esposas, assim como também o Cristo amou a congregação e se entregou por ela.” (Efésios 5:25) Jesus não ‘dominava’ seus discípulos. (Marcos 10:42-44) Ele dava aos seus seguidores orientações claras e os corrigia quando necessário. Mas nunca era duro com eles. Tratava-os com bondade e levava em conta suas limitações. (Mateus 11:29, 30; Marcos 6:30, 31; 14:37, 38) Ele sempre colocava os interesses deles à frente dos seus. — Mateus 20:25-28.

O marido precisa se perguntar: ‘Será que o modo como encaro a chefia e as mulheres em geral é influenciado mais pelos costumes locais do que pelos conselhos e exemplos da Bíblia?’ O que você pensaria, por exemplo, de uma mulher que, de maneira firme, mas respeitosa, discordasse de seu marido e expressasse uma opinião diferente? Na Bíblia, Sara, esposa de Abraão, é considerada um modelo de esposa submissa. (1 Pedro 3:1, 6) No entanto, ela falava o que pensava quando necessário, como na ocasião em que Abraão despercebeu alguns perigos que ameaçavam sua família. — Gênesis 16:5; 21:9-12.

Fica claro que Abraão não intimidava Sara, fazendo com que ela tivesse medo de se expressar. Ele não era um tirano. Da mesma maneira, o marido que segue os conselhos da Bíblia não intimida sua esposa, exigindo que ela se sujeite a todos os seus caprichos. Ele conquistará o respeito dela por exercer a chefia de forma bondosa.

Como alguns aplicam esse conselho: James, que mora na Inglaterra e é casado há oito anos, diz: “Estou aprendendo a não tomar decisões importantes sem consultar minha esposa. Tento não pensar só em mim. Procuro colocar as necessidades dela à frente das minhas.”

George mora nos Estados Unidos e é casado há 59 anos. Ele diz: “Sempre procurei tratar minha esposa como uma companheira inteligente e capaz, não como alguém inferior.” — Provérbios 31:10.

5

QUEIXA:

“Meu marido não tem iniciativa.”

PRINCÍPIO BÍBLICO:

“A mulher realmente sábia edificou a sua casa, mas a tola a derruba com as suas próprias mãos.” — PROVÉRBIOS 14:1.

Se o seu marido hesita em tomar decisões ou em tomar a dianteira em cuidar dos assuntos da família, você tem três opções: (1) Apontar sempre as falhas dele, (2) tomar o lugar dele como cabeça da família ou (3) elogiá-lo sinceramente por qualquer esforço que ele faça. Se escolher qualquer uma das duas primeiras opções, você derrubará sua casa com as próprias mãos. Se escolher a terceira, vai edificar, ou fortalecer, seu casamento.

Para muitos homens, o respeito é até mais importante do que o amor. Assim, se você fizer seu marido se sentir respeitado, ou seja, que os esforços dele de tomar a dianteira na família são eficazes e apreciados, ele provavelmente cumprirá melhor seu papel. É claro que de vez em quando você discordará de seu marido. Quando isso acontecer, os dois precisarão conversar sobre o assunto. (Provérbios 18:13) Mas as palavras e o tom de voz que você usar ajudarão a derrubar ou a edificar seu casamento. (Provérbios 21:9; 27:15) Se falar de modo respeitoso, é mais provável que consiga alcançar o resultado que deseja — um marido que não hesita em tomar a dianteira.

Como alguns aplicam esse conselho: Michele, que mora nos Estados Unidos e é casada há 30 anos, diz: “Visto que minha mãe criou as filhas sem o apoio de um marido, ela era uma mulher com personalidade forte e independente. Minha tendência é ser assim também. Por isso, sempre tenho de me esforçar para mostrar a submissão correta. Por exemplo, aprendi a consultar meu marido em vez de simplesmente tomar minhas próprias decisões.”

Rachel, que mora na Austrália e está casada há 21 anos com Mark, também foi influenciada por sua criação. “Minha mãe nunca foi submissa a meu pai”, lembra-se ela. “Eles brigavam muito e não se respeitavam. Nos primeiros anos de meu casamento, eu agia como minha mãe. Mas, com o tempo, aprendi o valor de aplicar os conselhos da Bíblia sobre mostrar respeito. Hoje eu e Mark somos um casal muito mais feliz.”

6

QUEIXA:

“Não aguento mais! Meu cônjuge me irrita muito.”

PRINCÍPIO BÍBLICO:

“Continuai a suportar-vos uns aos outros e a perdoar-vos uns aos outros liberalmente, se alguém tiver razão para queixa contra outro.” — COLOSSENSES 3:13.

Durante o namoro, provavelmente você se concentrava tanto nas boas qualidades de seu prospectivo cônjuge que quase não notava suas falhas. E hoje, consegue fazer o mesmo? Sem dúvida seu cônjuge lhe dá motivos reais para queixa. No entanto, pergunte-se: ‘Vou me concentrar em quê? Nas qualidades ou nos defeitos dele?’

Jesus usou uma ilustração marcante para mostrar a necessidade de desconsiderar as falhas de outros. Ele perguntou: “Por que olhas para o argueiro no olho do teu irmão, mas não tomas em consideração a trave no teu próprio olho?” (Mateus 7:3) Um argueiro pode ser um mero cisco. Por outro lado, uma trave é uma viga comprida usada para segurar o telhado de uma casa. Daí ele concluiu: “Tira primeiro a trave do teu próprio olho, e depois verás claramente como tirar o argueiro do olho do teu irmão.” — Mateus 7:5.

Jesus iniciou essa ilustração de uma forma que dá o que pensar. Ele disse: “Parai de julgar, para que não sejais julgados; pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados.” (Mateus 7:1, 2) Se você quer que Deus desconsidere suas falhas — a trave no seu olho — é bom que você também desconsidere as falhas de seu cônjuge. — Mateus 6:14, 15.

Como alguns aplicam esse conselho: Jenny, que mora na Inglaterra e está casada há nove anos, diz: “O que mais me irrita no meu marido é sua tendência de não planejar, de deixar as coisas para o último minuto, o que é até irônico porque quando namorávamos eu gostava desse seu jeito espontâneo. Mas reconheço que também tenho falhas como, por exemplo, dizer aos outros o que eles têm de fazer. Eu e Simon estamos aprendendo a não levar em conta as pequenas imperfeições um do outro.”

Curt, marido de Michele, já mencionada, diz: “Se você se concentrar nas características irritantes de seu cônjuge, elas vão parecer cada vez maiores. Prefiro me concentrar nas qualidades que fizeram com que eu me apaixonasse por Michele.”

O segredo do sucesso

Esses poucos exemplos mostram que os desafios no casamento são inevitáveis, mas não insuperáveis. Qual o segredo do sucesso? Desenvolver amor por Deus e disposição de aplicar os conselhos de sua Palavra, a Bíblia.

Alex e Itohan, que moram na Nigéria e são casados há mais de 20 anos, aprenderam esse segredo. Alex diz: “Descobri que praticamente qualquer problema no casamento pode ser resolvido se o casal aplicar os princípios bíblicos.” Sua esposa diz: “Aprendemos a importância de sempre orar juntos e de aplicar os conselhos da Bíblia de ser amorosos e pacientes um com o outro. Hoje temos muito menos problemas do que quando nos casamos.”

Gostaria de aprender mais sobre como os conselhos práticos da Palavra de Deus podem beneficiar sua família? Em caso afirmativo, peça a uma Testemunha de Jeová que considere com você o capítulo 14 do livro O Que a Bíblia Realmente Ensina? *

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 10 Alguns nomes foram mudados.

^ parágrafo 63 Publicado pelas Testemunhas de Jeová.

[Foto na página 4]

Reservamos tempo um para o outro?

[Foto na página 5]

Procuro dar mais do que receber?

[Foto na página 6]

Tomo a iniciativa de resolver os problemas?

[Foto na página 7]

Levo em conta a opinião de minha esposa antes de tomar decisões?

[Foto na página 9]

Será que me concentro nas boas qualidades de meu cônjuge?