Pular para conteúdo

Pular para sumário

“Por favor, deixa-nos voltar para casa”

“Por favor, deixa-nos voltar para casa”

 Achegue-se a Deus

“Por favor, deixa-nos voltar para casa”

Você serviu a Jeová no passado? Já pensou em voltar a servi-lo, mas acha que ele talvez não o aceite de volta? Leia com atenção este artigo e o próximo. Eles foram preparados especialmente para você.

“EU OREI a Jeová pedindo que me deixasse voltar para ele e que me perdoasse por tê-lo magoado.” Assim se expressou uma mulher que foi criada como cristã, mas que se desviou totalmente de sua fé. Você se sente como ela? Já se perguntou o que Deus acha dos que deixaram de servi-lo? Ele se lembra deles? Deseja que voltem a servi-lo? Para responder a essas perguntas, vamos examinar algumas das palavras registradas por Jeremias. Com certeza, as respostas vão acalentar seu coração. — Leia Jeremias 31:18-20.

Considere o fundo histórico dessas palavras. Em 740 AEC, décadas antes dos dias de Jeremias, Jeová deixou que o reino de dez tribos de Israel fosse levado cativo pelos assírios. * Deus permitiu essa calamidade porque seu povo havia se envolvido em graves pecados, ignorando os repetidos avisos dos profetas. (2 Reis 17:5-18) Será que eles mudaram de atitude em vista das dificuldades que passaram no exílio, separados de seu Deus e bem longe de sua terra? Jeová havia se esquecido completamente deles? Será que algum dia os aceitaria de volta?

“Senti lástima”

No cativeiro, o povo recuperou o bom-senso e se arrependeu. Sua demonstração de tristeza não passou despercebida a Jeová. Veja como ele descreveu a atitude e os sentimentos dos israelitas exilados, mencionados coletivamente como Efraim.

“Ouvi positivamente Efraim lastimar-se”, disse Jeová. (Versículo 18) Ele ouviu os israelitas lamentarem as consequências de seu proceder pecaminoso. “Lastimar-se” no hebraico original pode ter o sentido de “agitar ou balançar”, disse uma erudita. Eles eram como um filho rebelde que abandonou o lar e, num gesto de lamento, balança a cabeça enquanto reflete nas dificuldades em que se meteu e anseia voltar para casa. (Lucas 15:11-17) O que o povo de Israel dizia?

“Corrigiste-me . . . como o bezerro que não foi treinado.” (Versículo 18) O povo reconhecia que havia merecido a disciplina. Afinal, tinham se comportado como um bezerro indomado. Essa comparação pode significar que eles haviam agido como um boi que nunca teria “sentido a aguilhada se não tivesse se rebelado contra o jugo”, diz uma obra de referência.

“Faze-me voltar e eu voltarei prontamente, porque tu és Jeová, meu Deus.” (Versículo 18) Com humildade de coração, o povo clamava a Deus. Eles tinham se perdido num proceder pecaminoso, mas agora pediam ajuda para achar o caminho de volta ao favor de Deus. Outra tradução da Bíblia diz: “Tu és nosso Deus; por favor, deixa-nos voltar para casa.” — Contemporary English Version.

“Senti lástima. . . . Fiquei envergonhado e senti-me também humilhado.” (Versículo 19) O povo lamentou ter pecado. Admitiu seu erro e assumiu sua culpa. Como que batendo no peito, eles se sentiam indignos e rebaixados. — Lucas 15:18, 19, 21.

Os israelitas se arrependeram. Sentiram profundo remorso, confessaram seus pecados a Deus e abandonaram seus maus caminhos. Será que esse arrependimento abrandaria o coração de Deus? Será que ele os aceitaria de volta?

“Decididamente terei piedade dele”

Jeová tinha uma ligação especial com os israelitas. Ele disse: “Eu me tornei Pai para Israel; e quanto a Efraim, ele é meu primogênito.” (Jeremias 31:9) Um pai amoroso jamais se recusaria a receber de volta um filho arrependido de coração. Veja como Jeová expressou seus sentimentos paternos por seu povo.

“É Efraim para mim um filho precioso ou um menino tratado com mimo? Pois, ao ponto de eu falar contra ele, sem falta me lembrarei dele ainda mais.” (Versículo 20) Veja o carinho de Jeová nessas palavras! Como um pai firme, mas amoroso, Deus tinha sido obrigado a falar “contra” seus filhos, alertando-os repetidas vezes sobre sua conduta pecaminosa. Quando obstinadamente se recusaram a escutar, ele permitiu que fossem levados ao exílio — como que os expulsando de casa. Mas, embora precisasse puni-los, Deus não se esqueceu deles. Ele nunca faria isso. Um pai amoroso não se esquece de seus filhos. Então, como Jeová se sentiu quando viu o arrependimento sincero de seus filhos?

“Minhas entranhas ficaram turbulentas por ele. * Decididamente terei piedade dele.” (Versículo 20) Jeová tinha um sentimento muito forte por seus filhos. Ficou comovido com o arrependimento sincero deles e queria muito que voltassem para ele. Assim como o pai da parábola de Jesus sobre o filho pródigo, Jeová “teve pena” e ansiava receber seus filhos de volta. — Lucas 15:20.

‘Jeová me aceitou de volta!’

As palavras em Jeremias 31:18-20 nos ajudam a entender melhor a compaixão e a misericórdia de Jeová. Ele não se esquece daqueles que já o serviram. E como reage quando essas pessoas desejam voltar para ele? Deus está “pronto a perdoar”. (Salmo 86:5) Ele nunca rejeitará os que se aproximam dele com arrependimento sincero. (Salmo 51:17) Pelo contrário, fica feliz de recebê-los de volta. — Lucas 15:22-24.

A mulher mencionada no início deste artigo tomou a iniciativa de voltar para Jeová e procurou uma congregação das Testemunhas de Jeová. A princípio, teve de superar seus próprios sentimentos negativos. “Eu me sentia tão indigna”, lembra-se ela. Mas os anciãos lhe deram encorajamento e ajuda para recuperar a força espiritual. Com o coração cheio de gratidão, ela diz: “Foi maravilhoso Jeová ter me aceitado de volta!”

Se você já serviu a Jeová e está pensando em voltar a servi-lo, por que não procura uma congregação das Testemunhas de Jeová? Lembre-se que Jeová mostra compaixão e misericórdia quando alguém que se arrepende lhe diz: ‘Por favor, me deixe voltar para casa!’

Sugestão de leitura da Bíblia para abril:

Jeremias 17-31

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 5 Séculos antes, em 997 AEC, os israelitas tinham sido divididos em dois reinos. Um era o reino de Judá, ao sul, composto de duas tribos. O outro era o reino de Israel, ao norte, formado por dez tribos e também chamado de Efraim, por causa de sua tribo mais destacada.

^ parágrafo 16 Comentando essa figura de linguagem sobre entranhas turbulentas, um guia para tradutores da Bíblia diz: “Para os judeus, a parte interna do corpo era o centro das emoções.”