Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Setembro de 2013

Você foi transformado?

Você foi transformado?

“Sede transformados por reformardes a vossa mente.” — ROM. 12:2.

1, 2. Como nossa criação e o ambiente em que vivemos nos influenciam?

NOSSA criação e o ambiente em que vivemos têm muita influência sobre nós. Isso pode ser observado em nosso modo de nos vestir, nossa preferência por certos alimentos e nosso comportamento.

2 Existem coisas na vida, porém, que são muito mais importantes do que nossa escolha de roupas e alimentos. Por exemplo, fomos ensinados desde crianças a encarar algumas coisas como certas e aceitáveis e outras como erradas e inaceitáveis. Muitas delas são assunto pessoal e variam de pessoa para pessoa. Nossas escolhas podem até refletir avisos de nossa consciência. A Bíblia reconhece que muitas vezes “pessoas das nações, que não têm lei, fazem por natureza as coisas da lei”. (Rom. 2:14) Mas e quando não há uma lei específica de Deus sobre algo? Será que podemos simplesmente seguir os padrões e normas de conduta que aprendemos desde a infância ou que são comuns onde moramos?

3. Quais são dois motivos para simplesmente não seguirmos os padrões e normas de conduta da maioria das pessoas?

3 Existem pelo menos dois motivos importantes para os cristãos não pensarem assim. Primeiro, a Bíblia nos lembra: “Há um caminho que é reto diante do homem, mas o fim posterior dele são os caminhos da morte.” (Pro. 16:25) Por sermos humanos imperfeitos, não temos capacidade de guiar nossos passos com perfeição. (Pro. 28:26; Jer. 10:23) Segundo, a Bíblia mostra que as tendências e padrões do mundo são manipulados pelo próprio Satanás, “o deus deste sistema de coisas”. (2 Cor. 4:4; 1 João 5:19) Por isso, se queremos ter as bênçãos e a aprovação de Jeová, precisamos acatar a advertência em Romanos 12:2. — Leia.

4. O que analisaremos neste artigo?

4 Vários pontos importantes em Romanos 12:2 merecem nossa atenção. (1) Por que precisamos ser “transformados”? (2) O que está envolvido nessa transformação? (3) Como podemos ser transformados? Analisemos essas perguntas.

POR QUE SER TRANSFORMADO?

5. Para quem as palavras de Paulo em Romanos 12:2 tinham um significado especial?

5 As palavras do apóstolo Paulo registradas na carta aos romanos não foram dirigidas a descrentes ou às pessoas em geral, mas a seus irmãos ungidos. (Rom. 1:7) Ele os aconselhou a ser transformados e a ‘cessar de ser modelados segundo este sistema de coisas’. Para os cristãos em Roma naquela época, por volta de 56 EC, o “sistema de coisas” incluía os padrões, costumes, comportamentos e estilos que caracterizavam o mundo romano. O fato de Paulo ter usado a palavra ‘cessar’ indica que alguns deles ainda estavam sendo influenciados por aquele sistema. Que tipo de influência ele exercia em nossos irmãos daquela época?

6, 7. Nos dias de Paulo, como as condições sociais e religiosas em Roma eram um desafio para os cristãos?

6 Hoje, turistas que visitam Roma veem ruínas de templos, tumbas, monumentos, arenas, teatros e assim por diante. Algumas delas datam do primeiro século. Esses vestígios nos ajudam a entender como era a vida social e religiosa na Roma antiga. Livros de história também dão detalhes de suas lutas de gladiadores, corridas de bigas, bem como peças teatrais e apresentações musicais sobre uma ampla variedade de assuntos, alguns deles vergonhosos. Visto que Roma era um próspero centro comercial, também oferecia muitas oportunidades financeiras. — Rom. 6:21; 1 Ped. 4:3, 4.

7 Apesar de seus muitos templos repletos de deuses, os romanos não eram conhecidos por ter uma relação verdadeira e pessoal com os deuses a quem adoravam. Para eles, a religião consistia basicamente de rituais — para nascimentos, casamentos e funerais —, que faziam parte da estrutura de sua sociedade. Podemos imaginar como tudo isso era um desafio para os cristãos em Roma. Muitos deles haviam sido criados nesse ambiente, então sem dúvida precisavam ser transformados para se tornar cristãos verdadeiros, e essa transformação continuaria mesmo depois do batismo.

8. De que maneira o mundo é uma ameaça para os cristãos hoje?

8 Assim como o mundo romano, o mundo de hoje é uma ameaça para os cristãos dedicados. Por que podemos dizer isso? Porque o espírito do mundo se manifesta de várias maneiras. (Leia Efésios 2:2, 3; 1 João 2:16.) Visto que somos expostos todos os dias aos desejos, pensamentos, valores e moral do mundo, estamos em constante perigo de nos tornar parte do mundo. Por isso, temos muitos motivos para acatar a advertência inspirada de ‘cessarmos de ser modelados segundo este sistema de coisas’ e ‘sermos transformados’. O que devemos fazer?

O QUE PRECISA SER TRANSFORMADO?

9. Antes de se qualificar para o batismo, que mudanças muitos fazem?

9 À medida que uma pessoa estuda e aplica a verdade bíblica, ela começa a fazer progresso espiritual. Uma evidência desse progresso é quando ela faz mudanças na vida com base no que aprendeu. Ela abandona práticas da religião falsa e características indesejáveis de seu estilo de vida anterior e passa a desenvolver a personalidade cristã. (Efé. 4:22-24) Todo ano, ficamos felizes de ver centenas de milhares de pessoas fazer esse progresso e se qualificar para o batismo em símbolo de sua dedicação a Jeová Deus. Isso, com certeza, alegra o coração de Jeová. (Pro. 27:11) No entanto, seria bom nos perguntar: basta apenas fazer essas mudanças?

Muitos precisam sair do mundo de Satanás e ser transformados (Veja o parágrafo 9.)

10. Em que sentido transformar é diferente de melhorar?

10 Na realidade, ser transformado envolve mais do que fazer progresso, ou melhorar. Por exemplo, às vezes um produto que já existe no mercado é anunciado como novo, mas na verdade ele foi melhorado. E essa melhoria pode ter sido apenas a mudança de um único ingrediente ou da embalagem. Em relação à expressão ‘ser transformado’, uma nota no Vine’s Expository Dictionary (Dicionário Expositivo de Vine) explica: “Em Rom[anos] 12:2, conformar-se externamente às coisas desta era [ou sistema de coisas] é contrastado com ser internamente transformado (ou transfigurado) pela renovação de pensamentos por meio do poder do Espírito Santo.” Assim, a transformação que um cristão precisa fazer não é simplesmente abandonar maus hábitos, conversa ou linguajar prejudicial e conduta imoral. Mesmo algumas pessoas que não têm o conhecimento da Bíblia procuram até certo ponto evitar essas coisas. O que então está envolvido na transformação pela qual todo cristão precisa passar?

11. Segundo Paulo, de que maneira ocorre a transformação?

11 “Sede transformados por reformardes a vossa mente”, escreveu Paulo. A mente está relacionada à nossa capacidade de pensar. Mas na Bíblia ela inclui nossa inclinação mental, atitude e faculdade de raciocínio. No início de sua carta aos romanos, Paulo descreveu pessoas que refletiam “um estado mental reprovado”. Elas estavam propensas a ‘injustiça, iniquidade, cobiça, maldade, inveja, assassínio, rixa, fraude’ e outras coisas prejudiciais. (Rom. 1:28-31) É fácil ver por que Paulo aconselhou cristãos que haviam sido criados num ambiente assim a ‘ser transformados’ e ‘reformar a mente’.

‘Sejam tirados dentre vós toda ira, furor, brado e linguagem ultrajante.’ — Efé. 4:31.

12. Qual é o modo de pensar da maioria das pessoas hoje, e como essa atitude pode ser um perigo para os cristãos?

12 Infelizmente, neste mundo estamos cercados de pessoas que se encaixam na descrição de Paulo. É provável que elas achem que seguir normas e princípios é ser antiquado ou intolerante. Muitos professores e pais têm um conceito permissivo e promovem um modo de pensar “liberal”. Para eles tudo é relativo; nada é absoluto. Até muitos que afirmam ser religiosos acham que têm liberdade para fazer o que é certo na opinião deles, sem qualquer obrigação de obedecer a Deus e seus mandamentos. (Sal. 14:1) Essa atitude pode ser um perigo para os cristãos verdadeiros. Se não tomarem cuidado, alguns podem ter esse mesmo conceito em relação aos arranjos teocráticos. Talvez não queiram seguir procedimentos congregacionais e até reclamem de qualquer coisa que não seja do seu agrado. Ou pode ser que questionem conselhos baseados na Bíblia sobre entretenimento, uso da internet e ensino superior.

13. Por que devemos fazer uma análise sincera de nós mesmos?

13 Para não sermos mais moldados pelo mundo, precisamos fazer uma análise sincera de nossos objetivos, valores, atitudes e sentimentos mais profundos. Essas coisas podem não ser vistas pelos que estão ao nosso redor, e eles talvez nos digam que estamos nos saindo bem. Mas só nós sabemos se já permitimos que aquilo que aprendemos na Bíblia nos transformasse nesses aspectos importantes e se vamos permitir que continue a nos transformar. — Leia Tiago 1:23-25.

COMO OCORRE A TRANSFORMAÇÃO

14. O que é preciso para que ocorram as mudanças necessárias?

14 Visto que a transformação envolve o que somos no íntimo, para que ela ocorra, precisamos de algo que penetre fundo em nós. O que pode nos ajudar nesse sentido? Quando aprendemos o que Jeová requer de nós, conforme expresso na Bíblia, nossa reação ao que lemos revela o que temos no coração e que ajustes precisamos fazer para agir de acordo com a “perfeita vontade de Deus”. — Rom. 12:2; Heb. 4:12.

15. Que tipo de transformação ocorre quando permitimos que Jeová nos molde?

15 Leia Isaías 64:8. O quadro mental retratado pelo profeta Isaías contém um ponto prático para analisarmos. De que forma Jeová, o Oleiro, molda a nós, o barro? É claro que ele não nos muda em sentido físico, talvez por melhorar nossa aparência. Jeová nos dá treinamento espiritual, não físico. Se permitirmos que ele nos molde, a transformação resultante será interna, ou espiritual — exatamente o que precisamos para combater as influências do mundo. Como se dá o processo de moldagem?

16, 17. (a) Descreva o que um oleiro faz com o barro para transformá-lo em vasos de alta qualidade. (b) Como a Palavra de Deus nos ajuda a ser transformados em algo valioso para Jeová?

16 Para fazer vasos de alta qualidade, um oleiro usa barro também de alta qualidade. Mas antes ele precisa fazer duas coisas. Primeiro, lavar o barro para remover materiais estranhos, como resíduos minerais. Daí, misturar o barro com a quantidade certa de água para que mantenha a forma depois de ser moldado pela pressão das mãos.

17 Note que a água é usada tanto para limpar o barro de impurezas como para lhe dar a consistência e a maleabilidade certas para ser transformado num vaso, até mesmo num bem delicado. Conseguimos ver a similaridade disso com o que a Palavra de Deus faz em nossa vida? Ela pode nos ajudar a abandonar o modo de pensar que tínhamos quando não conhecíamos a Deus e a ser transformados em algo valioso para ele. (Efé. 5:26) Pense nas muitas vezes em que fomos aconselhados a ler a Bíblia diariamente e a ser regulares em assistir às reuniões cristãs, onde a Palavra de Deus é considerada. Por que somos incentivados a fazer essas coisas? Porque, ao agirmos assim, estamos nos sujeitando à moldagem de Jeová. — Sal. 1:2; Atos 17:11; Heb. 10:24, 25.

Ser transformado ajudará você a lidar com os problemas melhor do que no passado (Veja o parágrafo 18.)

18. (a) Por que a meditação é essencial se queremos que a Palavra de Deus nos influencie e nos transforme? (b) Que perguntas podem ser de ajuda?

18 Para que a Palavra de Deus produza em nós a transformação necessária, ler e estudar regularmente a Bíblia é apenas o começo. Muitas pessoas leem a Bíblia de vez em quando e chegam a ter certo conhecimento do que ela diz. Você talvez já tenha encontrado alguém assim no serviço de campo. Alguns conseguem até citar passagens bíblicas de cor. * Mas pode ser que isso tenha pouca influência em seu modo de pensar e agir. Por quê? Para que a Palavra de Deus influencie e transforme alguém, ele precisa permitir que ela penetre em seu coração. Assim, precisamos gastar tempo pensando no que estamos aprendendo. Seria bom nos perguntar: ‘Estou convencido de que isso é mais do que um simples ensinamento religioso? Já não comprovei que isso é verdade? Consigo pensar em maneiras de aplicar em minha vida o que estou aprendendo em vez de encarar isso apenas como algo a ser ensinado a outros? Percebo que Jeová está falando comigo pessoalmente?’ Meditar nessas perguntas pode nos ajudar a aprofundar o que sentimos por Jeová no íntimo. Nosso amor por ele aumentará. Quando nosso coração é tocado dessa maneira, o resultado são mudanças positivas. — Pro. 4:23; Luc. 6:45.

19, 20. Seguir que conselho bíblico resultará em grandes bênçãos para nós?

19 Ler e meditar com regularidade na Palavra de Deus nos motivará a continuar fazendo o que provavelmente já fazemos até certo ponto, ou seja, ‘nos desnudar da velha personalidade com as suas práticas e nos revestir da nova personalidade, a qual, por intermédio do conhecimento exato, está sendo renovada’. (Col. 3:9, 10) Sem dúvida, continuaremos a ser abençoados à medida que entendermos a Palavra de Deus e sentirmos seu impacto em nossa vida. Em resultado, a nova personalidade cristã que adquirimos ajudará a nos proteger contra as astutas artimanhas de Satanás.

20 “Como filhos obedientes, deixai de ser modelados segundo os desejos que tínheis anteriormente”, nos lembra o apóstolo Pedro, mas “tornai-vos santos em toda a vossa conduta”. (1 Ped. 1:14, 15) Fazer tudo ao nosso alcance para abandonar o modo de pensar e as atitudes que tínhamos antes e permitir que sejamos transformados resultará em bênçãos, como veremos no próximo artigo.

^ parágrafo 18 Veja o exemplo citado em A Sentinela de 1.° de fevereiro de 1994, página 10, parágrafo 7.