Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Agosto de 2013

Vocês foram santificados

Vocês foram santificados

“Vós fostes lavados, . . . vós fostes santificados.” — 1 COR. 6:11.

1. Que condições perturbadoras Neemias encontrou ao voltar para Jerusalém? (Veja a gravura no início do artigo.)

HÁ UM falatório entre os moradores de Jerusalém. Um notório estrangeiro ocupa uma câmara do templo. Levitas abandonam sua designação. Em vez de tomar a dianteira na adoração, anciãos fazem negócios no sábado. Muitos israelitas se casam com não judeus. Essas são apenas algumas das condições perturbadoras que Neemias encontra ao voltar para Jerusalém algum tempo depois de 443 AEC. — Nee. 13:6.

2. Como Israel se tornou uma nação santificada?

2 Israel era uma nação dedicada a Deus. Em 1513 AEC, os israelitas queriam muito se submeter à vontade de Jeová. Eles disseram: “Todas as palavras que Jeová falou estamos dispostos a fazer.” (Êxo. 24:3) Por isso, Deus os santificou, ou os colocou à parte como povo escolhido. Que privilégio! Quarenta anos mais tarde, Moisés lembrou-lhes: “És um povo santo para Jeová, teu Deus. Foi a ti que Jeová, teu Deus, escolheu para te tornares seu povo, uma propriedade especial dentre todos os povos que há na superfície do solo.” — Deut. 7:6.

3. Qual era a condição espiritual dos judeus na segunda vez em que Neemias chegou a Jerusalém?

3 Infelizmente, o entusiasmo de Israel de ser uma nação santa não durou muito. Embora sempre houvesse alguns que serviam a Deus, os judeus em geral se preocupavam mais em parecer santos, ou devotos, do que em fazer a vontade de Deus. Na segunda vez em que Neemias chegou a Jerusalém, haviam se passado uns cem anos desde que um fiel restante tinha retornado de Babilônia para restaurar a adoração verdadeira. De novo, o zelo da nação por coisas espirituais estava diminuindo.

4. Que fatores consideraremos que podem nos ajudar a permanecer como povo santificado?

4 Assim como os israelitas, em sentido geral as Testemunhas de Jeová hoje têm sido santificadas por Deus. Tanto os cristãos ungidos como os da “grande multidão” são santos, colocados à parte para serviço sagrado. (Rev. 7:9, 14, 15; 1 Cor. 6:11) Nenhum de nós deseja perder sua condição santificada perante Deus, como os israelitas acabaram perdendo. O que pode nos ajudar a evitar que isso aconteça de modo a permanecermos santos e úteis no serviço de Jeová? Neste estudo, consideraremos quatro fatores destacados no capítulo 13 de Neemias: (1) evitar más companhias; (2) apoiar os arranjos teocráticos; (3) dar prioridade às coisas espirituais e (4) preservar nossa identidade cristã. Examinemos agora cada um desses pontos.

EVITAR MÁS COMPANHIAS

Como Neemias mostrou lealdade a Jeová? (Veja os parágrafos 5 e 6.)

5, 6. Quem eram Eliasibe e Tobias, e por que talvez Eliasibe se associasse com Tobias?

5 Leia Neemias 13:4-9. Estamos cercados de influências impuras, de modo que não é fácil permanecermos santos. Veja o caso de Eliasibe e Tobias. Eliasibe era o sumo sacerdote e Tobias um amonita que provavelmente era um oficial subalterno na administração persa da Judeia. Tobias e seus associados haviam combatido os esforços de Neemias de reconstruir as muralhas de Jerusalém. (Nee. 2:10) Os amonitas não tinham permissão de entrar nas áreas do templo. (Deut. 23:3) Assim, por que o sumo sacerdote permitiria que um homem como Tobias ocupasse um dos refeitórios do templo?

6 Tobias havia se tornado um companheiro achegado de Eliasibe. Tobias e seu filho Jeoanã haviam se casado com mulheres judias, e muitos judeus falavam bem de Tobias. (Nee. 6:17-19) Um dos netos de Eliasibe era casado com a filha de Sambalá, governante de Samaria, que era um dos companheiros mais achegados de Tobias. (Nee. 13:28) Esses laços talvez expliquem por que o Sumo Sacerdote Eliasibe permitiu que um descrente e opositor o influenciasse. Mas Neemias mostrou lealdade a Jeová por jogar toda a mobília de Tobias para fora do refeitório.

7. Como os anciãos e outros evitam manchar sua posição santificada perante Jeová?

7 Como povo dedicado a Deus, nossa lealdade a Jeová deve sempre vir em primeiro lugar. A menos que nos apeguemos aos padrões justos de Jeová, não permaneceremos santificados perante ele. Não devemos permitir que laços familiares se sobreponham a princípios bíblicos. Os anciãos cristãos são guiados pelo modo de pensar de Jeová, não por seus próprios conceitos ou sentimentos. (1 Tim. 5:21) Eles tomam muito cuidado para não fazer nada que possa comprometer sua posição perante Deus. — 1 Tim. 2:8.

8. O que todos os servos dedicados de Jeová devem ter em mente com relação a suas amizades?

8 Faremos bem em nos lembrar de que “más associações estragam hábitos úteis”. (1 Cor. 15:33) Alguns de nossos parentes talvez não sejam uma influência positiva na nossa vida. Eliasibe deu um bom exemplo ao povo dando total apoio a Neemias na reconstrução das muralhas de Jerusalém. (Nee. 3:1) Com o tempo, porém, a má influência de Tobias e de outros pelo visto levou Eliasibe a fazer coisas que o aviltaram perante Jeová. Boas companhias nos incentivam a nos dedicar a úteis atividades cristãs, como ler a Bíblia, assistir às reuniões cristãs e participar no serviço de campo. Familiares que nos influenciam a fazer o que é correto são em especial amados e apreciados.

APOIAR OS ARRANJOS TEOCRÁTICOS

9. Por que os arranjos do templo estavam sendo prejudicados, e a quem Neemias culpou por isso?

9 Leia Neemias 13:10-13. Pelo visto, as contribuições para o templo haviam praticamente cessado quando Neemias voltou para Jerusalém. Sem esse apoio, os levitas abandonavam suas designações e iam trabalhar nos seus campos. Neemias culpou os delegados governantes por essa situação. Aparentemente, eles não estavam cuidando de seus deveres. Talvez não estivessem recolhendo os dízimos do povo, ou não os estavam enviando ao templo, como sua designação exigia. (Nee. 12:44) Assim, Neemias tomou medidas para que os dízimos fossem recolhidos. Ele designou homens de confiança para supervisionar os depósitos do templo e distribuições futuras.

10, 11. Que privilégio o povo de Deus tem em apoio à adoração verdadeira?

10 Podemos aprender algo dessa situação? Sim, pois somos lembrados de que temos o privilégio de honrar a Jeová com nossas coisas valiosas. (Pro. 3:9) Quando contribuímos em apoio de sua obra, estamos apenas dando a Jeová o que já lhe pertence. (1 Crô. 29:14-16) Talvez achemos que não temos muito para dar, mas, se há o desejo de fazer isso, todos nós podemos participar. — 2 Cor. 8:12.

11 Por muitos anos, toda semana uma família grande convidava um casal de pioneiros especiais idosos para uma refeição. Embora os pais tivessem oito filhos, a mãe costumava dizer: “Onde comem 10, comem 12.” Uma refeição semanal pode não parecer grande coisa, mas como esses pioneiros se sentiam gratos por essa hospitalidade! Eles, por sua vez, foram uma bênção para seus anfitriões. As palavras e experiências animadoras do casal ajudaram a motivar os filhos daquela família a fazer progresso espiritual. Todos eles mais tarde entraram no ministério de tempo integral.

12. Que exemplo excelente dão os homens designados na congregação?

12 Outra coisa que aprendemos é que, assim como Neemias, homens designados tomam hoje a dianteira em apoiar arranjos teocráticos. Outros na congregação se beneficiam de seu exemplo. Nesse respeito, os anciãos imitam também o apóstolo Paulo. Ele apoiou a adoração verdadeira e forneceu orientações proveitosas. Por exemplo, ele ofereceu várias sugestões práticas sobre como fazer donativos. — 1 Cor. 16:1-3; 2 Cor. 9:5-7.

DAR PRIORIDADE ÀS COISAS ESPIRITUAIS

13. De que modo alguns judeus não estavam respeitando o sábado?

13 Leia Neemias 13:15-21. Se nos preocuparmos demais com coisas materiais, poderemos aos poucos perder nossa espiritualidade. De acordo com Êxodo 31:13, o sábado semanal servia para lembrar aos israelitas que eles eram um povo santificado. Esse dia devia ser reservado para adorar em família, orar e meditar na Lei de Deus. Mas para alguns dos contemporâneos de Neemias o sábado havia se tornado apenas mais um dia — um dia como outro qualquer. A adoração havia sido relegada ao segundo plano. Vendo o que acontecia, Neemias ordenava o fechamento dos portões da cidade ao anoitecer do sexto dia, mandando embora os mercadores estrangeiros antes que começasse o sábado.

14, 15. (a) O que pode acontecer conosco se não limitarmos nossos interesses comerciais? (b) Como podemos entrar no descanso de Deus?

14 O que podemos aprender do exemplo de Neemias? Uma lição é que devemos limitar nossos interesses comerciais. Caso contrário, podemos facilmente perder o foco — ou até mesmo ficar com o coração dividido —, em especial se gostamos de nosso serviço secular. Lembre-se do alerta de Jesus sobre ser escravo de dois amos. (Leia Mateus 6:24.) Neemias tinha recursos financeiros, mas como ele usou seu tempo em Jerusalém? (Nee. 5:14-18) Em vez de procurar estabelecer laços comerciais com os tírios ou outros, ele se dedicou a ajudar seus irmãos e a fazer coisas que contribuíam para a santificação do nome de Jeová. Assim também hoje, os anciãos e servos ministeriais se concentram em fazer coisas em benefício da congregação, e seus companheiros de adoração os amam por causa dessa atitude. Isso resulta em amor, paz e segurança entre o povo de Deus. — Eze. 34:25, 28.

15 Embora não se exija dos cristãos que guardem um sábado semanal, Paulo nos diz que “resta um descanso sabático para o povo de Deus”. Ele acrescenta: “O homem que entrou no descanso de Deus descansou também das suas próprias obras, assim como Deus das suas.” (Heb. 4:9, 10) Como cristãos, podemos entrar no descanso de Deus por trabalharmos obedientemente em harmonia com o seu propósito progressivo. Será que você e seus familiares estão dando prioridade à adoração em família, à assistência às reuniões e ao ministério de campo? Pode ser que tenhamos de ser firmes com nosso empregador ou aqueles com quem temos tratos comerciais, em especial se eles não respeitam nossas prioridades teocráticas. Na prática, talvez seja necessário ‘fechar os portões da cidade e mandar embora os tírios’, por assim dizer, a fim de dar prioridade e devida atenção às coisas sagradas. Visto que fomos santificados, é bom nos perguntar: ‘Será que meu modo de viver demonstra que fui colocado à parte para o serviço de Jeová?’ — Mat. 6:33.

PRESERVAR SUA IDENTIDADE CRISTÃ

16. Como a própria identidade de Israel como povo santificado estava ameaçada nos dias de Neemias?

16 Leia Neemias 13:23-27. Nos dias de Neemias, muitos homens israelitas se casavam com mulheres estrangeiras. Durante sua primeira visita a Jerusalém, Neemias providenciou que todos os anciãos assinassem um acordo em que os israelitas se comprometiam a não se casar com mulheres pagãs. (Nee. 9:38; 10:30) Anos mais tarde, porém, ele descobriu que homens judeus não só haviam se casado com mulheres estrangeiras, mas também estavam prestes a perder sua própria identidade como povo santificado de Deus. Os filhos dessas mulheres estrangeiras não sabiam ler nem falar em hebraico. Quando crescessem, será que se identificariam como israelitas? Ou se considerariam asdoditas, amonitas ou moabitas? Sem saber hebraico, será que conseguiriam entender a Lei de Deus? Como poderiam conhecer a Jeová e decidir servir a ele em vez de aos deuses falsos que suas mães adoravam? Era necessário uma ação rápida e decisiva, e Neemias fez isso. — Nee. 13:28.

Ajude seus filhos a desenvolver uma relação achegada com Jeová (Veja os parágrafos 17 e 18.)

17. Como os pais podem ajudar seus filhos a ter uma relação pessoal com Jeová?

17 Hoje precisamos agir com determinação para ajudar nossos filhos a adquirir uma identidade cristã. Pais, perguntem-se: ‘Meus filhos falam bem a “língua pura” da verdade bíblica? (Sof. 3:9) As conversas deles refletem a influência do espírito de Deus ou do espírito do mundo?’ Não se desanime logo caso note que há margem para melhora. Leva tempo para aprender um idioma, em especial se estamos cercados de coisas que podem nos distrair. Seus filhos enfrentam enormes pressões para transigir. Portanto, use pacientemente as sessões da Adoração em Família e outras oportunidades para ajudá-los a desenvolver uma relação achegada com Jeová. (Deu. 6:6-9) Destaque os benefícios de ser diferente do mundo de Satanás. (João 17:15-17) E esforce-se para tocar o coração dos filhos.

18. Como os pais, melhor do que ninguém, podem preparar os filhos para fazer uma dedicação a Jeová?

18 Por fim, cada filho tomará sua própria decisão quanto a servir a Deus. Mas há muito que os pais podem fazer. Isso inclui dar bom exemplo, especificar limites claros e considerar com os filhos as consequências de suas decisões. Pais, vocês, melhor do que ninguém, podem preparar seus filhos para fazer uma dedicação a Jeová. Eles precisam de sua ajuda para adquirir e preservar sua identidade cristã. Naturalmente, todos nós precisamos estar alertas para não perder nossas simbólicas “roupas exteriores” — as qualidades e normas que nos identificam como seguidores de Cristo. — Rev. 3:4, 5; 16:15.

LEMBRADOS “PARA O BEM”

19, 20. Como podemos ser lembrados por Jeová “para o bem”?

19 Um dos contemporâneos de Neemias, o profeta Malaquias, mencionou que “começou-se a escrever . . . um livro de recordação para os que temiam a Jeová e para os que pensavam no seu nome”. (Mal. 3:16, 17) Deus jamais se esquecerá dos que têm temor reverente por ele e amor ao seu nome. — Heb. 6:10.

20 Neemias orou: “Lembra-te deveras de mim, ó meu Deus, para o bem.” (Nee. 13:31) Como Neemias, o nosso nome estará no livro de recordação de Deus se continuarmos a evitar más companhias, apoiar arranjos teocráticos, dar prioridade a assuntos espirituais e proteger nossa identidade cristã. ‘Persistamos em examinar se estamos na fé.’ (2 Cor. 13:5) Se preservarmos nossa relação santificada com Jeová, ele se lembrará de nós “para o bem”.