Pular para conteúdo

Pular para sumário

Considere que tipo de pessoa você deve ser

Considere que tipo de pessoa você deve ser

“Que sorte de pessoas deveis ser em atos santos de conduta e em ações de devoção piedosa!” — 2 PED. 3:11.

1, 2. ‘Que sorte de pessoas devemos ser’ para receber a aprovação de Deus?

É NORMAL nos preocupar com o que os outros pensam de nós. Mas, como cristãos, será que não devemos nos preocupar ainda mais com o que Jeová pensa de nós? Afinal, ele é a Pessoa mais importante do Universo, e com ele está “a fonte da vida”. — Sal. 36:9.

2 Enfatizando ‘que sorte de pessoas devemos ser’ do ponto de vista de Jeová, o apóstolo Pedro nos exorta a nos empenhar “em atos santos de conduta e em ações de devoção piedosa”. (Leia 2 Pedro 3:11.) Para recebermos a aprovação de Deus, nossos ‘atos de conduta’ têm de ser santos, isto é, puros — moral, mental e espiritualmente. Além disso, precisamos realizar “ações de devoção piedosa” com reverência a Deus e apego leal a ele. Buscar sua aprovação, portanto, envolve tanto a nossa conduta como o que somos no íntimo. Visto que Jeová ‘examina o coração’, ele sabe se somos santos na conduta e se estamos, ou não, devotados exclusivamente a ele. — 1 Crô. 29:17.

3. Que perguntas devemos considerar sobre a nossa relação com Deus?

3 Satanás, o Diabo, não quer que busquemos a aprovação divina. De fato, ele faz tudo que pode para nos fazer abandonar nossa relação com Jeová. Satanás não hesita em usar mentiras e enganos para nos seduzir e nos afastar do Deus a quem adoramos. (João 8:44; 2 Cor. 11:13-15) Portanto, é sensato nos perguntar: ‘Como Satanás engana as pessoas? O que posso fazer para proteger minha relação com Jeová?’

COMO SATANÁS ENGANA AS PESSOAS?

4. Na tentativa de destruir nossa relação com Deus, o que Satanás tenta atingir, e por quê?

4 “Cada um é provado por ser provocado e engodado pelo seu próprio desejo”, escreveu o discípulo Tiago. “Então o desejo, tendo-se tornado fértil, dá à luz o pecado; o pecado, por sua vez, tendo sido consumado, produz a morte.” (Tia. 1:14, 15) Na tentativa de destruir nossa relação com Deus, Satanás procura atingir a fonte de nossos desejos — o coração.

5, 6. (a) O que Satanás usa para tentar atingir nosso coração? (b) Que tentações Satanás usa no esforço de corromper os desejos do nosso coração, e quanta experiência ele tem em usá-las?

5 O que Satanás usa para tentar atingir nosso coração? “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo”, diz a Bíblia. (1 João 5:19) As armas de Satanás incluem “as coisas no mundo”. (Leia 1 João 2:15, 16.) Ao longo de milhares de anos, o Diabo moldou cuidadosamente o ambiente que nos cerca. Visto que vivemos neste mundo, temos de nos proteger de suas táticas sutis. — João 17:15.

6 Satanás usa métodos que visam corromper os desejos do nosso coração. O apóstolo João identifica três tentações que ele usa: (1) “o desejo da carne”, (2) “o desejo dos olhos” e (3) “a ostentação dos meios de vida da pessoa”. Satanás usou essas coisas para tentar Jesus no ermo. Com muitos anos de experiência utilizando essas armadilhas, Satanás hoje as usa com perícia, adaptando suas táticas às inclinações de cada pessoa. Antes de considerarmos que medidas podemos tomar para nos proteger nesse respeito, vejamos como o Diabo foi bem-sucedido ao usar certas tentações no caso de Eva, mas fracassou ao tentar o Filho de Deus.

“O DESEJO DA CARNE”

“O desejo da carne” levou Eva a pecar (Veja o parágrafo 7.)

7. Como Satanás usou “o desejo da carne” para tentar Eva?

7 Os humanos têm uma necessidade básica — se alimentar para sustentar o corpo. O Criador projetou a Terra para produzir uma fartura de alimento. Satanás talvez tente explorar o desejo natural por alimento no esforço de nos desviar de fazer a vontade de Deus. Veja como ele fez isso no caso de Eva. (Leia Gênesis 3:1-6.) Satanás disse a Eva que ela podia comer do fruto da “árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau” e que não morreria. Também alegou que, no dia em que comesse do fruto, ela seria como Deus. (Gên. 2:9) Desse modo, o Diabo insinuou que Eva não precisava obedecer a Deus para viver. Que mentira descarada! Uma vez que essa ideia foi introduzida na mente de Eva, ela tinha duas opções: rejeitar a ideia ou então continuar a pensar nela, permitindo assim que seu desejo pelo fruto aumentasse. Mesmo tendo todas as outras árvores do jardim à sua disposição, Eva preferiu continuar refletindo sobre o que Satanás havia dito sobre a árvore no meio do jardim e “começou a tomar do seu fruto e a comê-lo”. Desse modo, Satanás criou nela um desejo por algo que havia sido proibido pelo seu Criador.

Jesus não permitiu que nada o desviasse de seu foco (Veja o parágrafo 8.)

8. Como Satanás tentou Jesus usando “o desejo da carne”, e por que essa tentação não deu certo?

8 Satanás usou a mesma tática quando tentou Jesus no ermo. Depois de Jesus ter jejuado por 40 dias e 40 noites, Satanás tentou explorar o desejo dele por alimento. “Se tu és filho de Deus”, disse Satanás, “dize a esta pedra que se transforme em pão”. (Luc. 4:1-3) Jesus tinha duas opções: decidir usar, ou não, seu poder milagroso para satisfazer a necessidade de alimento. Ele sabia que não devia usar esse poder para fins egoístas. Embora faminto, não deu mais importância a satisfazer a fome do que a manter sua relação com Jeová. Jesus disse: “Está escrito: ‘O homem não deve viver só de pão, mas de tudo o que procede da boca de Jeová.’” — Luc. 4:4, nota.

“O DESEJO DOS OLHOS”

9. O que sugere a expressão “o desejo dos olhos”, e como Satanás apelou para esse desejo no caso de Eva?

9 João mencionou também como tentação “o desejo dos olhos”. Essa expressão sugere que alguém pode começar a desejar uma coisa por simplesmente olhar para ela. No caso de Eva, Satanás apelou para esse desejo, dizendo: “Forçosamente se abrirão os vossos olhos.” Quanto mais Eva olhava para o fruto proibido, mais atraente ele se tornava. Ela viu que a árvore “era algo para os olhos anelarem”.

10. De que modo Satanás usou “o desejo dos olhos” para tentar Jesus, e como Jesus reagiu?

10 Que dizer no caso de Jesus? Satanás “lhe mostrou todos os reinos da terra habitada, num instante de tempo; e o Diabo disse-lhe: ‘Eu te darei toda esta autoridade e a glória deles’”. (Luc. 4:5, 6) Jesus não viu num instante todos os reinos com seus olhos literais, mas Satanás deve ter pensado que a glória desses reinos, apresentada numa visão, teria certo atrativo para Jesus. Satanás teve a audácia de sugerir: ‘Se tu fizeres um ato de adoração diante de mim, tudo será teu.’ (Luc. 4:7) De modo algum Jesus quis ser o tipo de pessoa que Satanás queria que ele fosse. Sua resposta foi imediata: “Está escrito: ‘É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado.’” — Luc. 4:8.

“A OSTENTAÇÃO DOS MEIOS DE VIDA DA PESSOA”

11. Como Eva foi tentada por Satanás?

11 Ao falar das coisas do mundo, João mencionou “a ostentação dos meios de vida da pessoa”. Quando Adão e Eva eram os únicos humanos na Terra, eles naturalmente não podiam ‘ostentar seus meios de vida’ diante de outros. Mas eles manifestaram orgulho. Ao tentar Eva, Satanás insinuou que Deus estava lhe negando algo maravilhoso. O Diabo disse a ela que, no mesmo dia em que comesse da “árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau”, ela ‘forçosamente seria como Deus, sabendo o que é bom e o que é mau’. (Gên. 2:17; 3:5) Assim, Satanás sugeriu que Eva poderia tornar-se independente de Jeová. Pelo visto, um fator que a levou a aceitar essa mentira foi o orgulho. Ela comeu do fruto proibido, acreditando que realmente não morreria. Como estava enganada!

12. De que outra maneira Satanás tentou Jesus, e como Jesus reagiu?

12 Em contraste com Eva, que excelente exemplo de humildade Jesus deu! Satanás o tentou de outra maneira, mas Jesus rejeitou até mesmo a ideia de fazer algo dramático que colocasse Deus à prova. Isso teria sido um ato de orgulho! Em vez disso, a resposta de Jesus foi clara e direta: “Dito está: ‘Não deves pôr Jeová, teu Deus, à prova.’” — Leia Lucas 4:9-12.

COMO PROTEGER NOSSA RELAÇÃO COM JEOVÁ?

13, 14. Explique como Satanás usa certas tentações hoje.

13 Hoje, Satanás usa tentações semelhantes às que usou com Eva e com Jesus. Apelando para “o desejo da carne”, o Diabo usa seu mundo para promover a imoralidade e o excesso no comer e no beber. Por meio da pornografia, em especial na internet, ele pode atrair a atenção de um usuário desprevenido e apelar para “o desejo dos olhos”. E o materialismo, o poder e a fama sem dúvida são uma grande tentação para os orgulhosos e os que tendem a ‘ostentar seus meios de vida’.

De que princípios bíblicos você deve se lembrar nestas circunstâncias? (Veja os parágrafos 13 e 14.)

14 “As coisas no mundo” são como iscas de pescador. Elas são atraentes, mas presa a cada isca há um anzol. Satanás usa o que as pessoas talvez considerem necessidades do dia a dia para levá-las a querer fazer o que é contra as leis de Deus. Mas o objetivo dessas tentações sutis é influenciar nossos desejos e corromper nosso coração. São na realidade uma tentativa de nos levar a crer que cuidar de nossas necessidades e confortos pessoais é mais importante do que fazer a vontade de Deus. Que dizer de nós? Será que cederemos a essas tentações?

15. Como podemos imitar a Jesus em resistir às tentações de Satanás?

15 Embora Eva tenha cedido às tentações de Satanás, Jesus conseguiu resistir a elas. Em cada caso, ele deu uma resposta bíblica, dizendo “está escrito” ou “dito está”. Se estudarmos bem a Bíblia, conheceremos as Escrituras e teremos como nos lembrar de versículos que podem nos ajudar a manter o foco diante de tentações. (Sal. 1:1, 2) Lembrar de exemplos bíblicos de pessoas que foram leais a Deus nos ajudará a imitá-los. (Rom. 15:4) Ter profundo respeito por Jeová, amando o que ele ama e odiando o que ele odeia, nos protegerá. — Sal. 97:10.

16, 17. Que efeito nossa “faculdade de raciocínio” tem no tipo de pessoa que somos?

16 O apóstolo Paulo nos incentiva a usar nossa “faculdade de raciocínio” para nos tornar o tipo de pessoa que é moldada pelo modo de pensar de Deus, não pelo do mundo. (Rom. 12:1, 2) Enfatizando a necessidade de rígido controle sobre nossos pensamentos, Paulo declarou: “Estamos demolindo raciocínios e toda coisa altiva levantada contra o conhecimento de Deus; e trazemos todo pensamento ao cativeiro, para fazê-lo obediente ao Cristo.” (2 Cor. 10:5) Visto que nossos pensamentos exercem um poderoso efeito no tipo de pessoa que somos, temos de ‘continuar a considerar’ coisas edificantes. — Fil. 4:8.

17 Não podemos esperar ser santos se alimentamos a mente com pensamentos e desejos impróprios. Temos de amar a Jeová de “coração puro”. (1 Tim. 1:5) Mas o coração é traiçoeiro, e talvez nem nos demos conta de quanto “as coisas no mundo” estão nos afetando. (Jer. 17:9) Portanto, não concorda que devemos ‘persistir em examinar se estamos na fé e persistir em provar o que nós mesmos somos’ por meio de uma sincera autoanálise à base do que estudamos na Bíblia? — 2 Cor. 13:5.

18, 19. Por que devemos estar determinados a ser o tipo de pessoa que Jeová quer que sejamos?

18 Outra ajuda para resistirmos às “coisas no mundo” é ter em mente as palavras inspiradas de João: “O mundo está passando, e assim também o seu desejo, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (1 João 2:17) O sistema de Satanás parece ser permanente e real. Mas um dia ele terá fim. Nada que o mundo de Satanás tenha para nos oferecer é permanente. Lembrar disso nos ajudará a não cairmos diante das tentações do Diabo.

19 O apóstolo Pedro nos exorta a ser o tipo de pessoa que Deus aprova enquanto ‘aguardamos e temos bem em mente a presença do dia de Jeová, pelo qual os céus, estando incendiados, serão dissolvidos, e os elementos, estando intensamente quentes, se derreterão’. (2 Ped. 3:12) Muito em breve, esse dia chegará, e Jeová destruirá todos os elementos do mundo de Satanás. Até lá, Satanás continuará a usar “as coisas no mundo” para nos tentar, assim como tentou Eva e também Jesus. Não devemos ser como Eva e procurar satisfazer nossos próprios desejos. Fazer isso seria o mesmo que aceitar Satanás como nosso deus. Precisamos ser como Jesus e resistir a essas tentações, por mais atraentes que sejam. Que cada um de nós esteja determinado a ser o tipo de pessoa que Jeová quer que sejamos!