Pular para conteúdo

Pular para sumário

Pais, filhos — comuniquem-se com amor

Pais, filhos — comuniquem-se com amor

“Todo homem tem de ser rápido no ouvir, vagaroso no falar, vagaroso no furor.” — TIA. 1:19.

1, 2. O que pais e filhos normalmente sentem uns pelos outros, mas que dificuldade às vezes encontram?

“SE VOCÊ de alguma forma descobrisse que seus pais morreriam amanhã, o que você mais gostaria de dizer a eles hoje?” Essa pergunta foi feita a centenas de jovens nos Estados Unidos. Em vez de focar quaisquer problemas e divergências que talvez os estivessem incomodando, nada menos que 95% disseram que diriam aos pais: “Me desculpem” e “Eu amo muito vocês”. — For Parents Only (Somente para Pais), de Shaunti Feldhahn e Lisa Rice.

2 Normalmente, os filhos amam os pais, e os pais amam os filhos. Isso é assim em especial nas famílias cristãs. Embora pais e filhos queiram muito ser bem achegados, a comunicação às vezes é difícil. Ainda que as conversas no geral talvez sejam francas e abertas, por que certos assuntos são totalmente evitados? Quais são algumas barreiras à boa comunicação? Como podem ser vencidas?

Não permita que outros interesses e o isolar-se impeçam a comunicação na sua família

‘COMPREM TEMPO’ PARA SE COMUNICAR

3. (a) Por que a boa comunicação é um desafio para muitas famílias? (b) Por que passar tempo juntos não era problema para as famílias no Israel antigo?

3 Muitas famílias acham difícil ter tempo para uma comunicação significativa. Mas nem sempre foi assim. Moisés instruiu os chefes de família israelitas: “Tens de inculcá-las [as palavras de Deus] a teu filho, e tens de falar delas sentado na tua casa e andando pela estrada, e ao deitar-te e ao levantar-te.” (Deut. 6:6, 7) Os filhos passavam o dia com a mãe em casa ou com o pai nos campos ou no seu local de trabalho. Filhos e pais tinham bastante tempo para ficar juntos e conversar. Assim, os pais tinham como conhecer as necessidades, os desejos e a personalidade de seus filhos. E os filhos, por sua vez, tinham tempo e amplas oportunidades para conhecer bem os seus pais.

4. Por que a comunicação é um problema em muitas famílias hoje?

4 Como a vida hoje é diferente! Em alguns países, as crianças entram na pré-escola bem cedo, às vezes com apenas 2 anos de idade. Muitos pais e mães trabalham fora. No pouco tempo que pais e filhos ficam juntos, a comunicação entre eles compete com computadores, televisão e outros aparelhos eletrônicos e, muitas vezes, perde. Em muitos casos, pais e filhos levam vidas separadas; são praticamente estranhos. Quase não existem conversas significativas.

5, 6. Como alguns pais ‘compram’ mais tempo para passar com os filhos?

5 Você pode ‘comprar tempo’ de outras coisas para passar mais tempo com a família? (Leia Efésios 5:15, 16.) Algumas famílias decidem limitar o tempo que gastam vendo televisão ou usando o computador. Outras se esforçam para ter pelo menos uma refeição juntos cada dia. E a provisão de adoração em família oferece para pais e filhos uma excelente oportunidade para se achegarem uns aos outros e considerar calmamente assuntos espirituais. Reservar uma hora ou mais por semana para esse objetivo é um bom começo, mas é preciso mais para abrir as portas para conversas significativas. Para isso, comunicar-se com frequência é imprescindível. Antes de a criança sair para a escola, diga algo animador, considere o texto diário ou faça uma oração junto com ela. Isso pode fazer grande diferença no dia dela.

6 Alguns pais conseguiram fazer mudanças no seu estilo de vida para passar mais tempo com os filhos. Por exemplo, Laura, * mãe de dois filhos pequenos, deixou um emprego de tempo integral por esse motivo. Ela diz: “De manhã, todos nós saíamos às pressas de casa para ir ao trabalho ou à escola. Quando eu voltava para casa à noite, meus filhos já estavam dormindo, colocados na cama por uma empregada. Deixar o emprego significou termos de passar com menos dinheiro, mas sinto que agora estou mais a par dos pensamentos e problemas de meus filhos. Eu escuto o que eles dizem em oração e posso orientá-los, encorajá-los e ensiná-los.”

SEJAM ‘RÁPIDOS NO OUVIR’

7. Qual é uma queixa comum tanto de filhos como de pais?

7 Depois de muitas entrevistas com jovens, os autores do livro “Somente para Pais” observaram ainda outra barreira à comunicação. Eles dizem: “A queixa mais comum dos filhos a respeito dos pais foi: ‘Eles não escutam quando eu falo.’” Esse problema com certeza tem dois lados. Muitos pais têm a mesma queixa com relação aos filhos. Para manter abertas as linhas de comunicação, os membros da família têm de ouvir — realmente ouvir — uns aos outros. — Leia Tiago 1:19.

8. Como os pais podem realmente escutar os filhos?

8 Pais, vocês realmente escutam seus filhos? Isso pode ser difícil quando vocês estão cansados ou se a conversa parece um tanto trivial. Mas o que parece trivial para vocês pode ser muito importante para seu filho. Ser “rápido no ouvir” significa estar atento não só ao que o filho diz, mas também à forma como ele o diz. O tom da voz e a linguagem corporal fornecem pistas sobre como um jovem se sente. Fazer perguntas também é importante. “Os pensamentos de uma pessoa são como água em poço fundo”, diz a Bíblia, “mas quem é inteligente sabe como tirá-los para fora”. (Pro. 20:5, Bíblia na Linguagem de Hoje) Perspicácia e discernimento são especialmente necessários ao incentivar seus filhos a falar sobre assuntos delicados.

9. Por que os filhos devem escutar os pais?

9 Filhos, vocês obedecem aos pais? “Escuta, meu filho, a disciplina de teu pai”, diz a Palavra de Deus, “e não abandones a lei de tua mãe”. (Pro. 1:8) Lembre-se: seus pais amam você e desejam seu melhor, portanto, é sábio escutá-los e obedecê-los. (Efé. 6:1) É mais fácil ser obediente quando há boa comunicação e quando você sabe que é amado. Diga aos seus pais o que você acha das coisas. Isso os ajudará a entender você. Naturalmente, você também deve tentar entendê-los.

10. O que aprendemos do relato bíblico sobre Roboão?

10 Quando se trata de ouvir conselhos de jovens de sua idade, é preciso ter cuidado. Eles talvez digam o que você quer ouvir, mas pode ser que os conselhos deles não o ajudem em nada. Na verdade, podem até prejudicá-lo. Por não ter a sabedoria e experiência dos mais velhos, a maioria dos jovens carece de uma visão de longo prazo das coisas e talvez não saiba discernir as consequências de certas ações. Lembre-se do exemplo de Roboão, filho do Rei Salomão. Quando ele se tornou rei de Israel, teria sido sensato da parte dele seguir o conselho dos homens mais velhos. Em vez disso, ele seguiu o conselho tolo dos homens mais jovens “que haviam crescido com ele”. Desse modo ele perdeu o apoio da maioria dos súditos de seu reino. (1 Reis 12:1-17) Em vez de imitar o proceder insensato de Roboão, esforce-se para manter abertas as linhas de comunicação com seus pais. Compartilhe seus pensamentos com eles. Beneficie-se de seus conselhos e aprenda de sua sabedoria. — Pro. 13:20.

11. O que pode acontecer se os pais não são acessíveis?

11 Pais, se não quiserem que seus filhos recorram a seus colegas em busca de conselhos, tornem-se pessoas acessíveis, com quem é fácil conversar. Certa irmã adolescente escreveu: “É só mencionar o nome de um rapaz e meus pais já ficam incomodados. Isso me incomoda e me deixa em dúvida se devo continuar a falar.” Outra irmã jovem escreveu: “Muitos adolescentes querem ouvir conselhos de seus pais, mas, se os pais não os levam a sério, eles vão procurar uma pessoa que faça isso, mesmo que seja menos experiente.” Se você estiver disposto a ouvir seus filhos sobre qualquer assunto de modo compassivo, provavelmente verá que eles se expressarão e apreciarão seus conselhos.

SEJAM ‘VAGAROSOS NO FALAR’

12. Como a reação dos pais pode obstruir a comunicação com os filhos?

12 Outra barreira à comunicação surge quando os pais reagem com nervosismo ou de modo negativo ao que os filhos lhes falam. É compreensível que os pais cristãos queiram proteger seus filhos. Estes “últimos dias” estão cheios de perigos — espirituais e outros. (2 Tim. 3:1-5) No entanto, o que os pais encaram como proteção pode parecer exagero para os filhos.

13. Por que os pais devem cuidar para não expressar de imediato o que pensam?

13 É sábio os pais não expressarem de imediato o que pensam. É verdade que nem sempre é fácil ficar quieto quando os filhos lhe falam algo aflitivo. Mas é importante ouvir com atenção antes de responder. O sábio Rei Salomão escreveu: “Quando alguém replica a um assunto antes de ouvi-lo, é tolice da sua parte e uma humilhação.” (Pro. 18:13) Se ficar calmo, você ouvirá mais e seus filhos continuarão a falar. Você tem de obter o quadro completo do assunto antes de poder ajudar. Por trás da “conversa irrefletida” pode estar um coração tumultuado. (Jó 6:1-3) Como pais amorosos, usem seus ouvidos para adquirir compreensão e sua língua para curar.

14. Por que os filhos devem ser ‘vagarosos no falar’?

14 Filhos, vocês também devem ser ‘vagarosos no falar’, sem objetar de imediato o que seus pais dizem, pois Deus lhes confiou a responsabilidade de treinar vocês. (Pro. 22:6) Talvez eles tenham passado por situações parecidas com as que vocês estão passando. Além disso, eles lamentam os erros que cometeram quando eram jovens e desejam sinceramente evitar que vocês cometam erros parecidos. Assim sendo, encarem seus pais como aliados, não como adversários; como conselheiros, não como oponentes. (Leia Provérbios 1:5.) ‘Honrem a seu pai e a sua mãe’ e mostrem-lhes que vocês os amam assim como eles amam vocês. Assim será mais fácil para eles “criá-los na disciplina e na regulação mental de Jeová”. — Efé. 6:2, 4.

SEJAM ‘VAGAROSOS NO FUROR’

15. O que nos ajudará a não perder a paciência e não ficar irritados com as pessoas que amamos?

15 Nem sempre somos pacientes com aqueles que amamos. “Aos santos e irmãos fiéis em união com Cristo, em Colossos”, o apóstolo Paulo escreveu: “Vós, maridos, persisti em amar as vossas esposas e não vos ireis amargamente com elas. Vós, pais, não estejais exasperando os vossos filhos, para que não fiquem desanimados.” (Col. 1:1, 2; 3:19, 21) Paulo exortou aos efésios: ‘Sejam tirados dentre vós toda amargura maldosa, ira, furor, brado e linguagem ultrajante.’ (Efé. 4:31) Cultivar longanimidade, brandura e autodomínio — aspectos do fruto do espírito de Deus — nos ajudará a permanecer calmos mesmo sob tensão. — Gál. 5:22, 23.

16. Como Jesus corrigiu seus discípulos, e por que isso foi tão notável?

16 Veja o exemplo de Jesus. Imagine a enorme tensão que ele sentia na última ceia que teve com seus apóstolos. Ele sabia que dentro de algumas horas sofreria uma morte lenta e dolorosa. A santificação do nome de seu Pai e a salvação da família humana dependia de sua fidelidade. No entanto, naquela mesma refeição, houve ‘uma disputa acalorada entre os apóstolos sobre qual deles parecia ser o maior’. Jesus não gritou com eles nem expressou rancor. Em vez disso, raciocinou calmamente com eles. Lembrou-lhes de que eles haviam permanecido com ele em tempos provadores. Embora Satanás ‘reclamasse’ que fossem peneirados como trigo, Jesus expressou confiança de que permaneceriam fiéis. Ele até mesmo fez um pacto com eles. — Luc. 22:24-32.

Você ouve atentamente quando seus filhos falam?

17. O que ajudará os filhos a permanecer calmos?

17 Os filhos também precisam permanecer calmos. Em especial na adolescência, talvez achem que as orientações dos pais indicam falta de confiança neles. Embora às vezes pareça ser assim, reconheça que a preocupação de seus pais é uma expressão de amor por você. Por ouvi-los calmamente e ser cooperador, você ganhará o respeito deles e criará a reputação de ser uma pessoa responsável. É possível até que esse comportamento lhe proporcione mais liberdade em certas áreas da vida. É sábio exercer autocontrole. “Todo o seu espírito é o que o estúpido deixa sair”, diz um sábio provérbio, “mas aquele que é sábio o mantém calmo até o último”. — Pro. 29:11.

18. Como o amor resulta em boa comunicação?

18 Portanto, queridos pais e filhos, não desanimem caso a comunicação na sua família não for tão aberta como gostariam que fosse. Continuem a se esforçar nesse sentido, e continuem a andar na verdade. (3 João 4) No novo mundo, pessoas perfeitas poderão interagir com perfeição, sem mal-entendidos e discórdias. Atualmente, porém, todos nós fazemos coisas de que mais tarde nos arrependemos. Assim sendo, não hesite em pedir desculpas. Esteja sempre pronto para perdoar. “Sejam harmoniosamente conjuntados em amor.” (Col. 2:2) O amor tem força. ‘O amor é longânime e benigno. Não fica encolerizado. Não leva em conta o dano. Suporta todas as coisas, acredita todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas.’ (1 Cor. 13:4-7) Continue a cultivar o amor, e a boa comunicação vai prosperar, trazendo alegria para sua família e louvor para Jeová.

^ parágrafo 6 O nome foi mudado.