Pular para conteúdo

Pular para sumário

Jeová — nosso lugar de habitação

Jeová — nosso lugar de habitação

“Ó Jeová, tu mesmo mostraste ser uma verdadeira habitação para nós durante geração após geração.” — SAL. 90:1.

1, 2. Como os servos de Deus se sentem com relação a este mundo, e em que sentido eles têm um lar?

 VOCÊ se sente à vontade no mundo atual? Se não se sente, você não é o único. Ao longo das eras, todos os que realmente amavam a Jeová se sentiam como estranhos ou estrangeiros neste mundo. Por exemplo, ao se mudarem de um acampamento para outro na terra de Canaã, os fiéis adoradores de Deus ‘declaravam publicamente que eram estranhos e residentes temporários’. — Heb. 11:13.

2 Da mesma forma, os seguidores ungidos de Cristo, cuja “cidadania existe nos céus”, consideram-se “forasteiros e residentes temporários” no mundo atual. (Fil. 3:20; 1 Ped. 2:11) As “outras ovelhas” de Cristo também ‘não fazem parte do mundo, assim como [Jesus] não fez parte do mundo’. (João 10:16; 17:16) No entanto, o povo de Deus não é um povo sem “lar”. De fato, temos a proteção do mais seguro e amoroso lar que se possa imaginar, um lar que se percebe pelos olhos da fé. Moisés escreveu: “Ó Jeová, tu mesmo mostraste ser uma verdadeira habitação para nós durante geração após geração.” (Sal. 90:1) Como Jeová mostrou ser uma “verdadeira habitação” para seus servos leais nos tempos antigos? Em que sentido ele é uma “verdadeira habitação” para o povo que hoje leva seu nome? E como ele mostrará ser a única habitação segura no futuro?

JEOVÁ — UMA “VERDADEIRA HABITAÇÃO” PARA SEUS SERVOS DO PASSADO

3. Que tema, imagem e ponto de similaridade encontramos no Salmo 90:1?

3 Como muitas figuras de linguagem na Bíblia, o Salmo 90:1 tem um tema, uma imagem e um ponto de similaridade. O tema é Jeová. A imagem é a de uma habitação. Jeová tem muito em comum com um lugar assim. Por exemplo, ele provê proteção para seu povo. Isso se harmoniza com o fato de que Jeová é a própria personificação do amor. (1 João 4:8) Ele é também um Deus de paz, que faz com que os que lhe são leais ‘morem em segurança’. (Sal. 4:8) Considere, por exemplo, seus tratos com os fiéis patriarcas, começando com Abraão.

4, 5. Como Deus mostrou ser uma “verdadeira habitação” para Abraão?

4 Podemos imaginar como Abraão, que então se chamava Abrão, se sentiu quando Jeová lhe disse: “Sai da tua terra, e da tua parentela . . . para a terra que te mostrarei.” Se Abraão sentiu alguma ansiedade, essa sem dúvida desapareceu quando Jeová lhe disse a seguir: “Farei de ti uma grande nação e te abençoarei, e hei de engrandecer o teu nome . . . E hei de abençoar os que te abençoarem e amaldiçoarei aquele que invocar o mal sobre ti.” — Gên. 12:1-3.

5 Com essas palavras, Jeová se comprometeu a se tornar uma habitação segura para Abraão e seus descendentes. (Gên. 26:1-6) Jeová cumpriu sua promessa. Por exemplo, ele impediu que o Faraó do Egito e o Rei  Abimeleque, de Gerar, violentassem Sara e matassem Abraão. Ele protegeu Isaque e Rebeca de maneira similar. (Gên. 12:14-20; 20:1-14; 26:6-11) Lemos: “[Jeová] não permitiu que algum homem os defraudasse, mas por causa deles repreendeu reis, dizendo: ‘Não toqueis nos meus ungidos e não façais nada de mal aos meus profetas.’” — Sal. 105:14, 15.

‘Eu não te abandonarei’

6. O que Isaque disse para Jacó fazer, e como Jacó talvez tenha se sentido?

6 Um desses profetas era Jacó, neto de Abraão. Quando chegou o tempo de ele se casar, seu pai, Isaque, lhe disse: “Não deves tomar esposa dentre as filhas de Canaã. Levanta-te, vai a Padã-Arã, à casa de Betuel, pai de tua mãe, e ali toma para ti por esposa uma das filhas de Labão.” (Gên. 28:1, 2) Jacó obedeceu prontamente. Ele deixou a segurança de sua família imediata, que morava em Canaã, para viajar, evidentemente sozinho, centenas de quilômetros à região de Harã. (Gên. 28:10) Talvez ele se perguntasse: ‘Quanto tempo ficarei fora? Será que meu tio me receberá bem e me dará uma esposa temente a Deus?’ Se Jacó sentiu essa ansiedade, ela sem dúvida desapareceu quando ele chegou à cidade de Luz, uns 100 quilômetros de Berseba. O que aconteceu ali?

7. Como Deus, por meio de um sonho, renovou a confiança de Jacó?

7 Na cidade de Luz, Jeová apareceu a Jacó num sonho e lhe disse: “Eis que estou contigo e vou guardar-te em todo o caminho em que andares, e vou retornar-te a este solo, porque não te abandonarei até que eu tenha realmente feito o que te falei.” (Gên. 28:15) Essas palavras bondosas devem ter sido de grande ânimo e consolo para Jacó. Pode imaginá-lo depois disso acelerando o passo, ansioso para ver como Deus cumpriria sua palavra? Se você saiu de casa, talvez para servir no estrangeiro, com certeza entende as emoções de Jacó. Sem dúvida, tem visto evidências de como Jeová cuida de você.

8, 9. De que maneiras Jeová mostrou ser uma “verdadeira habitação” para Jacó, e o que aprendemos disso?

8 Quando Jacó chegou a Harã, seu tio Labão o acolheu calorosamente e, mais tarde, lhe deu Leia e Raquel como esposas. Com o tempo, porém, Labão tentou explorar Jacó, mudando dez vezes seu salário. (Gên. 31:41, 42) Mas Jacó suportou essas injustiças, certo de que Jeová continuaria a ajudá-lo — e ele ajudou! Realmente, na ocasião em que Deus disse a Jacó que voltasse para Canaã, esse patriarca possuía ‘grandes rebanhos, servos, camelos e jumentos’. (Gên. 30:43) Com profundo apreço, Jacó orou: “Sou indigno de todas as benevolências e de toda a fidelidade de que usaste para com o teu servo, pois atravessei este Jordão apenas com o meu bastão e agora me tornei dois acampamentos.” — Gên. 32:10.

9 Quão verdadeira foi a oração de reflexão feita por Moisés: “Ó Jeová, tu mesmo mostraste ser uma verdadeira habitação para nós durante geração após geração.” (Sal. 90:1) Essas palavras também se aplicam hoje, pois Jeová, com quem “não há variação da virada da sombra”, continua a ser uma calorosa e segura habitação para os que lhe são leais. (Tia. 1:17) Vejamos como.

JEOVÁ — NOSSA “VERDADEIRA HABITAÇÃO” HOJE

10. Por que podemos ter certeza de que Jeová continua a ser uma habitação segura para seus servos?

10 Imagine o seguinte: você está depondo num tribunal contra uma organização criminosa mundial, cujo líder é muito inteligente, poderoso, e um cruel mentiroso e assassino. Como você se sentiria ao sair do tribunal no fim do dia? Seguro? De maneira alguma! Você sem dúvida teria bons motivos para pedir proteção. Esse cenário ilustra a situação dos servos de Jeová, que com coragem testificam em favor de Jeová e destemidamente expõem Seu cruel arqui-inimigo, Satanás! (Leia Revelação 12:17.) Mas será que Satanás tem conseguido silenciar o povo de Deus? Não! Nós continuamos a prosperar espiritualmente — uma realidade que só tem uma explicação: Jeová ainda é nosso refúgio, uma “verdadeira habitação” para nós, em especial nestes últimos dias. (Leia Isaías 54:14, 17.) Mas Jeová não pode ser uma habitação segura para nós se permitirmos que Satanás nos atraia para fora dessa habitação.

Os anjos de Deus apoiam e protegem Seus servos

11. Que lição podemos aprender dos patriarcas?

11 Vamos aprender agora mais uma lição dos patriarcas. Embora morassem na terra de Canaã, eles permaneceram separados daquele povo, cujas ações perversas e imorais eles odiavam. (Gên. 27:46) Eles eram homens de princípios que não dependiam de uma longa lista de orientações sobre o que fazer e o que não fazer. O que sabiam sobre Jeová e sua personalidade era suficiente para eles. Visto que Deus era sua habitação, não queriam chegar o mais perto possível do mundo. Em vez disso, permaneceram o mais longe possível dele. Que excelente exemplo nos deram! Você se esforça em imitar os fiéis patriarcas na sua escolha de amigos e diversão? Infelizmente, alguns dentre o povo de Jeová dão sinais de que, pelo menos até certo ponto, se sentem confortáveis no mundo de Satanás. Se esse é o seu caso, mesmo em pequeno grau, ore a respeito disso. Lembre-se: este mundo é de Satanás. Ele reflete seu espírito frio e egoísta. — 2 Cor. 4:4; Efé. 2:1, 2.

12. (a) Como Jeová faz provisões para sua família espiritual? (b) O que você acha dessas provisões?

12 Para resistir às maquinações de Satanás, temos de aproveitar plenamente as provisões espirituais de Jeová para sua família da fé, os que fazem dele sua habitação. Essas provisões incluem as reuniões cristãs, adoração em família e “dádivas em homens” — pastores designados por Deus para nos consolar e apoiar na nossa luta contra os desafios da vida. (Efé. 4:8-12) O irmão George Gangas, que por muitos anos foi membro do Corpo Governante, escreveu: “Quando estou entre [o povo de Deus], sinto-me em casa junto com minha família, num paraíso espiritual.” Você sente o mesmo?

13. Que importante lição podemos tirar de Hebreus 11:13?

13 Outra qualidade dos patriarcas digna de ser imitada é sua disposição de se destacar como diferentes das pessoas ao seu redor. Como mencionado no  parágrafo 1, eles “declararam publicamente que eram estranhos e residentes temporários no país”. (Heb. 11:13) Você está decidido a se destacar como diferente? É verdade que fazer isso nem sempre é fácil. Mas, com a ajuda de Deus e o apoio de seus irmãos, você pode ser bem-sucedido. Lembre-se: você não está sozinho. Todos os que querem servir a Jeová têm uma luta a travar. (Efé. 6:12) Ainda assim, é uma luta que podemos vencer se confiarmos em Jeová e fizermos dele nossa habitação segura.

14. Que “cidade” os servos de Jeová aguardavam?

14 Isto também é importante: imite Abraão por manter os olhos no prêmio. (2 Cor. 4:18) O apóstolo Paulo escreveu que Abraão “aguardava a cidade que tem verdadeiros alicerces, cujo construtor e fazedor é Deus”. (Heb. 11:10) Mais tarde, ficou evidente que essa “cidade” é o Reino messiânico. Abraão, naturalmente, tinha de esperar essa “cidade”. Em certo sentido, nós não temos que esperar. Esse Reino já governa no céu. Além disso, crescentes evidências indicam que em breve ele assumirá o pleno controle da Terra. Esse Reino é real para você? Influencia seu modo de encarar a vida, seu conceito sobre o mundo atual e suas prioridades? — Leia 2 Pedro 3:11, 12.

NOSSA “VERDADEIRA HABITAÇÃO” À MEDIDA QUE O FIM SE APROXIMA

15. O que o futuro tem em reserva para os que confiam no mundo atual?

15 Com a proximidade do fim do mundo de Satanás, as “dores de aflição” aumentarão. (Mat. 24:7, 8) As coisas com certeza vão piorar durante a grande tribulação. As infraestruturas entrarão em colapso e as pessoas temerão pela sua própria vida. (Hab. 3:16, 17) Por puro desespero, elas, por assim dizer, buscarão refúgio “em cavernas e nas rochas dos montes”. (Rev. 6:15-17) Mas nem cavernas nem organizações políticas e comerciais comparáveis a montes darão qualquer proteção.

16. Como devemos encarar as congregações, e por quê?

16 O povo de Jeová, porém, continuará a desfrutar da segurança de sua “verdadeira habitação” — Jeová Deus. Assim como o profeta Habacuque, eles ‘rejubilarão com o próprio Jeová. Vão jubilar com o Deus de sua salvação’. (Hab. 3:18) De que maneiras Jeová será uma “verdadeira habitação” durante esse período tumultuado? Temos de esperar para ver. Mas podemos ter esta certeza: assim como os israelitas na época do Êxodo, a “grande multidão” permanecerá organizada, sempre alerta às orientações divinas. (Rev. 7:9; Leia Êxodo 13:18.) Essas orientações virão de maneira teocrática, provavelmente por meio das congregações. De fato, os muitos milhares de congregações ao redor do mundo pelo visto se relacionam com os “quartos interiores” de proteção preditos em Isaías 26:20. (Leia.) Você valoriza as reuniões de congregação? Aplica prontamente as orientações que Jeová dá por meio das congregações? — Heb. 13:17.

17. De que modo Jeová é “verdadeira habitação” mesmo para seus servos que morreram fiéis?

17 Até mesmo os que talvez morram fielmente antes do início da grande tribulação permanecerão seguros com Jeová, sua “verdadeira habitação”. Como assim? Muito tempo depois de os fiéis patriarcas já terem falecido, Jeová disse a Moisés: “Eu sou o Deus de . . . Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó.” (Êxo. 3:6) Tempos depois, após citar essas palavras, Jesus acrescentou: “Ele é Deus, não de mortos, mas de viventes, pois, para ele, todos estes vivem.” (Luc. 20:38) De fato, para Jeová, os que morreram fiéis são considerados como se estivessem vivos; sua ressurreição é certa. — Ecl. 7:1.

18. No novo mundo, de que maneira especial Jeová será uma “verdadeira habitação” para seu povo?

18 No iminente novo mundo, Jeová se tornará uma “verdadeira habitação” para seu povo em ainda outro sentido. Revelação 21:3 diz: “Eis que a tenda de Deus está com a humanidade, e ele residirá com eles.” De início, Jeová residirá simbolicamente com seus súditos terrestres por meio de Cristo Jesus. No fim dos mil anos, Jesus entregará o Reino a seu Pai, tendo cumprido plenamente o propósito de Deus para a Terra. (1 Cor. 15:28) Depois disso, a humanidade levada à perfeição não precisará mais de Jesus como intercessor; Jeová estará com eles. Que maravilhosa perspectiva! Enquanto isso, portanto, esforcemo-nos em imitar as fiéis gerações do passado por fazer de Jeová nossa “verdadeira habitação”.