Pular para conteúdo

Pular para sumário

Honre o grande nome de Jeová

Honre o grande nome de Jeová

“Glorificarei o teu nome por tempo indefinido.” — Sal. 86:12.

1, 2. Em contraste com as religiões da cristandade, como as Testemunhas de Jeová encaram o nome de Deus?

DE MODO GERAL, as religiões da cristandade se distanciaram do nome de Deus. Por exemplo, a Revised Standard Version (Versão Padrão Revisada) diz no seu prefácio: “O uso de um nome próprio para o Deus único e exclusivo . . . é inteiramente impróprio para a fé universal da Igreja Cristã.”

2 As Testemunhas de Jeová, por outro lado, se orgulham de levar o nome de Deus e glorificá-lo. (Leia Salmo 86:12; Isaías 43:10.) Além disso, consideramos um privilégio entender o significado desse nome e a questão universal que envolve sua santificação. (Mat. 6:9) Mas nunca devemos considerar esse privilégio como algo trivial. Assim sendo, vejamos três perguntas importantes: O que significa conhecer o nome de Deus? Como Jeová tem vivido à altura de seu grande nome, glorificando-o ainda mais? E como nós podemos viver à altura do nome de Jeová?

O QUE SIGNIFICA CONHECER O NOME DE DEUS

3. O que significa conhecer o nome de Deus?

3 Conhecer o nome de Deus significa mais do que apenas conhecer a palavra “Jeová”. Inclui conhecer a reputação de Jeová, bem como suas qualidades, seu propósito e suas atividades conforme reveladas na Bíblia, tais como seus tratos com seus servos. Naturalmente, Jeová dá esse entendimento de modo gradativo, segundo o desenrolar de seu propósito. (Pro. 4:18) Jeová revelou seu nome ao primeiro casal humano; assim, Eva usou esse nome depois de ter dado à luz a Caim. (Gên. 4:1) Os fiéis patriarcas Noé, Abraão, Isaque e Jacó conheciam o nome de Deus. Além disso, seu apreço por esse nome aumentava ao passo que Jeová os abençoava, cuidava deles e lhes revelava aspectos de seu propósito. Moisés recebeu um entendimento especial do significado do nome de Deus.

Moisés sabia o significado do nome de Deus e isso fortaleceu a sua fé

4. Por que Moisés indagou a Deus a respeito de Seu nome, e por que sua preocupação era compreensível?

4 Leia Êxodo 3:10-15. Quando Moisés tinha 80 anos, Deus lhe deu uma ordem de peso: “Faze que meu povo, os filhos de Israel, saia do Egito.” Moisés reagiu respeitosamente, fazendo uma pergunta de profundo significado. Ele perguntou: “Qual é o seu nome?” Considerando que o nome de Deus já era conhecido havia muito tempo, por que Moisés fez essa pergunta? Evidentemente, ele queria saber mais sobre a pessoa representada pelo nome — fatos que convenceriam o povo de Deus de que Ele realmente os libertaria. A preocupação de Moisés se justificava, pois os israelitas já eram escravos por algum tempo. Eles provavelmente se perguntariam se o Deus de seus antepassados seria capaz de libertá-los. Isso seria de esperar, pois alguns israelitas haviam até mesmo passado a adorar deuses egípcios. — Eze. 20:7, 8.

5. Como Jeová lançou mais luz sobre o significado de seu nome na sua resposta a Moisés?

5 Como Jeová respondeu à pergunta de Moisés? Ele disse, em parte: “Isto é o que deves dizer aos filhos de Israel: ‘MOSTRAREI SER enviou-me a vós.’” * E acrescentou: “Jeová, o Deus de vossos antepassados . . . enviou-me a vós.” Deus revelou que ele se tornaria o que quer que decidisse se tornar para cumprir seu propósito, e que sempre seria fiel à sua palavra. Assim, no versículo 15 lemos que o próprio Jeová disse: “Este é o meu nome por tempo indefinido e esta é a recordação de mim por geração após geração.” Essa revelação deve ter fortalecido muito a fé de Moisés e o fez sentir grande reverência por Deus.

JEOVÁ AGIU À ALTURA DE SEU NOME

6, 7. Como Jeová agiu plenamente à altura de seu grande nome?

6 Pouco depois de ter dado a missão a Moisés, Jeová agiu plenamente à altura de seu nome por ‘mostrar ser’ o Libertador de Israel. Ele humilhou o Egito com dez pragas devastadoras, ao mesmo tempo expondo os deuses egípcios — incluindo Faraó — como incapazes de salvar. (Êxo. 12:12) Daí Jeová abriu o mar Vermelho, conduziu Israel através dele e afogou Faraó e sua força militar. (Sal. 136:13-15) No “grande e atemorizante ermo”, Jeová mostrou ser Preservador de vidas ao prover alimento e água a seu povo, de talvez dois a três milhões de pessoas ou mais! Até mesmo fez com que suas roupas e sandálias não se gastassem. (Deut. 1:19; 29:5) Realmente, nada pode impedir Jeová de se mostrar fiel ao seu incomparável nome. Ele disse mais tarde a Isaías: “Eu é que sou Jeová, e além de mim não há salvador.” — Isa. 43:11.

7 O sucessor de Moisés, Josué, também presenciou atos espantosos de Jeová no Egito e no ermo. Portanto, perto do fim de sua vida, Josué podia dizer com sincera convicção aos israelitas: “Vós bem sabeis, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, que não falhou nem uma única de todas as boas palavras que Jeová, vosso Deus, vos falou. Todas elas se cumpriram para convosco. Nem uma única palavra delas falhou.” (Jos. 23:14) De fato, em termos nada incertos, Jeová cumpriu sua palavra — ele ‘mostrou ser’.

8. Como Jeová tem agido à altura de seu nome em nossos dias?

8 Da mesma maneira hoje, Jeová está ‘mostrando ser’. Por meio de seu Filho, ele predisse que durante os últimos dias a mensagem do Reino seria pregada “em toda a terra habitada”. (Mat. 24:14) Quem a não ser o Deus Todo-Poderoso poderia predizer essa obra, cuidar de que fosse realizada e usar muitas pessoas ‘indoutas e comuns’ para realizá-la? (Atos 4:13) Desse modo, ao participarmos nessa obra, na realidade participamos no cumprimento de profecia bíblica. Honramos nosso Pai e mostramos que levamos a sério o que pedimos em oração: “Santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” — Mat. 6:9, 10.

SEU NOME É GRANDIOSO

Faraó recusou-se a reconhecer a Jeová como Deus

9, 10. Por meio de seus tratos com Israel, como Jeová continuou a acrescentar significado ao seu nome, e com que resultados?

9 Pouco depois do Êxodo de Israel, Jeová tornou-se algo novo para seu povo. Por meio do pacto da Lei, ele se tornou seu “dono marital”, assumindo voluntariamente todas as responsabilidades envolvidas nisso. (Jer. 3:14) Os israelitas, por sua vez, tornaram-se sua esposa simbólica — o povo que levava seu nome. (Isa. 54:5, 6) À medida que eles se submetessem voluntariamente a ele e obedecessem seus mandamentos, ele mostraria ser o ‘Marido’ perfeito. Ele os abençoaria, os protegeria e lhes daria paz. (Núm. 6:22-27) Desse modo, o grande nome de Jeová seria glorificado entre as nações. (Leia Deuteronômio 4:5-8; Salmo 86:7-10.) Realmente, ao longo da história de Israel, muitos estrangeiros foram atraídos à adoração verdadeira. Esses na realidade disseram o mesmo que a moabita Rute disse a Noemi: “Teu povo será o meu povo, e teu Deus, o meu Deus.” — Rute 1:16.

10 Por uns 1.500 anos, os tratos de Jeová com Israel revelaram muitas novas facetas de sua personalidade. Apesar das rebeldias do povo, Jeová vez após vez mostrou ser “Deus misericordioso” e “vagaroso em irar-se”. Ele era um Deus de extraordinária paciência e longanimidade. (Êxo. 34:5-7) A sua paciência, no entanto, tinha limite, e isso se deu quando a nação judaica rejeitou e matou Seu Filho. (Mat. 23:37, 38) Os descendentes naturais de Israel deixaram de ser o povo que levava o nome de Deus. Na maioria, tornaram-se espiritualmente mortos, como uma árvore ressequida. (Luc. 23:31) Como isso afetou a atitude deles com relação ao nome divino?

11. Como o nome de Deus deixou de estar associado à nação judaica?

11 A História indica que, com o tempo, os judeus desenvolveram uma atitude supersticiosa para com o nome de Deus, encarando-o como algo que eles não deviam pronunciar. (Êxo. 20:7) O nome de Deus aos poucos deixou de estar associado ao judaísmo. Jeová sem dúvida deve ter se sentido magoado com tanta falta de respeito pelo seu nome. (Sal. 78:40, 41) Contudo, Deus, “cujo nome é Ciumento”, obviamente não vincularia para sempre seu nome a um povo que o repudiou e a quem ele repudiou. (Êxo. 34:14) Esse fato deve incutir em nós a importância de tratar o nome do Criador com grande respeito.

UM NOVO POVO QUE LEVA O NOME DE DEUS

12. Como Jeová produziu o predito povo para o seu nome?

12 Por meio de Jeremias, Jeová revelou seu propósito de estabelecer “um novo pacto” com uma nova nação, o Israel espiritual. Jeremias predisse que todos os seus membros, ‘desde o menor deles até o maior deles, conheceriam a Jeová’. (Jer. 31:31, 33, 34) Essa profecia começou a se cumprir no Pentecostes de 33 EC, quando Deus estabeleceu o novo pacto. A nova nação, o “Israel de Deus”, que incluía judeus e não judeus, tornou-se ‘um povo para o nome de Deus’ ou, como disse Jeová, “pessoas chamadas por meu nome”. — Gál. 6:16; leia Atos 15:14-17; Mat. 21:43.

13. (a) Os primeiros cristãos usavam o nome de Deus? Explique. (b) Como você encara o privilégio de usar o nome de Jeová no seu ministério?

13 Como ‘pessoas chamadas pelo nome de Deus’, os membros dessa nação espiritual usavam o nome divino, certamente fazendo isso ao citar as Escrituras Hebraicas. * Assim, quando o apóstolo Pedro falou a uma assistência internacional de judeus e prosélitos no Pentecostes de 33 EC, ele usou o nome de Deus várias vezes. (Atos 2:14, 20, 21, 25, 34) Os primeiros cristãos honravam a Jeová, de modo que ele, por sua vez, abençoava seus esforços na pregação. Da mesma forma hoje, Jeová abençoa nosso ministério quando, com grande honra, proclamamos seu nome e o mostramos a interessados, se possível na sua própria Bíblia. Com isso lhes tornamos conhecido o Deus verdadeiro. Que privilégio — para eles e para nós! Esse conhecimento pode, em alguns casos, ser o início de uma relação maravilhosa com Jeová que ficará cada vez mais forte e durará para sempre.

14, 15. Apesar do avanço da apostasia, o que Jeová tem feito a respeito de seu memorável nome?

14 A apostasia mais tarde passou a contaminar a congregação cristã, em especial depois da morte dos apóstolos. (2  Tes. 2:3-7) Falsos instrutores até mesmo adotaram a tradição judaica de não usar o nome de Deus. Mas será que Jeová permitiria que seu memorável nome fosse apagado? Jamais! É verdade que não é possível determinar sua pronúncia exata, mas o nome perdura. Com o tempo, ele apareceu em várias traduções da Bíblia, bem como nos escritos de eruditos bíblicos. Por exemplo, em 1757, Charles Peters escreveu que “Jeová”, em contraste com os muitos títulos de Deus, “parece ser o que melhor exprime Sua essência”. Num livro de 1797 sobre a adoração de Deus, Hopton Haynes começa assim o capítulo 7: “JEOVÁ, o nome próprio de DEUS entre os judeus; o único a quem eles adoravam; assim como faziam Cristo e os Apóstolos.” Henry Grew (1781-1862) não apenas usava o nome de Deus, mas também reconhecia que esse nome havia sido vituperado e tinha de ser santificado. George Storrs (1796-1879), um íntimo associado de Charles T. Russell, também usava o nome de Deus, como o próprio Russell usava.

15 O ano de 1931 foi especialmente notável, pois nesse ano os Estudantes Internacionais da Bíblia, como o povo de Deus até então se chamava, adotaram o nome bíblico Testemunhas de Jeová. (Isa. 43:10-12) Assim, eles anunciaram ao mundo que se orgulhavam de ser servos do único Deus verdadeiro, “um povo para o seu nome”, louvando esse nome. (Atos 15:14) Esses acontecimentos fazem lembrar as palavras de Jeová em Malaquias 1:11: “Meu nome será grande entre as nações desde o nascente do sol até o seu poente.”

ANDE NO NOME DE JEOVÁ

16. Por que devemos considerar uma honra andar no nome de Jeová?

16 O profeta Miqueias escreveu: “Todos os povos, da sua parte, andarão cada um no nome de seu deus; mas nós, da nossa parte, andaremos no nome de Jeová, nosso Deus, por tempo indefinido, para todo o sempre.” (Miq. 4:5) Ter Jeová permitido que os Estudantes da Bíblia adotassem Seu nome foi mais do que apenas uma grande honra. Foi também uma indicação reanimadora de que tinham a aprovação divina. (Leia Malaquias 3:16-18.) Mas que dizer de você? Faz todo esforço possível para ‘andar no nome de Jeová’? Reconhece o que isso envolve?

17. O que está envolvido em andar no nome de Deus?

17 Andar no nome de Deus envolve pelo menos três coisas. Primeiro, temos de proclamar esse nome a outros, reconhecendo que apenas os que ‘invocarem o nome de Jeová serão salvos’. (Rom. 10:13) Segundo, temos de refletir as qualidades de Jeová, em especial o seu amor. E terceiro, andamos no nome de Deus quando alegremente nos submetemos aos seus justos padrões, evitando assim trazer vitupério sobre o santo nome de nosso Pai. (1 João 4:8; 5:3) Você está decidido a ‘andar no nome de Jeová, nosso Deus, por tempo indefinido’?

18. Por que todos os que honram o grande nome de Jeová podem aguardar o futuro com confiança?

18 Em breve, todos os que desprezam ou desafiam a Jeová serão obrigados a saber quem ele é. (Eze. 38:23) Isso inclui pessoas como Faraó, que disse: “Quem é Jeová, que eu deva obedecer à sua voz?” Ele logo descobriu! (Êxo. 5:1, 2; 9:16; 12:29) Nós, porém, escolhemos conhecer a Jeová. Temos orgulho de levar seu nome e de ser o obediente povo chamado pelo seu nome. Assim, aguardamos o futuro confiantes na promessa registrada no Salmo 9:10: “Os que conhecem o teu nome confiarão em ti, pois certamente não abandonarás os que te buscam, ó Jeová.”

^ parágrafo 5 O nome de Deus é uma forma de um verbo hebraico que significa “vir a ser”, “tornar-se”. Assim, “Jeová” significa “Ele Causa que Venha a Ser”. — Gên. 2:4, nota.

^ parágrafo 13 O texto hebraico usado pelos primeiros cristãos continha o Tetragrama. A evidência aponta para a conclusão de que o mesmo ocorria com as cópias mais antigas da Septuaginta, uma tradução das Escrituras Hebraicas para o grego.