Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

A Sentinela (Edição de Estudo)  |  Outubro de 2017

A verdade traz “não a paz, mas a espada”

A verdade traz “não a paz, mas a espada”

“Não pensem que vim trazer paz à terra; vim trazer não a paz, mas a espada.” — MAT. 10:34.

CÂNTICOS: 43, 24

1, 2. (a) Que tipo de paz nós já sentimos? (b) Por que ainda não temos paz em todos os sentidos? (Veja a foto no começo do estudo.)

TODOS nós queremos viver em paz e sem ansiedade. Por isso, ficamos gratos de que Jeová nos dá a “paz de Deus”. (Fil. 4:6, 7) Isso nos dá tranquilidade e nos ajuda a evitar pensamentos e sentimentos ruins. Quando dedicamos nossa vida a Jeová, nós também temos “paz com Deus”, ou seja, nós desenvolvemos uma amizade forte com ele. — Rom. 5:1.

2 Mas, por enquanto, ainda não temos paz em todos os sentidos. Afinal, estamos nos últimos dias. O mundo está passando por vários conflitos, e as pessoas costumam brigar por qualquer motivo. (2 Tim. 3:1-4) Além disso, temos uma guerra contra Satanás e as mentiras que ele inventa. (2 Cor. 10:4, 5) Outra ameaça à nossa paz talvez seja a atitude dos nossos parentes descrentes. Pode ser que alguns deles falem mal das nossas crenças ou nos acusem de causar divisão na família. Alguns talvez até digam que, se continuarmos servindo a Jeová, não precisamos mais nos considerar parte da família. Como devemos encarar esse tipo de situação? E o que podemos fazer para lidar com a oposição de parentes?

COMO ENCARAR A OPOSIÇÃO DA FAMÍLIA

3, 4. (a) Que efeito os ensinos de Jesus podem ter? (b) Em que situação ser seguidor de Cristo é um desafio ainda maior?

3 Jesus sabia que nem todos iriam aceitar os seus ensinos. Alguns até ficariam contra a verdade. Por isso, seus seguidores precisariam de coragem. Jesus deixou claro que mesmo dentro da família a paz poderia ficar ameaçada. Ele disse: “Não pensem que vim trazer paz à terra; vim trazer não a paz, mas a espada. Pois vim causar divisão: o homem contra o pai, a filha contra a mãe, e a nora contra a sogra. Realmente, os inimigos do homem serão os da sua própria casa.” — Mat. 10:34-36.

4 Note as palavras: “Não pensem que vim trazer paz.” Com isso, Jesus queria dizer que seguir a ele resultaria em algumas dificuldades. Sua mensagem causaria divisão entre as pessoas. É claro que o objetivo de Jesus não era prejudicar o relacionamento de ninguém. Ele veio à Terra para pregar a verdade. (João 18:37) Mas o fato é que seguir a Cristo é um desafio para nós. E esse desafio é ainda maior quando nossos parentes ou melhores amigos rejeitam a verdade.

5. O que os seguidores de Cristo precisam estar dispostos a suportar?

5 Para termos a honra de seguir a Cristo, temos que suportar alguns sofrimentos. Entre eles, a oposição da família. (Mat. 10:38) Às vezes, nossos parentes riem de nós ou nos rejeitam. Mas podemos ter certeza que, quando seguimos a Cristo, ganhamos muito mais do que perdemos. — Leia Marcos 10:29, 30.

6. Do que precisamos lembrar se nossos parentes tentarem nos impedir de servir a Jeová?

6 Pode ser que nossos parentes tentem nos impedir de servir a Jeová. Isso não muda nosso amor por eles, mas precisamos lembrar que nosso amor por Jeová e Jesus vem em primeiro lugar. (Mat. 10:37) Também não podemos esquecer que Satanás vai usar o amor que temos pelos nossos parentes para testar nossa lealdade a Jeová. Por isso, vamos ver algumas situações que podem surgir na família e como podemos lidar com elas.

QUANDO O MARIDO OU A ESPOSA NÃO SERVE A JEOVÁ

7. Como os que têm marido ou esposa descrente devem ver sua situação?

7 A Bíblia diz que os casados “terão dificuldades na vida”. (1 Cor. 7:28) Se seu marido ou sua esposa não serve a Jeová, talvez você tenha ainda mais dificuldades. Mas é importante ver sua situação do ponto de vista de Jeová. O fato de que seu marido ou sua esposa atualmente não quer seguir a Cristo não é motivo para separação ou divórcio. (1 Cor. 7:12-16) Um marido descrente talvez não cuide da espiritualidade da família. Mesmo assim, ele é o cabeça da família e deve ser respeitado. Do mesmo modo, uma esposa descrente merece o cuidado e o amor do marido. — Efé. 5:22, 23, 28, 29.

8. Se seu marido ou sua esposa tenta limitar seu serviço a Jeová, no que você deve pensar?

8 Pode ser que seu marido ou sua esposa tente limitar o que você faz no serviço de Jeová. Isso aconteceu com uma irmã. O marido dela não queria que ela fosse na pregação em alguns dias da semana. Se você estiver numa situação parecida, pense: ‘Será que meu marido está tentando me impedir de adorar a Jeová? Se não é esse o caso, será que não é melhor fazer o que ele está pedindo?’ Ser flexível pode ajudar você a evitar problemas desnecessários. — Fil. 4:5.

9. Como você pode ajudar seu filho a honrar o pai ou a mãe descrente?

9 A criação dos filhos é outro desafio quando o marido ou a esposa não serve a Jeová. Por exemplo, você precisa ensinar seu filho a obedecer à ordem: “Honre seu pai e sua mãe.” (Efé. 6:1-3) Mas suponhamos que o pai não siga o que a Bíblia diz. Mesmo assim, o filho deve dar honra a ele. E a esposa cristã deve dar o exemplo nesse sentido. Concentre-se nas boas qualidades do seu marido. Agradeça a ele por todas as coisas boas que ele faz. Não faça comentários negativos sobre ele na frente do seu filho. Em vez disso, explique que cada pessoa tem o direito de decidir se vai servir a Jeová ou não. O bom exemplo do seu filho pode ajudar o pai ou a mãe descrente a se interessar pela verdade.

Aproveite todas as oportunidades para ensinar a verdade da Bíblia ao seu filho (Veja o parágrafo 10.)

10. Como o pai ou a mãe pode ensinar a verdade ao filho?

10 Às vezes, o marido ou a esposa descrente exige que o filho aprenda suas crenças religiosas ou participe em uma comemoração que a Bíblia não aprova. Alguns maridos até proíbem a esposa de ensinar a Bíblia para os filhos. Mesmo assim, os cristãos fazem o possível para ensinar a verdade aos filhos. (Atos 16:1; 2 Tim. 3:14, 15) Por exemplo, talvez o marido de uma irmã não deixe que ela dirija estudo bíblico para o filho menor de idade. Ele talvez proíba a irmã de levar o filho às reuniões. A irmã vai respeitar a decisão do marido. Mas ela pode aproveitar todas as oportunidades possíveis para ajudar o filho a aprender sobre Jeová e sobre o que é certo. (Atos 4:19, 20) É claro que, por fim, o próprio filho terá que decidir se vai servir a Jeová. — Deut. 30:19, 20. *

QUANDO PARENTES SE OPÕEM À VERDADE

11. O que talvez crie problemas entre você e seus parentes?

11 De início, pode ser que você não tenha contado para a sua família que estava estudando a Bíblia. Mas, à medida que sua fé foi ficando mais forte, você viu que não podia esconder suas crenças. (Mar. 8:38) Sua decisão de servir a Jeová foi corajosa, mas isso talvez tenha criado alguns problemas entre você e seus parentes. Nesse caso, veja o que você pode fazer para diminuir a tensão e continuar leal a Jeová.

12. (a) O que pode levar nossos parentes a se opor à verdade? (b) Como podemos mostrar empatia?

12 Tente entender os sentimentos dos seus parentes. Nós ficamos muito felizes quando aprendemos a verdade da Bíblia. Mas pode ser que nossos parentes se oponham à verdade. Por quê? Eles podem achar que estamos sendo enganados ou que estamos nos envolvendo com uma seita. Ou talvez pensem que não gostamos mais deles porque paramos de comemorar alguns feriados. Dependendo da religião deles, talvez pensem que algo ruim vai acontecer com a gente após a morte. Mas precisamos mostrar empatia e tentar entender o ponto de vista deles. Precisamos ouvir o que eles têm a dizer e identificar quais são as preocupações deles. (Pro. 20:5) Veja o exemplo do apóstolo Paulo. Ao pregar as boas novas, ele se esforçava para entender “pessoas de todo tipo”. Assim como ele, devemos tentar entender nossos parentes. — 1 Cor. 9:19-23.

13. Como devemos falar com nossos parentes?

13 Fale de modo brando. A Bíblia diz que as nossas palavras devem ser “sempre agradáveis”. (Col. 4:6) Podemos pedir que Jeová nos dê espírito santo para nos ajudar a conversar com nossos parentes de modo bondoso e brando. Nós não devemos discutir sobre cada crença errada que eles têm. Se eles falarem ou fizerem algo que nos magoa, podemos imitar os apóstolos. Paulo escreveu: “Quando insultados, abençoamos; quando perseguidos, suportamos com paciência; quando caluniados, respondemos com brandura.” — 1 Cor. 4:12, 13.

14. Por que devemos dar um bom exemplo?

14 Sempre dê um bom exemplo. Falar de modo bondoso é importante, mas dar um bom exemplo é ainda mais. (1 Ped. 3:1, 2, 16.) Por isso, dê um bom exemplo aos seus parentes. Deixe que eles percebam que quem serve a Jeová tem um casamento feliz, cuida bem dos filhos, tem boa moral e alegria na vida. Mesmo que nossos parentes nunca aceitem a verdade, ficamos felizes de saber que nosso bom exemplo agrada a Jeová.

15. Por que devemos tentar prever situações que poderiam levar a uma discussão?

15 Tente prever situações que poderiam levar a uma discussão. Isso vai ajudar você a saber como evitar essas situações. (Pro. 12:16, 23) Uma irmã da Austrália diz: “Meu sogro era muito opositor e às vezes ficava nervoso. Então, antes de eu e meu marido falarmos com ele por telefone, a gente fazia uma oração e pedia pra Jeová nos ajudar a ficar calmos. Para que a conversa não terminasse em discussão sobre religião, a gente pensava bem no que ia dizer e em quanto tempo ia durar a ligação.”

16. O que pode ajudar você a não se sentir culpado por deixar seus parentes chateados?

16 Seus parentes descrentes não vão concordar com você em tudo. E algumas discussões podem acabar fazendo você se sentir culpado, afinal você ama os seus parentes e não quer que eles fiquem chateados com você. Mas não se esqueça: a sua lealdade a Jeová deve vir à frente do seu amor pelos parentes. Se você for leal a Jeová, seus parentes talvez entendam que fazer o que a Bíblia diz é uma questão de vida ou morte. Deixe claro, pelo seu exemplo, que servir a Jeová é o melhor modo de vida. E lembre que você não pode obrigar ninguém a aceitar a verdade. Jeová dá aos seus parentes a mesma oportunidade que deu a você: a liberdade de escolher como levar a vida. — Isa. 48:17, 18.

QUANDO UM PARENTE ABANDONA A JEOVÁ

17, 18. O que pode ajudar você quando um parente abandona a Jeová?

17 Quando alguém da família é desassociado ou se dissocia, é como se a gente sentisse uma facada no peito. Como você pode lidar com essa dor?

18 Continue com suas atividades espirituais. Para não desanimar, leia a Bíblia todos os dias, prepare e assista às reuniões, vá ao serviço de campo e ore pedindo força para perseverar. (Judas 20, 21) Mas e se você sentir que está fazendo tudo no piloto automático? Talvez você continue com suas atividades, mas seu coração parece estar em outro lugar. Nesse caso, não desista! Se você continuar concentrado no serviço de Jeová, logo vai conseguir controlar seus sentimentos. Veja o que aconteceu com o escritor do Salmo 73. Ele estava com um ponto de vista errado sobre algumas coisas, e isso o deixou muito confuso. Mas, quando ele foi ao local de adoração de Jeová, conseguiu ver as coisas do ponto de vista certo. (Sal. 73:16, 17) O mesmo vai acontecer com você se continuar servindo lealmente a Jeová.

19. Como você pode mostrar que respeita a disciplina de Jeová?

19 Respeite a disciplina de Jeová. No início, a desassociação causa muita tristeza. Mas, em longo prazo, pode resultar no melhor para todos, inclusive para a pessoa que errou. (Leia Hebreus 12:11.) Por exemplo, Jeová diz que devemos ‘parar de ter convivência’ com pecadores que não se arrependeram. (1 Cor. 5:11-13) Então, mesmo sendo difícil, não devemos manter contato desnecessário com um parente desassociado, seja por telefone, cartas, mensagens de texto, e-mails ou redes sociais.

20. Que esperança devemos ter?

20 Não perca as esperanças. O amor “espera todas as coisas”. (1 Cor. 13:7) Por isso, esperamos que as pessoas que abandonaram a Jeová voltem para ele. Às vezes, percebemos que um parente está mudando de atitude. Nesse caso, podemos orar para que a Bíblia o fortaleça e ele volte para Jeová. — Isa. 44:22.

21. O que você deve fazer se estiver enfrentando oposição da família?

21 Jesus disse que, se colocarmos qualquer humano acima dele, não merecemos ser seguidores dele. Mas Jesus confiava que seus discípulos teriam coragem de continuar leais, mesmo enfrentando oposição da família. Se você estiver passando por isso, confie que Jeová vai ajudá-lo a lidar com esses desafios. (Isa. 41:10, 13) Jeová e Jesus estão felizes com a sua decisão e vão recompensar sua lealdade.

^ parágrafo 10 Para mais sugestões sobre como criar filhos numa família em que pai e mãe são de religiões diferentes, veja “Perguntas dos Leitores”, em A Sentinela de 15 de agosto de 2002.