Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO TRÊS

O “pai de todos os que têm fé”

O “pai de todos os que têm fé”

1, 2. Como o mundo tinha mudado desde os dias de Noé, e como isso afetou Abraão?

ABRAÃO olhou para cima e fixou seu olhar no imponente zigurate, uma construção em forma de pirâmide, que se destacava em sua cidade natal, Ur. * Ali se ouvia o som de muitas pessoas, e subia uma fumaça. Os sacerdotes do deus-lua estavam oferecendo sacrifícios novamente. Imagine Abraão virando as costas e balançando a cabeça, com a testa franzida. Enquanto ia para casa, passando entre muitas pessoas pelas ruas, ele provavelmente pensou na idolatria que tomava conta de Ur. Como a mancha daquela adoração corrompida tinha se espalhado pelo mundo desde os dias de Noé!

2 Noé morreu apenas dois anos antes de Abraão nascer. Quando Noé e sua família saíram da arca depois do Dilúvio, aquele patriarca ofereceu um sacrifício a Jeová Deus, que então fez aparecer um arco-íris. (Gên. 8:20; 9:12-14) Naquela época, a única adoração que existia no mundo era a adoração pura. Mas agora, ao passo que a décima geração de Noé se espalhava pela Terra, a adoração pura ficava cada vez mais rara. Pessoas em toda a parte adoravam deuses pagãos. Até mesmo o pai de Abraão, Tera, estava envolvido em idolatria, talvez fabricando ídolos. — Jos. 24:2.

Como Abraão se tornou um exemplo tão notável de fé?

3. À medida que os anos passavam, que qualidade se destacava em Abraão, e o que podemos aprender disso?

3 Abraão era diferente. À medida que os anos passavam, ele se destacava cada vez mais por causa de sua fé. De fato, o apóstolo Paulo foi mais tarde inspirado a chamá-lo de o “pai de todos os que têm fé”. (Leia Romanos 4:11.) Vejamos o que ajudou Abraão a desenvolver essa qualidade. Assim, nós mesmos poderemos aprender muito sobre como aumentar a nossa fé.

Adoração a Jeová após o Dilúvio

4, 5. Por meio de quem Abraão deve ter aprendido sobre Jeová, e por que podemos concluir que isso é possível?

4 Como Abraão aprendeu sobre Jeová Deus? Sabemos que Jeová tinha servos fiéis na Terra naqueles dias. Um deles era Sem. Embora não fosse o mais velho dos três filhos de Noé, em geral ele é mencionado primeiro, provavelmente por causa de sua notável fé. * Um tempo depois do Dilúvio, Noé se referiu a Jeová como o “Deus de Sem”. (Gên. 9:26) Sem tinha respeito por Jeová e pela adoração pura.

5 Será que Abraão conhecia Sem? É provável. Quando era criança, Abraão deve ter ficado fascinado de saber que tinha um ancestral vivo que já havia presenciado mais de 400 anos de história humana! Sem tinha visto toda a maldade do mundo pré-diluviano, o grande Dilúvio que tinha limpado a Terra, a formação das primeiras nações à medida que a humanidade se multiplicava e a época sombria da rebelião de Ninrode na Torre de Babel. O fiel Sem não se envolveu naquela rebelião. Assim, quando Jeová confundiu a língua dos construtores daquela torre, Sem e sua família continuaram a falar a língua original da humanidade, a mesma língua de Noé. Abraão era dessa família e certamente cresceu tendo muito respeito por Sem. Além disso, Sem continuou vivo durante a maior parte da longa vida de Abraão. Portanto, deve ter sido por meio de Sem que Abraão aprendeu sobre Jeová.

Abraão rejeitou a idolatria, que era tão comum em Ur

6. (a) Como Abraão mostrou que levou a sério a importante lição que aprendeu do Dilúvio? (b) Como era a vida de Abraão e Sara?

6 De qualquer forma, Abraão levou a sério a importante lição que aprendeu do Dilúvio. Ele se esforçou para andar com Deus, assim como Noé. Foi por isso que Abraão rejeitou a idolatria e se destacou como alguém diferente em Ur, talvez até em sua família imediata. Mas ele encontrou alguém que lhe dava muito apoio. Ele se casou com Sara, uma mulher notável não apenas pela beleza, mas também pela grande fé em Jeová. * Embora não tivessem filhos, eles tiveram muita alegria em servir juntos a Jeová. Eles também criaram Ló, um órfão que era sobrinho de Abraão.

7. Por que os seguidores de Jesus precisam imitar Abraão?

7 Abraão nunca trocou Jeová pela idolatria de Ur. Ele e Sara estavam dispostos a se destacar como diferentes daquelas pessoas idólatras. Para desenvolvermos verdadeira fé, precisamos ter uma atitude similar. Também devemos estar dispostos a ser diferentes. Jesus disse que seus seguidores ‘não fariam parte do mundo’ e que o mundo os odiaria por causa disso. (Leia João 15:19.) Se algum dia você ficar muito triste por ter sido rejeitado por membros da sua família ou por outras pessoas devido à sua decisão de servir a Jeová, lembre-se que você não é o único. Assim como Abraão e Sara fizeram no passado, você também estará andando com Deus.

“Sai da tua terra”

8, 9. (a) Que experiência inesquecível Abraão teve? (b) Qual foi a mensagem de Jeová a Abraão?

8 Certo dia, Abraão teve uma experiência inesquecível. Ele recebeu uma mensagem de Jeová Deus! A Bíblia não dá muitos detalhes sobre isso, mas diz que “o Deus da glória” apareceu àquele homem fiel. (Leia Atos 7:2, 3.) Talvez por meio de um representante angélico, Abraão teve um vislumbre da magnífica glória do Soberano do Universo. Podemos imaginar como Abraão ficou emocionado de ver o contraste entre o Deus vivente e os ídolos sem vida adorados pelas pessoas da sua época.

9 Qual foi a mensagem de Jeová a Abraão? “Sai da tua terra e de teus parentes e vai para uma terra que eu te hei de mostrar.” Jeová não disse qual terra tinha em mente — só disse que a mostraria a Abraão. Mas primeiro Abraão teria de deixar para trás sua terra natal e seus parentes. No antigo Oriente Médio, a família era muito importante. Em geral, era algo terrível um homem deixar seus parentes e se mudar para um lugar distante; para alguns, isso era pior que a morte!

10. Por que deve ter sido um sacrifício para Abraão e Sara deixar sua casa em Ur?

10 Deixar sua terra envolvia sacrifícios. Ur era uma cidade rica e movimentada. (Veja o quadro  “A cidade que Abraão e Sara deixaram para trás”.) Escavações revelaram que havia casas muito confortáveis na antiga Ur; algumas tinham doze aposentos ou mais para a família e os servos. Os aposentos ficavam ao redor de um pátio interno pavimentado. Algumas facilidades incluíam água encanada, banheiros e sistema de esgoto. Lembre-se, também, que Abraão e Sara não eram jovens. Ele provavelmente tinha mais de 70 anos; e ela, mais de 60. Com certeza, ele queria cuidar bem de Sara e lhe dar algum conforto — algo que todo bom marido quer para sua esposa. Imagine as conversas que eles tiveram sobre essa designação, as dúvidas e as preocupações que talvez tenham surgido. Como Abraão deve ter ficado feliz quando Sara aceitou o desafio! Assim como ele, ela estava disposta a deixar para trás todos os confortos de sua casa.

11, 12. (a) O que Abraão e Sara tiveram de preparar e decidir antes de sair de Ur? (b) Como você descreveria o dia da viagem?

11 Após tomarem a decisão, Abraão e Sara tinham muito que fazer. Precisavam embalar e organizar muita coisa. O que levariam nessa viagem para o desconhecido, e o que deixariam para trás? No entanto, o mais importante eram as pessoas que faziam parte da sua vida. O que fariam com o idoso Tera, pai de Abraão? Eles resolveram levá-lo e tomar conta dele. É provável que ele tenha concordado plenamente com isso, pois o relato atribui a ele, como patriarca, a decisão de sair de Ur com sua família. Pelo visto, ele tinha abandonado a idolatria. Ló, sobrinho de Abraão, também iria com eles. — Gên. 11:31.

12 Finalmente chegou o dia da viagem. Visualize a caravana ajuntando-se de manhã do lado de fora das muralhas e do fosso de Ur. Os camelos e os jumentos estavam carregados, os rebanhos tinham sido ajuntados, a família e os servos estavam prontos — havia certa expectativa no ar. * Talvez todos estivessem olhando para Abraão, apenas aguardando seu sinal para partir. Por fim, chegou a hora e eles partiram, deixando Ur para trás para nunca mais voltar.

13. De que maneiras muitos servos de Jeová hoje demonstram uma disposição parecida à de Abraão e Sara?

13 Atualmente, muitos servos de Jeová decidem se mudar para onde há necessidade de mais pregadores do Reino. Outros decidem aprender um novo idioma para expandir seu ministério. Ou decidem experimentar outra modalidade de serviço com a qual não estão acostumados. Decisões como essas em geral exigem sacrifícios — a disposição de abrir mão de certa medida de conforto. Essa disposição é muito elogiável e bem parecida à de Abraão e Sara. Se demonstrarmos essa fé, podemos ter certeza de que Jeová sempre nos dará muito mais do que damos a ele. Ele sempre recompensa os que demonstram fé. (Heb. 6:10; 11:6) Será que ele fez isso no caso de Abraão?

Do outro lado do Eufrates

14, 15. Como foi a viagem de Ur até Harã, e por que Abraão talvez tenha decidido se estabelecer por um tempo ali?

14 Aos poucos, a caravana se acostumou com a rotina de viajar. Podemos imaginar Abraão e Sara às vezes montados em animais e às vezes caminhando; sua conversa se misturava ao barulho dos sinos pendurados nos arreios dos animais. Com o tempo, até mesmo os viajantes menos experientes ganharam prática em montar e desmontar o acampamento, bem como em ajudar o idoso Tera a se acomodar confortavelmente sobre um camelo ou um jumento. Eles seguiram em direção ao noroeste, contornando o grande arco formado pelo rio Eufrates. Dias se transformavam em semanas, e a paisagem ia passando lentamente.

15 Finalmente, depois de percorrerem uns 960 quilômetros, avistaram as cabanas de forma arredondada de Harã, uma cidade próspera no cruzamento das rotas comerciais leste-oeste. Eles pararam e se estabeleceram ali por um tempo. Talvez Tera estivesse muito fraco para continuar a viagem.

16, 17. (a) Que pacto deixou Abraão motivado? (b) Como Jeová abençoou Abraão enquanto esteve em Harã?

16 Por fim, Tera morreu com 205 anos. (Gên. 11:32) Abraão recebeu muito consolo nessa época difícil, pois Jeová se comunicou novamente com ele. Jeová repetiu as instruções que tinha lhe dado em Ur, e acrescentou detalhes às suas promessas. Abraão se tornaria “uma grande nação” e, por causa dele, todas as famílias da Terra seriam abençoadas. (Leia Gênesis 12:2, 3.) Motivado por esse pacto entre ele e Deus, Abraão sabia que era hora de continuar a viagem.

17 Desta vez, porém, havia mais coisas para embalar, pois Jeová tinha abençoado Abraão enquanto esteve em Harã. O relato menciona “todos os bens que tinham acumulado e as almas que tinham adquirido em Harã”. (Gên. 12:5) Para se tornar uma nação, Abraão precisaria de muitos recursos materiais e servos. Jeová em geral não enriquece seus servos, mas lhes dá tudo o que precisam para fazerem a Sua vontade. Assim, fortalecido por Deus, Abraão continuou sua viagem rumo ao desconhecido.

Deixar para trás a vida confortável em Ur foi um desafio para Abraão e Sara

18. (a) Quando foi que Abraão chegou a um momento crucial na história dos tratos de Deus com Seu povo? (b) Que outros eventos importantes aconteceram em 14 de nisã de anos posteriores? (Veja o quadro “ Uma data importante na história bíblica”.)

18 A vários dias de viagem de Harã ficava Carquemis, onde as caravanas costumavam atravessar o rio Eufrates. Talvez tenha sido nesse local que Abraão chegou a um momento crucial na história dos tratos de Deus com Seu povo. Pelo visto foi em 1943 AEC, no dia 14 do mês que mais tarde foi chamado de nisã, que Abraão atravessou o rio com sua caravana. (Êxo. 12:40-43) Ao sul ficava a terra que Jeová tinha prometido mostrar a Abraão. Naquele dia, o pacto de Deus com Abraão entrou em vigor.

19. A promessa de Jeová a Abraão fez referência a quê, e do que ele talvez tenha se lembrado?

19 Abraão atravessou o país em direção ao sul, e a caravana parou perto das árvores grandes de Moré, próximo a Siquém. Ali, Jeová mais uma vez falou com Abraão. Dessa vez a promessa de Deus fez referência à descendência de Abraão, a qual tomaria posse da terra. Será que Abraão se lembrou da profecia de Jeová no Éden, que mencionava um “descendente” que um dia salvaria a humanidade? (Gên. 3:15; 12:7) Talvez. Pode ser que ele tenha começado a entender, embora não claramente, que fazia parte de um grande propósito que Jeová tinha em mente.

20. Como Abraão mostrava apreço pelo privilégio que Jeová lhe tinha dado?

20 Abraão mostrava profundo apreço pelo privilégio que Jeová lhe tinha dado. Ao viajar pelo país — de modo cauteloso, visto que os cananeus ainda moravam ali —, Abraão parou e construiu altares a Jeová, primeiro perto das árvores grandes de Moré, depois perto de Betel. Ele invocava o nome de Jeová, provavelmente expressando sincera gratidão ao seu Deus, ao passo que pensava em como seria o futuro da sua descendência. Talvez ele também tenha pregado aos seus vizinhos cananeus. (Leia Gênesis 12:7, 8.) Com certeza, Abraão ainda enfrentaria muitos desafios à sua fé. De maneira sábia, ele não olhava para trás, para a casa e os confortos que tinha deixado em Ur. Ele olhava para a frente. Hebreus 11:10 diz que Abraão “aguardava a cidade que tem verdadeiros alicerces, cujo construtor e fazedor é Deus”.

21. Como o nosso conhecimento sobre o Reino de Deus se compara ao que Abraão tinha, e o que você está decidido a fazer?

21 Nós que servimos a Jeová hoje sabemos muito mais do que Abraão sobre aquela cidade figurativa — o Reino de Deus. Sabemos que o Reino já está estabelecido no céu e que em breve trará o fim deste sistema mundial. Também sabemos que o descendente de Abraão, prometido muito tempo atrás, é Jesus Cristo e que ele já governa nesse Reino. Que privilégio será vermos Abraão voltar a viver e por fim entender o propósito divino que antes ele não entendia claramente! Você gostaria de ver Jeová cumprir todas as suas promessas? Em caso afirmativo, continue a fazer o que Abraão fez. Esteja disposto a fazer sacrifícios, seja obediente e tenha profundo apreço pelos privilégios que Jeová lhe dá. Imite a fé de Abraão, o “pai de todos os que têm fé”, e ele, por assim dizer, também será o seu pai!

^ parágrafo 1 Alguns eruditos questionam se o camelo era domesticado na época de Abraão, mas seus argumentos são fracos. A Bíblia diz que havia camelos entre os bens que Abraão possuía. — Gên. 12:16; 24:35.

^ parágrafo 4  Nessa época, o nome de Abraão era Abrão. Mas anos depois Deus mudou o nome dele para Abraão, que significa “pai duma multidão”. — Gên. 17:5.

^ parágrafo 6 De modo similar, Abraão é muitas vezes mencionado primeiro entre os filhos de Tera, embora não fosse o mais velho.

^ parágrafo 12 Nessa época, o nome de Sara era Sarai. Mais tarde, porém, Deus mudou o nome dela para Sara, que significa “princesa”. — Gên. 17:15.