Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

Imite a Sua Fé

 CAPÍTULO NOVE

Ela agiu com discrição

Ela agiu com discrição

1-3. (a) Por que o perigo se aproximava da casa de Abigail? (b) O que vamos aprender sobre essa mulher notável?

ABIGAIL viu o pânico nos olhos do rapaz. Ele estava aterrorizado — e com bons motivos. Um grande perigo se aproximava. Bem naquela hora, cerca de 400 guerreiros estavam a caminho, determinados a matar todos os homens da casa de Nabal, marido de Abigail. Por quê?

2 Tudo começou com Nabal. Como sempre, ele havia agido de modo cruel e insolente. Só que dessa vez tinha insultado o homem errado — o estimado comandante de um grupo leal de guerreiros bem treinados. Um dos jovens trabalhadores de Nabal, talvez um pastor, procurou Abigail, acreditando que ela pensaria em algum plano para os salvar. Mas o que uma única mulher poderia fazer contra um exército?

O que uma única mulher poderia fazer contra um exército?

3 Primeiro, vamos conhecer um pouco melhor essa mulher notável. Quem era Abigail? Como surgiu essa situação tão grave? E o que podemos aprender do seu exemplo de fé?

“Boa discrição e bela figura”

4. Que tipo de homem era Nabal?

4 Abigail e Nabal não formavam um bom par. Nabal dificilmente poderia ter escolhido uma esposa melhor, já Abigail dificilmente poderia ter casado com um homem pior. É verdade que ele tinha dinheiro, por isso se achava muito importante. Mas como os outros o encaravam? Talvez não seja possível encontrar na Bíblia outro personagem descrito em termos tão negativos. O próprio nome dele significa “insensato” ou “estúpido”. Não se sabe se foram seus pais que lhe deram esse nome ou se ele ficou conhecido assim mais tarde. De qualquer forma, ele fazia jus ao seu nome. Nabal era “duro e mau nas suas práticas”. Por ser tirano e beberrão, muitas pessoas o temiam e não gostavam dele. — 1 Sam. 25:2, 3, 17, 21, 25.

5, 6. (a) Na sua opinião, quais eram as qualidades mais atraentes de Abigail? (b) Qual talvez tenha sido o motivo de Abigail ter se casado com um homem tão imprestável?

5 Abigail era bem diferente de Nabal. O nome dela significa “meu pai se fez alegre”. Muitos pais se orgulham de ter uma filha bonita, mas um pai sensato fica ainda mais feliz por ver a beleza interior de sua filha. Muitas vezes, uma pessoa que é bonita por fora se esquece de desenvolver qualidades como discrição, sabedoria, coragem e fé. Esse não era o caso de Abigail. A Bíblia a elogia por sua discrição e beleza. — Leia 1 Samuel 25:3.

6 Alguns talvez se perguntem por que uma jovem tão inteligente se casou com um homem tão imprestável. Lembre-se que muitos casamentos nos tempos bíblicos eram arranjados. E, mesmo que um casamento não fosse arranjado, dava-se muito valor à aprovação dos pais. Será que os pais de Abigail aprovaram ou até arranjaram esse casamento, impressionados com a riqueza e o destaque de Nabal? Será que eram pobres e sentiram-se pressionados? Seja como for, o dinheiro de Nabal não fez dele um bom marido.

7. (a) O que os pais hoje devem evitar se quiserem ensinar seus filhos a ter um conceito correto sobre o casamento? (b) O que Abigail estava decidida a fazer?

7 Pais sensatos preocupam-se em ensinar os filhos a ter um conceito correto sobre o casamento. Eles não pressionam seus filhos a casar por dinheiro nem a namorar quando ainda são novos demais para assumir as responsabilidades e os papéis de adultos. (1 Cor. 7:36) No entanto, era muito tarde para Abigail pensar nisso. Independentemente dos motivos, ela tinha se casado com Nabal e estava decidida a fazer o seu melhor naquela situação difícil.

“Ele lançou invectivas sobre eles”

8. A quem Nabal insultou, e por que você acha que isso foi muito insensato?

8 Nabal tinha acabado de piorar a situação de Abigail. Ele havia insultado ninguém menos que Davi, o servo fiel de Jeová a quem Samuel, o profeta, tinha ungido, revelando que Davi era o escolhido de Deus para substituir o Rei Saul. (1 Sam. 16:1, 2, 11-13) Davi estava fugindo do ciumento e assassino Rei Saul, e morava numa região desértica com seus 600 guerreiros leais.

9, 10. (a) Em que circunstâncias Davi e seus homens lutavam para sobreviver? (b) Por que Nabal deveria ter sido grato pelo que Davi e seus homens faziam? (Veja também a nota do parágrafo 10.)

9 Nabal morava em Maom, mas trabalhava e provavelmente tinha terras ali perto, em Carmelo. * Essas cidades ficavam entre montes cobertos de pastagens boas para criar ovelhas, incluindo as 3 mil que Nabal possuía. Mas a região em volta era desértica. Ao sul ficava o vasto deserto de Parã. A região ao leste, que dava para o mar Salgado, era inóspita e cheia de desfiladeiros e cavernas. Sobreviver nesses lugares era um desafio para Davi e seus homens. Com certeza, eles tinham de caçar para comer e enfrentavam muitas dificuldades. Era comum se encontrarem com os jovens que trabalhavam como pastores para o rico Nabal.

10 Como aqueles soldados esforçados tratavam os pastores? Teria sido fácil pegar uma ou outra ovelha de vez em quando, mas eles não faziam isso. Pelo contrário, eram como uma muralha protetora em volta dos rebanhos e dos servos de Nabal. (Leia 1 Samuel 25:15, 16.) Ovelhas e pastores enfrentavam vários perigos. Havia muitos predadores, e a fronteira de Israel no sul ficava tão perto que eram comuns ataques de bandos de saqueadores e ladrões estrangeiros. *

11, 12. (a) Como Davi mostrou tato e respeito na mensagem que enviou a Nabal? (b) O que havia de errado no modo como Nabal reagiu à mensagem de Davi?

11 Devia dar muito trabalho alimentar todos aqueles homens no ermo. Por isso, Davi enviou dez mensageiros a Nabal, pedindo ajuda. Davi escolheu o momento certo. Era a época festiva da tosquia e era comum fazer banquetes e demonstrar generosidade. Davi também escolheu bem as palavras, usando termos respeitosos. Ele até se referiu a si mesmo como “teu filho Davi”, talvez reconhecendo respeitosamente o fato de Nabal ser mais velho. Qual foi a reação de Nabal? — 1 Sam. 25:5-8.

12 Ele ficou furioso! O jovem mencionado no início descreveu a cena a Abigail, dizendo que Nabal “lançou invectivas [insultos] sobre eles”. Aquele homem mesquinho começou a reclamar por causa de seu precioso pão, água e carne. Ele zombou de Davi, dando a entender que ele era insignificante, e o comparou a um servo fugitivo. Essa forma de encarar Davi talvez fosse similar à de Saul, que odiava Davi. Nenhum deles pensava como Jeová, que amava Davi e o via como o futuro rei de Israel, não como um escravo rebelde. — 1 Sam. 25:10, 11, 14.

13. (a) De início, como Davi reagiu aos insultos de Nabal? (b) O que o princípio registrado em Tiago 1:20 nos ensina sobre a reação de Davi?

13 Quando os homens voltaram com a resposta de Nabal, Davi ficou furioso. “Cingi-vos cada um da sua espada!”, ordenou. Armados, Davi e 400 de seus homens saíram para lutar. Ele jurou que eliminaria todos os homens da casa de Nabal. (1 Sam. 25:12, 13, 21, 22) Era compreensível Davi sentir-se furioso, mas a forma de ele expressar isso estava errada. A Bíblia diz: “O furor do homem não produz a justiça de Deus.” (Tia. 1:20) Mas como Abigail salvaria os de sua casa?

“Bendita seja a tua sensatez”

14. (a) Em que sentido Abigail deu o primeiro passo para corrigir o erro de Nabal? (b) Que lição prática podemos aprender da diferença que havia entre Nabal e Abigail? (Veja também a nota.)

14 Em certo sentido, já vimos Abigail dar o primeiro passo para corrigir essa situação terrível. Ao contrário de seu marido, Nabal, ela estava disposta a ouvir. Quanto a levar o assunto a Nabal, o jovem servo disse: “Ele é um homem demasiado imprestável para se falar com ele.” * (1 Sam. 25:17) Infelizmente, a importância que Nabal dava a si mesmo fazia com que ele não quisesse ouvir. Essa arrogância também é muito comum hoje. Mas aquele jovem sabia que Abigail era diferente e, sem dúvida, foi por isso que ele lhe contou o problema.

Ao contrário de Nabal, Abigail estava disposta a ouvir

15, 16. (a) Como Abigail mostrou que era parecida à esposa capaz descrita no livro de Provérbios? (b) Por que a atitude de Abigail não foi uma rebeldia contra a chefia de seu marido?

15 Abigail pensou e agiu rápido. O relato diz que ela “apressou-se imediatamente”. Esse relato usa quatro vezes o verbo “apressar” com respeito a Abigail. Ela preparou um presente generoso para Davi e seus homens. Incluía pão, vinho, carne de ovelha, grãos torrados, tortas de passas e de figos. Fica claro que Abigail sabia bem o que tinha à sua disposição e era uma excelente dona de casa, bem parecida à esposa capaz descrita mais tarde no livro de Provérbios. (Pro. 31:10-31) Ela mandou seus servos ir na frente com as provisões, depois seguiu sozinha. “Mas”, conforme lemos, “ela não contou nada a seu esposo Nabal”. — 1 Sam. 25:18, 19.

16 Significa isso que Abigail se rebelou contra a chefia que Nabal tinha direito de exercer? Não, lembre-se que Nabal havia agido iniquamente contra um servo ungido de Jeová. Essa ação poderia resultar na morte de muitos membros inocentes da casa de Nabal. Será que, se Abigail não tivesse feito nada, teria se tornado culpada como o marido? No caso em questão, ela tinha de colocar a submissão a Deus à frente da submissão ao marido.

17, 18. (a) Como Abigail se aproximou de Davi e o que ela disse? (b) Por que as palavras de Abigail surtiram efeito?

17 Pouco depois, Abigail se encontrou com Davi e seus homens. Novamente ela se apressou, dessa vez para descer do jumento e se curvar diante de Davi. (1 Sam. 25:20, 23) Então abriu seu coração, fazendo uma forte súplica por misericórdia em favor de seu marido e os de sua casa. Por que suas palavras surtiram efeito?

“Por favor, deixa a tua escrava falar aos teus ouvidos”

18 Ela assumiu a responsabilidade pelo que tinha acontecido e pediu o perdão de Davi. Abigail foi realista ao reconhecer que o marido era tão insensato como o nome dele indicava, talvez sugerindo que castigar aquele homem estava abaixo da dignidade de Davi. Ela mostrou que tinha confiança em Davi como representante de Jeová, reconhecendo que ele estava travando “as guerras de Jeová”. Também indicou que sabia da promessa de Jeová sobre Davi e o reinado, pois disse: “Jeová . . . certamente te comissionará como líder de Israel.” Além disso, pediu que Davi não fizesse nada que pudesse trazer culpa de sangue sobre ele ou que talvez se tornasse, mais tarde, “uma razão para vacilação” — pelo visto, referindo-se a uma consciência perturbada. (Leia 1 Samuel 25:24-31.) Sem dúvida, palavras gentis e tocantes!

19. Como Davi reagiu às palavras de Abigail, e por que ele a elogiou?

19 Como Davi reagiu? Ele aceitou o presente de Abigail e disse: “Bendito seja Jeová, o Deus de Israel, que te enviou neste dia ao meu encontro! E bendita seja a tua sensatez, e bendita sejas tu que neste dia me contiveste de entrar em culpa de sangue.” Davi a elogiou por ter tido coragem de ir imediatamente ao encontro dele, e reconheceu que Abigail o havia impedido de ter culpa de sangue. Ele disse: “Sobe em paz para a tua casa”, e humildemente acrescentou: “Escutei a tua voz.” — 1 Sam. 25:32-35.

“Eis a tua escrava”

20, 21. (a) Por que você acha admirável a disposição de Abigail de voltar para o seu marido? (b) Como Abigail mostrou coragem e sensatez ao escolher o momento certo para falar com Nabal?

20 A caminho de casa, Abigail com certeza refletiu naquele encontro. Ela deve ter percebido o contraste entre aquele homem fiel e bondoso e o homem bruto com quem havia se casado. Mas não ficou pensando nisso. Lemos: “Mais tarde, Abigail entrou até Nabal.” De fato, ela voltou para o marido determinada como sempre a cumprir seu papel de esposa. Abigail precisava lhe contar sobre o presente enviado a Davi e seus homens. Nabal tinha o direito de saber. Ele também tinha o direito de saber do perigo que havia sido evitado, antes que soubesse por outra pessoa — o que seria ainda mais vergonhoso. Mas não dava para contar isso no momento. Nabal estava completamente bêbado, festejando como um rei. — 1 Sam. 25:36.

Abigail corajosamente contou a Nabal o que tinha feito para salvar a vida dele

21 Mais uma vez, mostrando coragem e sensatez, ela decidiu esperar até a manhã seguinte, quando o efeito do vinho teria diminuído. Nabal estaria mais sóbrio para entender o que ela tinha a dizer, mas também poderia ficar mais agressivo. Ainda assim, Abigail foi até ele e lhe contou tudo. Sem dúvida, ela esperava uma reação explosiva, talvez violenta. Mas Nabal ficou sentado, imóvel. — 1 Sam. 25:37.

22. O que aconteceu com Nabal, e o que podemos aprender sobre todo tipo de tirania ou abuso cometido na família?

22 O que estava acontecendo com aquele homem? “O coração dele ficou morto dentro dele e ele próprio ficou como pedra.” Pode ser que tivesse sofrido uma espécie de derrame. Mas o seu fim veio uns dez dias depois — e não apenas por causa de um problema de saúde. O relato diz: “Jeová feriu a Nabal, de modo que morreu.” (1 Sam. 25:38) Com essa execução justa, o casamento de Abigail, um verdadeiro pesadelo, chegou ao fim. Embora hoje Jeová não faça execuções milagrosas, esse relato é um bom lembrete de que ele fica atento a todo tipo de tirania ou abuso cometido na família. No seu próprio tempo, Jeová sempre traz justiça. — Leia Lucas 8:17.

23. Que outra bênção Abigail recebeu, e como ficou evidente que essa perspectiva não mudou seu caráter?

23 Além de se ver livre de um péssimo casamento, Abigail recebeu mais uma bênção. Quando Davi soube da morte de Nabal, enviou mensageiros com uma proposta de casamento. Ela respondeu: “Eis a tua escrava como serva para lavar os pés dos servos do meu senhor.” Fica evidente que a perspectiva de se casar com Davi não mudou seu caráter; ela até mesmo se ofereceu para ser serva dos servos dele! A seguir, lemos que Abigail mais uma vez se apressou, mas agora para se preparar a fim de ir ao encontro de Davi. — 1 Sam. 25:39-42.

24. Que desafios Abigail enfrentou em sua nova vida, mas como seu marido e seu Deus a encaravam?

24 Mas isso não foi um final de conto de fadas. A vida de Abigail com Davi nem sempre seria fácil. Davi já era casado com Ainoã e, apesar de Deus permitir a poligamia, isso com certeza apresentava seus desafios às mulheres fiéis daquela época. E Davi ainda não servia a Jeová como rei; muitos obstáculos e desafios teriam de ser superados antes disso. Mas à medida que Abigail ajudou e apoiou Davi durante toda a sua vida, dando-lhe mais tarde um filho, ela pôde ver que tinha um marido que a valorizava e protegia. Certa vez, ele chegou até a resgatá-la de sequestradores! (1 Sam. 30:1-19) Assim, Davi imitou a Jeová Deus, que ama e valoriza as mulheres discretas, corajosas e fiéis.

^ parágrafo 9 Não se trata do famoso monte Carmelo bem ao norte, onde o profeta Elias mais tarde teve um confronto com os profetas de Baal. (Veja o Capítulo 10.) O Carmelo mencionado aqui era uma cidade perto da região desértica ao sul.

^ parágrafo 10 Davi provavelmente encarava aquela proteção aos proprietários de terras da região e aos seus rebanhos como serviço prestado a Jeová Deus. Naquele tempo, o propósito de Jeová era que os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó morassem naquela terra. Assim, protegê-la dos invasores e saqueadores estrangeiros era uma forma de serviço sagrado.

^ parágrafo 14 A expressão ‘homem imprestável’ significa literalmente “filho de belial (inutilidade)”. Outras traduções da Bíblia incluem uma descrição de Nabal como um homem “que não escuta ninguém” e, por isso, “não vale a pena falar com ele”.