Pular para conteúdo

Pular para sumário

CAPÍTULO 15

Uma lição de bondade

Uma lição de bondade

SABE o que é preconceito? — Preconceito é não gostar de alguém só porque ele tem uma aparência diferente ou fala uma língua diferente. Por isso, ser preconceituoso é não gostar de alguém ou acreditar em algo a respeito de uma pessoa antes de conhecê-la.

Acha certo não gostar de uma pessoa antes de saber quem ela é ou só porque ela é diferente? — Realmente, não é correto nem bondoso ter preconceito. Não devemos tratar mal outra pessoa só porque ela é diferente de nós.

Agora pense um pouco. Conhece alguém que tem a cor da pele diferente ou que fala uma língua diferente da sua? — Talvez você até conheça pessoas que têm uma aparência diferente por causa de algum acidente ou doença. Trata com bondade e amor quem é diferente de você? —

Como devemos tratar as pessoas que são diferentes de nós?

Se escutarmos o Grande Instrutor, Jesus Cristo, vamos ser bons com todos. Não deve fazer nenhuma diferença para nós o país em que a pessoa nasceu nem a cor da pele dela. Devemos tratá-la com bondade. Nem todo mundo pensa assim, mas foi isso que Jesus ensinou. Vamos ver como.

Um judeu que tinha preconceito veio até Jesus e lhe perguntou: ‘O que eu tenho de fazer para viver para sempre?’ Jesus sabia o que o homem provavelmente queria: que ele dissesse que devemos ser bons só com pessoas da nossa raça ou nacionalidade. Assim, em vez de responder à pergunta, Jesus perguntou ao homem: ‘O que a Lei de Deus diz que devemos fazer?’

O homem respondeu: ‘Você deve amar a Jeová, seu Deus, de todo o coração e deve amar ao próximo como a você mesmo.’ Jesus disse: ‘A sua resposta está certa. Continue fazendo isso e você vai ter vida eterna.’

Mas o homem não queria ser bom ou amoroso com pessoas diferentes dele. Assim, tentou encontrar uma desculpa. Ele perguntou a Jesus: “Quem é realmente o meu próximo?” Talvez ele quisesse que Jesus respondesse: “Seu próximo são os seus amigos”, ou: “São as pessoas que são parecidas com você.” Mas para responder à pergunta, Jesus contou uma história sobre um judeu e um samaritano. A história era assim:

Um judeu descia pela estrada que ia da cidade de Jerusalém para Jericó. Enquanto caminhava, apareceram ladrões que o assaltaram. Eles bateram nele e roubaram o dinheiro e as roupas dele. Os assaltantes o espancaram tanto que ele ficou quase morto à beira da estrada.

Pouco tempo depois, um sacerdote desceu pela estrada. Ele viu o homem todo machucado. O que você teria feito? — O sacerdote simplesmente passou para o outro lado da estrada. Não parou nem fez nada para ajudar o homem.

Daí, outro homem muito religioso passou por aquela estrada. Era um levita que servia no templo em Jerusalém. Será que ele ia parar para ajudar? — Não. Ele fez o mesmo que o sacerdote.

Por fim, passou um samaritano pela estrada. Consegue vê-lo na curva da estrada? — Ele viu o judeu caído e todo machucado. Em geral os samaritanos e os judeus não se davam bem. (João 4:9) Então, será que esse samaritano abandonaria o homem sem ajudá-lo? Será que pensaria: ‘Por que devo ajudar esse judeu? Se fosse eu que estivesse machucado, ele não ia me ajudar, ia?’

Por que o samaritano agiu como próximo?

Bem, o samaritano olhou o homem caído à beira da estrada e ficou com pena dele. Não podia simplesmente deixá-lo morrer ali. Então, desceu do animal em que estava montado, foi até o homem e começou a cuidar das feridas dele. Derramou azeite e vinho nelas, para ajudar a sará-las. Daí, amarrou um pano nas feridas.

Com todo o cuidado, o samaritano levantou o homem machucado e o colocou sobre o animal. Daí, seguiu devagar pela estrada até encontrar uma hospedaria, que é um pequeno hotel. Ali, o samaritano arranjou um quarto para o homem e cuidou dele.

Depois de contar essa história, Jesus perguntou ao homem com quem estava conversando: ‘Qual desses três homens você acha que agiu como próximo?’ O que você responderia? Foi o sacerdote, o levita ou o samaritano? —

O homem respondeu: ‘Aquele que parou e cuidou do homem machucado foi quem agiu como próximo.’ Jesus disse: ‘Muito bem! Vá e faça o mesmo.’ — Lucas 10:25-37.

Que história bonita, não acha? Ela nos ajuda a entender quem é o nosso próximo. Não são apenas os nossos amigos. Nem apenas aqueles que têm a mesma cor de pele e falam a mesma língua que a gente. Jesus nos ensinou a ser bons com todas as pessoas, não importa qual a sua origem, aparência ou língua.

É assim que Jeová Deus age. Ele não tem preconceito. ‘O Pai que está no céu faz o sol se levantar sobre os bons e os maus’, disse Jesus. ‘E ele também faz chover sobre os bons e os maus.’ Por isso, devemos ser bons com todo mundo, assim como Deus é. — Mateus 5:44-48.

Como você pode agir como próximo?

Então, se você vir alguém machucado, o que vai fazer? — E se a pessoa for de um outro país ou a cor da pele dela for diferente da sua? Mesmo assim ele é seu próximo e você deve ajudá-lo. Se você é pequeno demais para ajudar, chame alguém mais velho. Ou chame um policial ou um professor. Assim, você vai estar sendo uma pessoa boa, como o samaritano.

O Grande Instrutor quer que sejamos pessoas boas. Quer que a gente ajude os outros, não importa quem sejam. Foi por isso que ele contou a história do bom samaritano.

Sobre a questão de ser bom com as pessoas, não importa qual a raça ou nacionalidade delas, leia Provérbios 19:22; Atos 10:34, 35 e 17:26.