Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Língua brasileira de sinais

‘Mantenha-se no Amor de Deus’

CAPÍTULO 13

Celebrações que desagradam a Deus

Celebrações que desagradam a Deus

“Certifiquem-se sempre do que agrada ao Senhor.” — EFÉSIOS 5:10.

1. Que tipo de pessoas Jeová atrai a si, e por que elas devem permanecer vigilantes em sentido espiritual?

“OS VERDADEIROS adoradores”, disse Jesus, “adorarão o Pai com espírito e verdade. Pois, realmente, o Pai está procurando a esses para o adorarem”. (João 4:23) Quando Jeová encontra tais pessoas — assim como encontrou você —, ele as atrai a si e a seu Filho. (João 6:44) Que honra! Mas os que amam a verdade da Bíblia devem ‘certificar-se sempre do que agrada ao Senhor’, pois Satanás é mestre do engano. — Efésios 5:10; Apocalipse 12:9.

2. Explique como Jeová encara os que tentam misturar a religião verdadeira com a falsa.

2 Considere o que aconteceu perto do monte Sinai quando os israelitas pediram a Arão que fizesse um deus para eles. Arão cedeu à pressão e fez um bezerro de ouro, mas deu a entender que aquele ídolo representava a Jeová. “Amanhã haverá uma festividade para Jeová”, disse ele. Será que Jeová foi indiferente ao que eles fizeram, ao misturarem a religião verdadeira com a falsa? Não. Ele ordenou que os idólatras fossem mortos, resultando na morte de cerca de três mil pessoas. (Êxodo 32:1-6, 10, 28) Que lição aprendemos disso? Se queremos nos manter no amor de Deus, não devemos ‘tocar em nada impuro’ e devemos defender a verdade contra qualquer coisa que possa corrompê-la. — Isaías 52:11; Ezequiel 44:23; Gálatas 5:9.

3, 4. Por que devemos dar bastante atenção aos princípios bíblicos ao analisarmos costumes e celebrações populares?

3 Infelizmente, após a morte dos apóstolos, que serviam de impedimento para a apostasia, supostos cristãos que não amavam a verdade começaram a adotar costumes pagãos, comemorações e dias “santificados”, passando a considerá-los como cristãos. (2 Tessalonicenses 2:7, 10) Ao analisarmos algumas dessas comemorações, note como refletem o espírito do mundo, não o espírito de Deus. Em geral, as comemorações do mundo têm algo em comum: satisfazem os desejos da carne e promovem crenças religiosas falsas e o ocultismo — características predominantes de “Babilônia, a Grande”. * (Apocalipse 18:2-4, 23) Lembre-se também de que Jeová viu pessoalmente as práticas religiosas pagãs detestáveis que deram origem a muitos costumes populares de hoje. Sem dúvida, para Jeová essas comemorações são tão detestáveis hoje como eram no passado. Não deveria o ponto de vista dele ser o que mais importa para nós? — 2 João 6, 7.

4 Como cristãos verdadeiros, sabemos que certas celebrações não agradam a Jeová. Mas precisamos estar determinados no coração a não ter nada a ver com elas. Analisar por que Jeová não se agrada dessas celebrações fortalecerá nossa determinação de evitar qualquer coisa que nos impeça de permanecer no amor de Deus.

NATAL — UM NOVO NOME PARA A ADORAÇÃO DO SOL

5. Por que podemos ter certeza de que Jesus não nasceu em 25 de dezembro?

5 A Bíblia não menciona nenhuma comemoração do aniversário de Jesus. Na realidade, não se sabe exatamente em que dia ele nasceu. Mas podemos ter certeza de que não foi em 25 de dezembro, época de inverno naquela região. * Um dos motivos de sabermos isso é que quando Jesus nasceu os “pastores [estavam] vivendo ao ar livre”, cuidando de seus rebanhos, conforme Lucas escreveu. (Lucas 2:8-11) Se eles ‘vivessem ao ar livre’ o ano todo, esse não seria um detalhe importante. Mas, visto que o inverno em Belém é uma época em que chove e cai neve, os rebanhos ficavam recolhidos em áreas fechadas; portanto, os pastores não estariam “vivendo ao ar livre”. Além disso, José e Maria foram a Belém porque César Augusto havia ordenado que se fizesse um censo. (Lucas 2:1-7) É muito improvável que César tivesse ordenado que um povo já insatisfeito com o governo romano fosse até a cidade de seus antepassados no rigor do inverno.

6, 7. (a) Qual é a origem de muitos costumes do Natal? (b) Que contrastes existem entre o costume de dar presentes no Natal e o modo de os cristãos darem presentes?

6 O Natal não tem origem bíblica. Tem raízes em antigas comemorações pagãs, como as saturnais romanas, uma festividade dedicada a Saturno, o deus da agricultura. Da mesma forma, adoradores do deus Mitra, segundo seus cálculos, comemoravam o 25 de dezembro como o “dia do nascimento do Sol invicto”, diz a New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica). A mesma fonte continua: “O Natal surgiu em uma época em que o culto ao Sol era especialmente forte em Roma”, cerca de três séculos após a morte de Cristo.

Os cristãos verdadeiros dão presentes por amor

7 Durante suas comemorações, os pagãos trocavam presentes e festejavam com muita comida e bebida — costumes que o Natal preserva até hoje. Mas, como acontece atualmente, muitos que davam presentes de Natal naquela época não faziam isso com a atitude descrita em 2 Coríntios 9:7, que diz: “Faça cada um conforme resolveu no coração, não a contragosto nem por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria.” Os cristãos verdadeiros dão presentes por amor, não se baseiam numa data nem esperam receber algo em troca. (Lucas 14:12-14; leia Atos 20:35.) Além disso, eles se sentem muito felizes de estar livres da correria e do estresse do Natal, e do peso das dívidas financeiras que enlaçam muitos nessa época do ano. — Mateus 11:28-30; João 8:32.

8. Os astrólogos deram presentes a Jesus em homenagem ao seu nascimento? Explique.

8 Alguns, porém, talvez argumentem: ‘mas os astrólogos não deram presentes a Jesus em homenagem ao seu nascimento?’ Não. O que eles fizeram foi apenas uma maneira de demonstrar respeito a uma pessoa importante, um costume comum nos tempos bíblicos. (1 Reis 10:1, 2, 10, 13; Mateus 2:2, 11) Tanto é assim que os astrólogos não visitaram Jesus na noite em que ele nasceu. Quando chegaram onde ele estava, já fazia muitos meses que Jesus havia nascido, e ele se encontrava numa casa, não numa manjedoura como bebê recém-nascido.

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE ANIVERSÁRIOS NATALÍCIOS

9. O que é significativo a respeito das comemorações de aniversário mencionadas na Bíblia?

9 Embora o nascimento de um bebê sempre seja motivo de muita alegria, a Bíblia não menciona a comemoração do aniversário de nenhum servo de Deus. (Salmo 127:3) Será que não se trata de uma simples omissão? Não, porque ela menciona a comemoração de dois aniversários natalícios — o de um faraó do Egito e o de Herodes Antipas. (Leia Gênesis 40:20-22; Marcos 6:21-29.) Ambos os eventos, no entanto, são apresentados numa luz desfavorável — especialmente o de Herodes, em que João Batista foi decapitado.

10, 11. Como os primeiros cristãos consideravam as comemorações de aniversário, e por quê?

10 “Os primeiros cristãos”, diz a The World Book Encyclopedia, “consideravam um costume pagão celebrar a data de nascimento de qualquer pessoa”. Os gregos dos tempos antigos, por exemplo, acreditavam que toda pessoa tinha um espírito protetor que assistia ao seu nascimento e a protegia pelo resto da vida. Esse espírito “tinha uma relação mística com o deus cuja data de nascimento era a mesma que a da pessoa”, diz o livro The Lore of Birthdays (A Tradição dos Aniversários Natalícios). Desde a antiguidade, o dia do nascimento também tem uma grande ligação com a astrologia e o horóscopo.

11 Além de rejeitar os costumes ligados à comemoração de aniversários natalícios por causa das origens pagãs e do ocultismo, os servos de Deus no passado provavelmente os rejeitavam também por causa dos princípios pelos quais viviam. Por que podemos dizer isso? Eles eram pessoas humildes e modestas, por isso não achavam que seu nascimento fosse tão importante que devesse ser comemorado. * (Miqueias 6:8; Lucas 9:48) Em vez disso, eles glorificavam a Jeová e davam-lhe graças pela preciosa dádiva da vida. * — Salmo 8:3, 4; 36:9; Apocalipse 4:11.

12. Como o dia da morte pode ser melhor que o dia do nascimento?

12 Todos os servos de Deus que morrem fiéis estão guardados em Sua memória e têm a vida futura garantida. (Jó 14:14, 15) Eclesiastes 7:1 diz: “Um bom nome é melhor do que um bom óleo, e o dia da morte é melhor do que o dia do nascimento.” Nosso “bom nome” é a boa reputação que adquirimos perante Deus durante uma vida de serviço fiel. É digno de nota que a única comemoração ordenada aos cristãos não é a de um nascimento, mas a de uma morte — a de Jesus, cujo “nome” excelente é o único meio para a nossa salvação. — Hebreus 1:3, 4; Lucas 22:17-20.

PÁSCOA — ADORAÇÃO DA FERTILIDADE SOB DISFARCE

13, 14. Qual é a origem dos costumes populares da Páscoa?

13 Considerada como comemoração da ressurreição de Cristo, a Páscoa (conforme é comemorada hoje na cristandade) na verdade teve origem na religião falsa. Como é que ovos e coelhos passaram a ter ligação com a Páscoa? Os ovos “são importantes símbolos de vida nova e ressurreição”, diz a Encyclopædia Britannica, e há muito o coelho tem sido usado como símbolo da fertilidade. Portanto, a Páscoa é realmente um rito à fertilidade mal disfarçado de comemoração da ressurreição de Cristo. *

14 Será que Jeová aprovaria o uso de um depravado rito à fertilidade para comemorar a ressurreição de seu Filho? Jamais! (2 Coríntios 6:17, 18) De fato, as Escrituras nem ordenam nem autorizam a comemoração da ressurreição de Jesus. Fazer isso e misturá-la com símbolos de fertilidade é um ato de deslealdade.

AS RAÍZES DO HALLOWEEN

15. Qual é a origem do Halloween, e o que talvez seja significativo sobre a data escolhida para essa comemoração?

15 Conhecido por suas bruxas, duendes e outras decorações grotescas, o Halloween — também chamado Dia das Bruxas —, comemorado no dia 31 de outubro, remonta aos celtas antigos que habitavam a Grã-Bretanha e a Irlanda. Na lua cheia mais próxima de 1.° de novembro, eles celebravam a festa de Samhain, que significa “fim do verão”. Eles acreditavam que durante essa celebração se abria a porta entre o mundo humano e o sobrenatural, e espíritos tanto bons quanto maus vagavam pela Terra. Cria-se que as almas dos mortos retornavam aos seus lares; por isso as famílias separavam comida e bebida para seus visitantes do Além na esperança de apaziguá-los. Assim, quando as crianças hoje, vestidas de fantasma ou de bruxa, vão de casa em casa ameaçando fazer travessuras caso não recebam uma guloseima, elas sem saber estão perpetuando os antigos rituais do Samhain.

MANTENHA PURO O DIA DE SEU CASAMENTO

16, 17. (a) Por que casais cristãos que planejam se casar devem examinar os costumes locais ligados ao casamento levando em consideração os princípios bíblicos? (b) Com respeito a certos costumes, como jogar arroz ou algo similar nos noivos, o que os cristãos devem levar em consideração?

16 Em breve, “em [Babilônia, a Grande] . . . jamais se ouvirá novamente a voz de noivo e de noiva”. (Apocalipse 18:23) Por que razão? Em parte por causa de suas práticas espíritas, que podem macular um casamento já no dia em que a pessoa se casa. — Marcos 10:6-9.

17 Os costumes variam de um país para outro. Alguns costumes que talvez pareçam inocentes e que supostamente trazem “boa sorte” ao casal de noivos ou aos convidados podem se ter originado de práticas babilônicas. (Isaías 65:11) Uma dessas tradições é o costume de jogar nos noivos arroz, confete ou algo similar. Isso pode se ter originado da crença de que é possível apaziguar espíritos maus por oferecer-lhes alimentos, impedindo-os assim de prejudicar o noivo e a noiva. Além disso, o arroz tem uma relação mística de longa data com a fertilidade, a felicidade e a longevidade. Evidentemente, todos os que desejam permanecer no amor de Deus evitarão participar desses costumes contaminados pela religião falsa. — Leia 2 Coríntios 6:14-18.

18. Que princípios bíblicos devem orientar tanto o casal que está fazendo preparativos para o casamento como os convidados?

18 Os servos de Jeová também evitam práticas do mundo que possam tirar a dignidade cristã dos casamentos e das recepções de casamento ou que possam ferir a consciência de algumas pessoas. Por exemplo, evitam discursar sobre os noivos diante dos convidados usando expressões sarcásticas ou com conotação sexual, e fazer brincadeiras de mau gosto ou comentários que possam constranger os recém-casados e outros. (Provérbios 26:18, 19; Lucas 6:31; 10:27) Também evitam recepções suntuosas de conto de fadas que refletem não a modéstia, mas “a ostentação de posses”. (1 João 2:16) Se você está fazendo preparativos para seu casamento, nunca se esqueça de que Jeová deseja que esse dia especial seja algo que sempre vai lhe trazer boas lembranças, não tristeza. *

BRINDAR — TEM SIGNIFICADO RELIGIOSO?

19, 20. O que uma fonte secular diz sobre a origem do brinde, e por que esse costume não é aceitável para os cristãos?

19 O brinde é um costume comum em casamentos e outros eventos sociais. O International Handbook on Alcohol and Culture (Manual Internacional de Bebidas Alcoólicas e Culturas), de 1995, diz: “Brindar . . . provavelmente é um vestígio não religioso das antigas libações sacrificiais nas quais um líquido sagrado era oferecido aos deuses . . . em troca de um pedido — uma oração sintetizada nas palavras ‘vida longa’ ou ‘saúde’.”

20 É verdade que muitas pessoas talvez não vejam o brinde como um gesto religioso ou supersticioso. Ainda assim, o costume de erguer as taças pode ser encarado como um pedido ao “céu” — a uma força sobre-humana —, solicitando uma bênção de um modo que não se harmoniza com a Bíblia. — João 14:6; 16:23. *

“VOCÊS QUE AMAM A JEOVÁ, ODEIEM O QUE É MAU”

21. Que celebrações populares os cristãos evitam mesmo que não envolvam práticas religiosas, e por quê?

21 Refletindo os padrões cada vez mais baixos do mundo hoje — uma tendência que Babilônia, a Grande, promove tanto direta como indiretamente —, alguns países patrocinam anualmente carnavais, ou seja, festas que dão destaque a danças sensuais e que talvez até glorifiquem os estilos de vida de gays e lésbicas. Seria apropriado que aqueles que amam a Jeová participem de um evento desse tipo ou assistam a ele? Se fizessem isso, será que estariam realmente refletindo ódio pelo que é mau? (Salmo 1:1, 2; 97:10) É muito melhor imitar a atitude do salmista que orou: “Desvia os meus olhos do que é sem valor.” — Salmo 119:37.

22. Quando um cristão pode decidir segundo sua consciência se vai participar ou não de determinada celebração?

22 Quando há alguma celebração do mundo, o cristão deve cuidar para que sua conduta não dê a outros a impressão de que está participando dela. “Quer vocês comam, quer bebam, quer façam qualquer outra coisa”, escreveu Paulo, “façam todas as coisas para a glória de Deus”. (1 Coríntios 10:31; veja o quadro “ Como tomar boas decisões”.) Por outro lado, se é evidente que certo costume ou celebração não tem nenhum significado religioso, não faz parte de nenhuma observância política ou patriótica e não viola nenhum princípio bíblico, então cada cristão pode tomar sua própria decisão quanto a se participará ou não nisso. Ao mesmo tempo, a pessoa deve levar em consideração os sentimentos dos outros para não fazê-los tropeçar.

GLORIFICAR A DEUS EM PALAVRAS E AÇÕES

23, 24. Como podemos dar um bom testemunho sobre os padrões justos de Jeová?

23 Para muitas pessoas, os dias de certas celebrações populares são principalmente uma oportunidade para reunir-se com familiares e amigos. Por isso, se alguém presumir de modo errado que nossa posição cristã é desamorosa e radical, podemos de forma bondosa explicar que as Testemunhas de Jeová gostam de reuniões saudáveis com a família e com os amigos. (Provérbios 11:25; Eclesiastes 3:12, 13; 2 Coríntios 9:7) Nós gostamos de nos associar com as pessoas que amamos durante todo o ano, mas, visto que amamos a Deus e seus padrões justos, não queremos contaminar essas ocasiões alegres com costumes que desagradam a ele. — Veja o quadro “ A adoração verdadeira traz grande felicidade”.

24 Algumas Testemunhas de Jeová têm tido bons resultados ao responder a pessoas sinceras que nos perguntam sobre esse assunto, mostrando-lhes pontos do capítulo 16 do livro O Que a Bíblia Realmente Ensina?. * Lembre-se, porém, de que nosso objetivo é atrair a pessoa à verdade, não provar quem tem razão. Por isso, seja respeitoso e brando; e “que as suas palavras sejam sempre agradáveis, temperadas com sal”. — Colossenses 4:6.

25, 26. Como os pais podem ajudar os filhos a desenvolver fé e amor por Jeová?

25 Como servos de Jeová, recebemos muita instrução. Conhecemos a base de nossas crenças e sabemos por que praticamos determinadas coisas e evitamos outras. (Hebreus 5:14) Portanto, pais, ensinem seus filhos a raciocinar à base de princípios bíblicos. Por fazerem isso, fortalecerão a fé que eles têm, os ajudarão a dar respostas baseadas na Bíblia aos que questionam suas crenças e os farão confiar no amor de Jeová. — Isaías 48:17, 18; 1 Pedro 3:15.

26 Todos os que adoram a Deus “com espírito e verdade” evitam celebrações não bíblicas, mas também se esforçam em ser honestos em todos os aspectos da vida. (João 4:23) Muitos hoje acham que não é prático ser honesto. Mas, como veremos no próximo capítulo, o conceito de Deus é sempre o melhor.

^ parágrafo 3 Veja o quadro “ Devo participar dessa celebração?”. O Índice das Publicações da Torre de Vigia, publicado pelas Testemunhas de Jeová, lista muitos dias “santificados” e celebrações específicos.

^ parágrafo 5 Baseado em cálculos bíblicos e na história secular, Jesus provavelmente nasceu no ano 2 AEC, no mês judaico de etanim, que corresponde a setembro/outubro do nosso calendário atual. — Veja Estudo Perspicaz das Escrituras, Volume 2, páginas 538-539, publicado pelas Testemunhas de Jeová.

^ parágrafo 11 Veja o quadro “ Dias ‘santificados’ e satanismo”, na página 150.

^ parágrafo 11 O pacto da Lei exigia que uma mulher, depois que desse à luz, oferecesse a Deus uma oferta pelo pecado. (Levítico 12:1-8) Essa exigência da Lei era um triste lembrete de que os humanos transmitem o pecado a seus filhos e ajudava os israelitas a ter um conceito equilibrado sobre o nascimento de uma criança. Ao mesmo tempo, pode lhes ter servido de ajuda para não seguirem os costumes pagãos relacionados às comemorações de aniversário. — Salmo 51:5.

^ parágrafo 13 É interessante notar que o nome em inglês para Páscoa (Easter) tem sido associado a Eostre, ou Ostara, uma deusa da fertilidade. Segundo o The Dictionary of Mithology (Dicionário de Mitologia), Eostre “tinha uma lebre que ficava na Lua e que gostava muito de ovos; além disso, ela às vezes era representada com cabeça de lebre”.

^ parágrafo 18 Veja os três artigos sobre casamentos e reuniões sociais em A Sentinela de 15 de outubro de 2006, páginas 18-31.

^ parágrafo 20 Veja A Sentinela de 15 de fevereiro de 2007, páginas 30-31.

^ parágrafo 24 Publicado pelas Testemunhas de Jeová.