Uma Bíblia com linguagem do dia a dia

Uma Bíblia com linguagem do dia a dia

  *Uma Bíblia com linguagem do dia a dia

“SE VOCÊ acredita que a Bíblia é a palavra de Deus para os humanos, isso significa que Deus se comunica conosco. . . . Se sua religião influencia toda sua vida, então a linguagem [da Bíblia] deve ser a do dia a dia.” Isso foi o que o erudito Alan S. Duthie escreveu em seu livro Bible Translations and How to Choose Between Them (Traduções da Bíblia,e Como Escolher Uma).

Os que amam a Palavra de Deus concordam plenamente com isso. Eles acreditam com toda sinceridade que “toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça”. (2 Timóteo 3:​16) A Bíblia não é simplesmente um livro antigo. Ela “é viva e exerce poder”, e oferece verdadeiras soluções para os problemas do dia a dia. (Hebreus 4:​12) Mas, para que as pessoas entendam e ponham em prática o que leem nesse livro sagrado, ele deve conter a linguagem do dia a dia. Afinal, o chamado Novo Testamento foi escrito, não no grego clássico usado pelos filósofos como Platão, mas no grego comum, do dia a dia, chamado coiné. De fato, a Bíblia foi escrita para que pessoas comuns pudessem lê-la e entendê-la.

Com esse objetivo, em anos recentes têm sido produzidas várias traduções modernas em diversos idiomas. Na maioria dos casos, o resultado tem sido razoavelmente bom. O público em geral tem tido mais acesso às Escrituras. Mesmo assim, muitas dessas novas versões têm deixado a desejar no que diz respeito à exatidão sem influência de opiniões pessoais e à clareza. Por exemplo, algumas dificultam o entendimento do ensino claro da Bíblia sobre a condição dos mortos e o nome do Deus verdadeiro.

Mas os que amam a Palavra de Deus receberam com alegria o lançamento da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs em [mencione o idioma]. As Testemunhas de Jeová anunciaram o lançamento dessa tradução moderna em [data] [mencione a data e/ou as circunstâncias do lançamento]. Visto que os tradutores não permitiram que ensinos religiosos influenciassem seu trabalho, o texto traduzido apresenta uma exatidão como nunca antes, tornando possível um entendimento profundo da Bíblia como nunca se teve antes em [idioma]. Mas você talvez se pergunte: ‘Quem é responsável por essa maravilhosa tradução?’

Tradutores que deram glória a Deus

Embora a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs seja nova para os que falam o [idioma], na verdade ela já existe desde 1950. Ela foi lançada naquela época em inglês pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados — uma Sociedade Bíblica internacional com muita experiência na publicação da Bíblia. A Sentinela (em inglês) de 15 de setembro de 1950 (em português: 1.° de julho de 1951) disse: “Os homens que formam a comissão de tradução indicaram seu desejo . . . de que permaneçam anônimos, e especificamente não querem que seus nomes sejam publicados nem enquanto vivem nem depois da sua morte. A tradução tem por fim exaltar o nome do Deus verdadeiro e vivo.”

A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, a Bíblia inteira em só volume, foi lançada em 1961. E embora até hoje os nomes de seus tradutores não sejam conhecidos, não pode haver nenhuma dúvida quanto à suas motivações ou o quanto eles eram dedicados. O prefácio da edição de 2013 diz: “Reconhecendo a importância da mensagem das Escrituras, nosso objetivo foi produzir uma tradução não apenas fiel aos textos originais, mas também clara e fácil de ler.”

Será que os que fizeram parte da comissão de tradução eram habilitados para essa tarefa? Alguns eruditos descontentes têm afirmado que o fato de não se saber o nome e a formação acadêmica dos tradutores é motivo para rejeitar de imediato a tradução como trabalho de pessoas inexperientes. Mas nem todos os eruditos têm esse ponto de vista desarrazoado. Alan S. Duthie escreveu: “Será que sabermos quem são os tradutores ou os editores de determinada tradução da Bíblia nos ajuda a decidir se a tradução é boa ou má? Não especificamente. Nada substitui o exame das características de cada tradução.”

É interessante que a capa da Edição com Referências de 1971 da New American Standard Bible diz algo parecido: “Não usamos o nome de nenhum erudito para referência ou recomendação, porque cremos que a Palavra de Deus deve destacar-se pelo seu próprio mérito.”

Até hoje, no mundo todo já foram impressos mais de 210000000 exemplares da Tradução do Novo Mundo, inteira ou em partes, em 130 idiomas. O que muitos dos seus leitores descobriram?

Uma tradução que santifica o nome de Deus

Jesus ensinou seus discípulos a orar: “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.” (Mateus 6:9) Mas na maioria das traduções Deus é um ser sem nome, identificado apenas pelo título “Deus” ou “Senhor”. No entanto, no início não era assim. Nas Escrituras Hebraicas, Deus é claramente identificado cerca de 7.000 vezes pelo seu nome pessoal, Jeová. (Êxodo 3:​15; Salmo 83:18) Depois, devido ao medo causado por superstições, o povo judeu parou de usar o nome divino. Depois da morte dos apóstolos de Jesus, a congregação cristã foi contaminada por esse conceito supersticioso. (Atos 20:29, 30; 1 Timóteo 4:1) Copistas dos livros da Bíblia escritos em grego começaram a substituir o nome de Deus, Jeová, pelas palavras gregas Kýrios e Theós, que significam “Senhor” e “Deus”, respectivamente.

A Comissão da Tradução do Novo Mundo da Bíblia tomou a ação corajosa de restabelecer o nome Jeová nas Escrituras Gregas Cristãs (“Novo Testamento”); o nome aparece lá 237 vezes. Isso foi feito, não por capricho dos tradutores, mas tendo por base um estudo sério e cuidadoso. Por exemplo, Lucas 4:​18 cita as palavras de Isaías 61:1. No texto hebraico original, o nome Jeová aparecia nesse versículo de Isaías. Assim, na Tradução do Novo Mundo, Lucas 4:​18 é traduzido de modo apropriado: “O espírito de Jeová está sobre mim, porque Ele me ungiu para declarar boas novas aos pobres.”

^ parágrafo 1 É verdade que em geral a versão Septuaginta grega serviu de base para citações das Escrituras Hebraicas no chamado Novo Testamento. Visto que cópias da Septuaginta feitas mais tarde não contêm o nome de Deus, muitos eruditos afirmam que o nome deve da mesma forma ser retirado das Escrituras Gregas Cristãs. No entanto, as cópias mais antigas da Septuaginta contêm o nome Jeová na sua forma hebraica original. Isso serve de forte apoio ao uso do nome Jeová nas Escrituras Gregas.

Essas traduções ajudam os leitores a ver a diferença entre Jeová Deus e seu filho unigênito, Jesus Cristo. Por exemplo, muitos tradutores vertem assim Mateus 22:44: “O Senhor disse ao meu Senhor.” (Nova Versão Internacional) Mas quem está falando com quem? Na verdade, esse versículo cita parte do Salmo 110:1, que no texto hebraico original contém o nome de Deus. A Tradução do Novo Mundo, portanto, traduz assim Mateus 22:44: “Jeová disse ao meu Senhor.” Compreender a diferença que as Escrituras apresentam entre Jeová Deus e seu Filho não é questão acadêmica. (Marcos 13:32; João 8:​17, 18; 14:28) É essencial para a salvação da pessoa. Atos 2:​21 diz: “Todo aquele que invocar o nome de Jeová será salvo.”

Exatidão e clareza

A Tradução do Novo Mundo tem outras características especiais. O texto grego padrão de Westcott e Hort, grandemente aperfeiçoado, serviu de base para essa tradução. Mas foram consultados outros papiros e textos-padrões antigos, como os de Nestle e Aland e das Sociedades Bíblicas Unidas. Tomou-se então muito cuidado para traduzir o grego original do modo mais exato e fiel possível, numa linguagem simples e atual. Isso não só preservou muito do estilo e clareza dos escritos bíblicos originais como tornou possível entender coisas que antes não eram entendidas.

A Tradução do Novo Mundo se esforça em transmitir as variações dos verbos gregos. Em muitos idiomas modernos, os verbos são conjugados para expressar o tempo de uma ação verbal — isto é, passado, presente ou futuro. Em grego, os verbos também indicam que tipo de ação está envolvida — se é momentânea, se já foi concluída ou se é contínua. Veja o caso das palavras de Jesus em Mateus 6:​33. O verbo grego que significa “buscar” transmite a ideia de ação contínua. Por isso, o pleno impacto das palavras de Jesus são mais fáceis de entender na tradução: “Persistam, então, em buscar primeiro o Reino e a justiça de Deus, e todas essas outras coisas lhes serão acrescentadas.” Da mesma forma, Mateus 7:7 é traduzido: “Persistam em pedir, e lhes será dado; persistam em buscar, e acharão; persistam em bater, e lhes será aberto.” — Romanos 1:​32; 6:2; Gálatas 5:​15.

Tornando a Palavra de Deus disponível no mundo inteiro

O lançamento das Escrituras Gregas Cristãs em [idioma] é apenas o começo. Estão sendo feitos planos para, com o tempo, traduzir a Bíblia inteira. Mas será que os leitores podem ter certeza de que a versão em [idioma] terá a mesma exatidão e clareza da sua versão correspondente em inglês?

Sem dúvida que sim! Isso porque o trabalho de tradução tem sido supervisionado de perto pelo Corpo Governante das Testemunhas de Jeová. De modo sábio, foi decidido que a tradução da Bíblia para outras línguas teria melhores resultados trabalhando em equipe. Assim, foram formadas equipes de tradução da Bíblia em vários países. Na sede mundial das Testemunhas de Jeová, foi formado um departamento chamado Serviços de Tradução para atender as necessidades dessas equipes, responder perguntas dos tradutores da Bíblia e harmonizar as edições da Tradução do Novo Mundo em diferentes idiomas. Além disso, para ajudar os tradutores, foi desenvolvido um programa de computador chamado Watchtower Translation System (Sistema de Tradução da Torre de Vigia). Não resta dúvida: o trabalho de tradução ainda exige muito esforço humano. Mas os computadores têm tornado muito mais fácil alcançar o valioso alvo estabelecido pelas equipes de tradução da Bíblia, verter a Tradução do Novo Mundo com a mesma exatidão e clareza que a versão em inglês. Entre outras coisas, o sistema de tradução indica como cada palavra hebraica e grega é traduzida na edição em inglês — uma grande ajuda para os tradutores ao escolher termos equivalentes no idioma em que estão traduzindo.

O sucesso desse trabalho pode ser visto de imediato quando vemos os resultados. Incentivamos você a examinar a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs. Poderá obter um exemplar com os que publicam esta revista. Você vai gostar também das muitas características especiais dessa tradução: o tipo de letra fácil de ler; o conteúdo dos livros, que dá a você uma visão geral de cada livro e o ajuda a encontrar versículos conhecidos mais rapidamente; mapas bem detalhados; e a matéria atraente do apêndice. O mais importante é que você pode ler essa Bíblia com a certeza de que ela transmite de modo exato as declarações de Deus na linguagem do dia a dia.

[Quadro]

Características da Tradução do Novo Mundo:

Tomou-se muito cuidado para traduzir a versão em inglês do modo mais exato e fiel possível numa linguagem simples e atual

O tipo de letra fácil de ler torna a leitura agradável

O conteúdo dos livros torna fácil encontrar rapidamente versículos conhecidos

Os mapas bem detalhados ajudam os leitores a entender melhor a geografia das terras bíblicas

A clareza da Tradução do Novo Mundo é de grande ajuda na obra de pregação