Sua relação com Jeová é real?

Sua relação com Jeová é real?

“Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós.” — TIA. 4:8.

1. Por que nossa relação com Jeová precisa ser forte?

VOCÊ é uma Testemunha de Jeová dedicada e batizada? Então tem algo de grande valor: uma relação pessoal com Deus. Mas essa relação é ameaçada não só pelo mundo de Satanás, mas também pela nossa própria imperfeição. Todos os cristãos estão nessa situação difícil. Em vista disso, nossa relação com Jeová precisa ser o mais forte possível.

2. Como podemos fortalecer nossa relação com Jeová?

2 Sua relação com Jeová é real para você? Gostaria de fortalecê-la? Tiago 4:8 diz como fazer isso: “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós.” Note que nesse processo há duas partes envolvidas: quando damos passos para nos achegar a Deus, ele por sua vez se achega a nós. Quanto mais esse processo se repete, mais forte fica nossa relação com Jeová. Por fim, ela se torna muito real para nós. Desenvolvemos assim o tipo de confiança que Jesus mostrou ao dizer: “Aquele que me enviou é real, e . . . eu o conheço.” (João 7:28, 29) Mas que passos específicos você pode dar para se achegar mais a Jeová?

Como você pode se comunicar com Deus? (Veja o parágrafo 3.)

3. Como podemos nos comunicar com Jeová?

3 Ter uma comunicação regular com Jeová é vital para nos achegar a ele. Como você pode se comunicar com Deus? Bem, como você se comunica com um amigo que mora bem longe? É provável que vocês escrevam cartas ou e-mails um para o outro e conversem por telefone, talvez com uma boa frequência. De modo similar, você conversa com Jeová por meio de suas frequentes orações. (Leia Salmo 142:2.) E você permite que Jeová converse com você, por assim dizer, por ler regularmente Sua Palavra escrita e meditar nela. (Leia Isaías 30:20, 21.) Vejamos então como esses dois aspectos da comunicação fortalecem nosso vínculo com Jeová, tornando nossa relação com ele cada vez mais real.

ESTUDO DA BÍBLIA — JEOVÁ CONVERSA COM VOCÊ

4, 5. Como Jeová se comunica com você por meio de Sua Palavra escrita? Dê um exemplo.

4 Você sem dúvida concorda que a Bíblia tem a mensagem de Deus para a humanidade como um todo. Mas será que a Bíblia também mostra como você especificamente pode se achegar mais a Jeová? Sim. Mas como? À medida que você lê e estuda regularmente a Bíblia, pense em como reage ao que ela diz e em como pode aplicar o que aprende; desse modo, estará deixando que Jeová converse com você por meio de Sua Palavra. Isso fortalecerá sua relação com ele. — Heb. 4:12; Tia. 1:23-25.

5 Por exemplo, leia e medite nas palavras de Jesus: “Parai de armazenar para vós tesouros na terra.” Se achar que já está concentrando sua vida nos interesses do Reino, então sentirá que Jeová está contente com você. Por outro lado, se achar que precisa simplificar a vida e se concentrar mais nos interesses do Reino, então sentirá que Jeová o está alertando, indicando um campo em que você pode melhorar para se achegar mais a ele. — Mat. 6:19, 20.

6, 7. (a) Que impacto o estudo da Bíblia tem em nosso amor por Jeová e no amor dele por nós? (b) Qual deve ser nosso objetivo ao estudar?

6 Estudar a Bíblia faz mais do que revelar áreas em que podemos melhorar em sentido espiritual. Também nos ajuda a ser mais gratos pelo modo terno de Jeová agir, levando-nos a amá-lo ainda mais. E, quando nosso amor por ele aumenta, o mesmo acontece com o amor dele por nós; isso fortalece nossa relação com ele. — Leia 1 Coríntios 8:3.

7 Mas, para nos achegar a Jeová, é vital estudarmos com o objetivo correto. A Bíblia diz: “Isto significa vida eterna, que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e . . . Jesus Cristo.” (João 17:3, nota) Assim, nosso objetivo não deve ser simplesmente adquirir conhecimento, mas ‘conhecer’ melhor a Jeová como Pessoa. — Leia Êxodo 33:13; Sal. 25:4.

8. (a) Que preocupação poderia surgir sobre o modo como Jeová lidou com o Rei Azarias? (b) De que modo conhecer a Jeová elimina qualquer dúvida sobre seu modo de agir?

8 Às vezes, pode ser que leiamos um trecho da Bíblia que nos leve a questionar o modo de Jeová agir. Mas, à medida que conhecermos melhor a Jeová, não ficaremos abalados em casos assim. Por exemplo, qual é sua reação diante do modo como Jeová lidou com Azarias, rei de Judá? (2 Reis 15:1-5) Note que, embora ‘o povo oferecesse sacrifícios e fizesse fumaça sacrificial nos altos’, Azarias “fazia o que era reto aos olhos de Jeová”. Mesmo assim, “Jeová atingiu o rei com uma praga e ele ficou sendo leproso até o dia da sua morte”. Por quê? O relato não diz. Será que isso deveria nos abalar ou nos levar a concluir que Jeová puniu Azarias sem um motivo válido? Não, se conhecermos bem o modo de Jeová agir. Isso inclui saber que Jeová sempre disciplina “no grau correto”. (Jer. 30:11) Esse conhecimento nos garante que, mesmo se não entendêssemos por que ele agiu assim no caso de Azarias, poderíamos confiar que Seu julgamento é justo.

9. Que detalhes nos ajudam a entender por que Jeová atingiu Azarias com lepra?

9 Nesse caso, porém, encontramos detalhes adicionais em outras partes da Bíblia. O Rei Azarias também era conhecido como Rei Uzias. (2 Reis 15:7, 32) De acordo com o relato paralelo em 2 Crônicas 26:3-5, 16-21, embora Uzias tivesse feito o que era certo para Jeová por um tempo, mais tarde “ensoberbeceu-se o seu coração a ponto de causar a ruína”. Num ato de presunção, ele tentou realizar tarefas sacerdotais que não cabiam a ele. Ele foi confrontado por 81 sacerdotes, que tentaram corrigi-lo. Qual foi a reação de Uzias? Ele mostrou o grau do seu orgulho e “foi tomado de fúria” contra os sacerdotes. Não é de admirar que Jeová o tenha atingido com lepra!

10. Por que não precisamos de uma explicação para cada ação de Jeová, e como podemos fortalecer nossa confiança no modo justo de ele agir?

10 O que aprendemos disso? Imagine que a Palavra de Deus não tivesse esses detalhes esclarecedores, como acontece em outros relatos bíblicos. Você ficaria tentado a questionar a justiça de Deus? Ou raciocinaria que a Bíblia dá motivos suficientes para confiarmos que Jeová sempre faz o que é certo? Levaria em conta que ele é o próprio padrão do que é certo e do que é errado? (Deut. 32:4) À medida que conhecemos melhor a Jeová como Pessoa, nosso amor e gratidão por seu modo de agir cresce de tal maneira que não precisamos de uma explicação para tudo que ele faz. Tenha certeza de que, quanto mais você estudar a Palavra escrita de Deus e meditar no que ele lhe diz por meio dela, maior será sua gratidão. (Sal. 77:12, 13) Isso, por sua vez, fortalecerá sua relação com Jeová, tornando-a cada vez mais real.

ORAÇÃO — VOCÊ CONVERSA COM JEOVÁ

11-13. Como você sabe que Jeová ouve orações? (Veja a gravura no início do artigo.)

11 Quando oramos, nós nos achegamos a Jeová. Nós o louvamos, lhe agradecemos e buscamos sua orientação. (Sal. 32:8) Mas, para que sua relação com Jeová seja real, você precisa estar convencido de que ele ouve as orações.

12 Alguns acreditam que o único benefício das orações é em sentido psicológico. Para eles, quando você acha que sua oração foi respondida, isso se deve ao simples fato de ter expressado seus sentimentos, identificado o problema e procurado pensar numa solução. É verdade que há esses benefícios. Mas como você pode ter certeza de que suas orações sinceras são ouvidas por Jeová?

13 Pense nisto: antes de vir à Terra, Jesus observou de perto como Jeová respondia às orações de Seus servos humanos. Depois, durante seu ministério terrestre, Jesus usou a oração como meio de comunicar seus sentimentos ao seu Pai no céu. Será que ele teria feito isso — até mesmo orado uma noite inteira — se achasse que Jeová não estava ouvindo? (Luc. 6:12; 22:40-46) Será que teria ensinado seus discípulos a orar se achasse que a oração não passa de uma muleta psicológica? Não há dúvida de que Jesus sabia que a oração é um modo real de se comunicar com Jeová. Em certa ocasião, ele disse: “Pai, eu te agradeço que me ouviste. Deveras, eu sabia que sempre me ouves.” Nós também podemos confiar que Jeová é o “Ouvinte de oração”. — João 11:41, 42; Sal. 65:2.

14, 15. (a) Como orações específicas nos ajudam? (b) Como as orações ajudaram uma irmã a fortalecer sua relação com Jeová?

14 Quando você é específico em suas orações, consegue perceber melhor as respostas de Jeová, mesmo que não sejam claras. Orações respondidas tornam Jeová mais real para você. Além disso, quanto mais você se abre com Jeová, contando suas preocupações, mais ele se achega a você.

15 Veja o caso de Kelly. * Ela não gostava do ministério de campo, embora participasse nele com regularidade. Ela explica: “Eu não gostava do serviço de campo — não gostava mesmo. Quando me aposentei, um ancião expressou confiança de que eu me tornaria pioneira regular e até me entregou uma petição. Decidi ser pioneira, mas também comecei a orar todo dia para que Jeová me fizesse gostar do serviço de campo.” Será que Jeová respondeu suas orações? Ela diz: “Já faz três anos que sou pioneira. Visto que agora passo mais tempo no ministério e aprendo com outras irmãs, tenho aos poucos melhorado minhas habilidades de dar testemunho. Hoje, não gosto do serviço de campo — eu amo. Além disso, minha relação com Jeová é muito mais forte do que antes.” Sem dúvida, as orações ajudaram Kelly a tornar real sua relação com Jeová.

FAÇA SUA PARTE

16, 17. (a) O que precisamos fazer para que nossa relação com Jeová seja cada vez mais forte? (b) Que grande desafio será considerado no próximo artigo?

16 Desenvolver uma relação mais achegada com Jeová é um empenho que dura a vida inteira. Precisamos tomar medidas para nos achegar a Deus se queremos que ele também se achegue a nós. Portanto, mantenhamos uma comunicação regular com nosso Deus por meio do estudo da Bíblia e da oração. Em resultado disso, nossa relação com Jeová ficará cada vez mais forte, e isso nos ajudará a superar situações difíceis.

Desenvolver uma relação mais achegada com Jeová é um empenho que dura a vida inteira (Veja os parágrafos 16 e 17.)

17 Mas um grande desafio pode surgir quando os problemas pessoais continuam, apesar de nossas orações persistentes. Em ocasiões assim, nossa confiança em Jeová pode ficar abalada. Talvez comecemos a nos perguntar se Jeová realmente ouve nossas orações ou até mesmo se ele se considera nosso amigo. Como podemos lidar com essas situações sem perder a confiança de que nossa relação com Deus é real? O próximo artigo considerará isso.

^ parágrafo 15 O nome foi mudado.