Você fará sacrifícios pelo Reino?

Você fará sacrifícios pelo Reino?

“Deus ama o dador animado.” — 2 COR. 9:7.

1. Que tipos de sacrifício muitas pessoas fazem, e por quê?

AS PESSOAS estão dispostas a fazer sacrifícios por coisas que acham importantes. Os pais dão de seu tempo, dinheiro e energia em benefício dos filhos. Jovens atletas que sonham representar seu país nas Olimpíadas gastam várias horas todo dia treinando arduamente enquanto seus colegas se divertem. Jesus também fez sacrifícios por coisas que para ele eram importantes. Ele não buscou uma vida de luxo e não teve filhos. Em vez disso, ele escolheu se concentrar em promover os interesses do Reino. (Mat. 4:17; Luc. 9:58) Seus seguidores também abriram mão de muita coisa para apoiar o Reino de Deus. O Reino era a coisa mais importante em sua vida, e eles fizeram sacrifícios para apoiá-lo ao máximo possível. (Mat. 4:18-22; 19:27) Assim, devemos nos perguntar: ‘O que é importante na minha vida?’

2. (a) Que sacrifícios são essenciais para todos os cristãos verdadeiros? (b) Que sacrifícios adicionais alguns podem fazer?

2 Alguns sacrifícios são essenciais para todos os cristãos verdadeiros e são importantes para cultivarmos e mantermos uma boa relação com Jeová. Esses sacrifícios incluem tirar tempo e fazer esforços para orar, ler a Bíblia, realizar a adoração em família, assistir às reuniões e participar no ministério de campo. * (Jos. 1:8; Mat. 28:19, 20; Heb. 10:24, 25) Em resultado de nossos esforços e das bênçãos de Jeová, a obra de pregação está avançando e muitos continuam a vir para “o monte da casa de Jeová”. (Isa. 2:2) Para apoiar as atividades do Reino, muitos fazem sacrifícios para servir em Betel, apoiar construções de Salões do Reino e Salões de Assembleias, organizar congressos ou participar de ajuda humanitária quando há desastres naturais. Esse trabalho adicional não é um requisito para ganharmos a vida, mas ele é vital para os interesses do Reino.

3. (a) Como somos beneficiados quando fazemos sacrifícios pelo Reino? (b) Que perguntas devemos considerar?

3 A necessidade de apoiar o Reino nunca foi tão grande. É uma alegria ver que muitos fazem sacrifícios a Jeová de bom grado. (Leia Salmo 54:6.) Esse espírito generoso nos dá muita alegria enquanto aguardamos a vinda do Reino de Deus. (Deut. 16:15; Atos 20:35) Todos nós, porém, devemos fazer uma autoanálise. Será que podemos fazer mais sacrifícios pelo Reino? Como estamos usando nosso tempo, dinheiro, energia e habilidades? Que cuidado devemos ter? Vamos analisar alguns princípios que podemos seguir ao fazer sacrifícios voluntários, o que aumentará nossa alegria.

SACRIFÍCIOS NO ISRAEL ANTIGO

4. Como os israelitas eram beneficiados por fazer sacrifícios?

4 No Israel antigo, oferecer sacrifícios era a base para o perdão de pecados. Os sacrifícios eram necessários para que o povo tivesse o favor de Jeová. Alguns deles eram obrigatórios; outros eram voluntários. (Lev. 23:37, 38) Ofertas queimadas podiam ser apresentadas como ofertas voluntárias, ou dádivas, a Jeová. Um notável exemplo de ofertas a Jeová ocorreu na inauguração do templo nos dias de Salomão. — 2 Crô. 7:4-6.

5. Que provisão Jeová fez para os que tinham recursos limitados?

5 Jeová amorosamente entendia que nem todo mundo podia dar a mesma quantidade e exigia de cada pessoa apenas o que ela podia fazer. A lei de Jeová especificava que o sangue do animal fosse derramado, o que era “uma sombra das boas coisas vindouras” que se tornariam realidade por meio de seu Filho, Jesus. (Heb. 10:1-4) No entanto, Jeová não era rígido em relação ao tipo de animal que devia ser sacrificado. Por exemplo, Deus aceitava uma oferta de rolas se a pessoa não tivesse condições de oferecer um animal de seu rebanho ou manada. Assim, até mesmo os pobres podiam fazer sacrifícios a Jeová com alegria. (Lev. 1:3, 10, 14; 5:7) Embora os animais sacrificados pudessem ser diferentes, havia duas coisas que se exigia de cada pessoa que fosse fazer sacrifícios voluntários.

6. O que se exigia de alguém que fosse oferecer um sacrifício, e até que ponto era importante seguir esses requisitos?

6 Primeiro, a pessoa tinha de dar o seu melhor. Jeová disse à nação que toda oferta devia ser sadia a fim de “ganhar aprovação”. (Lev. 22:18-20) Se houvesse algum defeito no animal, ele era considerado um sacrifício inaceitável para Jeová. Segundo, a pessoa que oferecia o sacrifício tinha de estar numa condição pura. Caso contrário, ela precisava fazer uma oferta pelo pecado ou uma oferta pela culpa para recuperar sua posição perante Jeová antes de apresentar uma oferta voluntária. (Lev. 5:5, 6, 15) Esse era um assunto sério. Jeová especificou que, se alguém numa condição impura oferecesse um sacrifício de participação em comum, o que incluía ofertas voluntárias, ele seria decepado do povo de Deus. (Lev. 7:20, 21) Por outro lado, quando a pessoa tinha uma boa posição perante Jeová e seu sacrifício não tinha defeito, ela podia sentir satisfação e alegria. — Leia 1 Crônicas 29:9.

SACRIFÍCIOS EM NOSSOS DIAS

7, 8. (a) Que alegria muitos sentem por fazer sacrifícios pelo Reino? (b) Que recursos temos à nossa disposição?

7 Hoje, muitos também estão dispostos a dar de si no serviço de Jeová, e ele se agrada disso. Trabalhar em benefício de nossos irmãos é recompensador. Certo irmão que participa na construção de Salões do Reino e em prestar ajuda a vítimas de desastres naturais diz que é difícil descrever a satisfação que sente por servir aos irmãos dessas maneiras. Ele conta: “Ver a alegria e a gratidão que os irmãos locais sentem ao entrarem em seu novo Salão do Reino ou ao receberem ajuda após um desastre natural faz valer a pena todo o trabalho e esforço.”

Muitas ofertas eram voluntárias, assim como os sacrifícios que fazemos hoje (Veja os parágrafos 7-13.)

8 A organização de Jeová sempre procurou oportunidades para apoiar a obra do Reino. Em 1904, o irmão C. T. Russell escreveu: “Cada um deve considerar-se designado pelo Senhor para administrar seu próprio tempo, influência, dinheiro, etc., e cada um deve procurar usar esses talentos segundo o melhor de suas habilidades, para a glória do Amo.” Apesar de recebermos muitas bênçãos, fazer sacrifícios a Jeová envolve algum custo. (2 Sam. 24:21-24) Será que podemos usar melhor os recursos que temos?

Membros da família do Betel da Austrália

9. No que se refere ao uso do nosso tempo, que princípio encontrado nas instruções de Jesus em Lucas 10:2-4 podemos seguir?

9 Nosso tempo. É preciso muito tempo e esforço para traduzir e imprimir nossas publicações, construir locais de adoração, organizar congressos, prestar ajuda humanitária e apoiar muitas outras atividades necessárias. Nosso dia tem apenas 24 horas. Jesus deixou um princípio que pode nos ajudar. Quando enviou seus discípulos para pregar, ele lhes disse para não ‘abraçar a ninguém em cumprimento ao longo da estrada’. (Luc. 10:2-4) Por que Jesus deu essa instrução? Um erudito bíblico diz: “Os cumprimentos entre os orientais não consistiam, como entre nós, em um breve aceno com a cabeça ou um aperto de mão, mas incluíam muitos abraços, reverências e até prostrar-se ao solo. Tudo isso tomava muito tempo.” Jesus não estava incentivando seus discípulos a ser mal-educados. Na verdade, ele os estava ajudando a ver que eles não tinham muito tempo e deviam aproveitá-lo ao máximo para cuidar das coisas mais importantes. (Efé. 5:16) Será que podemos seguir esse princípio a fim de ter mais tempo para trabalhar em prol do Reino?

Publicadores num Salão do Reino no Quênia, África

10, 11. (a) Cite algumas maneiras como nossos donativos para a obra mundial são usados. (b) Que princípio em 1 Coríntios 16:1, 2 pode nos ajudar?

10 Nosso dinheiro. Uma quantia considerável de dinheiro é necessária para apoiar as atividades do Reino. Todo ano, dezenas de milhões de dólares são usados para cuidar dos gastos com superintendentes viajantes, pioneiros especiais e missionários. Desde 1999, mais de 24.500 Salões do Reino foram construídos em países com recursos limitados. Mas ainda são necessários quase 6.400 Salões do Reino. Todo mês, são impressos cerca de 100 milhões de exemplares das revistas A Sentinela e Despertai!. Os donativos que você faz ajudam a realizar tudo isso.

11 Ao se referir a donativos, o apóstolo Paulo forneceu um princípio que devemos seguir. (Leia 1 Coríntios 16:1, 2.) Sob inspiração, ele incentivou seus irmãos em Corinto a não esperar até o fim da semana para ver o que havia sobrado, mas a reservar algum dinheiro no início da semana, segundo as suas condições. Como no primeiro século, os irmãos hoje planejam contribuir generosamente de acordo com suas circunstâncias. (Luc. 21:1-4; Atos 4:32-35) Jeová se agrada muito dessa disposição.

Um voluntário de uma Comissão Regional de Construção em Tuxedo, Nova York, EUA

12, 13. Que preocupações podem fazer com que alguns deixem de usar suas energias e habilidades a favor do Reino, mas como Jeová os ajudará?

12 Nossas energias e habilidades. Jeová nos apoia quando usamos nossas energias e habilidades a favor do Reino. Ele promete nos ajudar quando nos sentimos cansados. (Isa. 40:29-31) Será que achamos que não temos as habilidades necessárias para apoiar a obra ou que há outros irmãos mais qualificados? Não se esqueça de que Jeová pode aprimorar as habilidades naturais de qualquer pessoa, como fez com Bezalel e Ooliabe. — Êxo. 31:1-6; veja a gravura no início do artigo.

13 Jeová nos incentiva a dar o nosso melhor e a estar sempre dispostos a ajudar. (Pro. 3:27) Durante a reconstrução do templo, Jeová disse aos judeus em Jerusalém que meditassem no que eles estavam fazendo para apoiar o trabalho de construção. (Ageu 1:2-5) Eles haviam permitido que outras coisas os distraíssem e acabaram perdendo o foco. É bom analisarmos se nossas prioridades estão em harmonia com as prioridades de Jeová. Será que podemos ‘fixar o coração nos nossos caminhos’ a fim de termos uma participação maior na obra do Reino nestes últimos dias?

SACRIFÍCIOS ‘SEGUNDO O QUE TEMOS’

14, 15. (a) Como você é encorajado pelo exemplo de nossos irmãos que têm recursos limitados? (b) Qual deve ser o nosso desejo?

14 Muitos moram em regiões onde há muita dificuldade e pobreza. Nossa organização se esforça para “contrabalançar” a carência de nossos irmãos que vivem em países assim. (2 Cor. 8:14) Mas mesmo irmãos com poucos recursos prezam o privilégio de dar. Jeová se agrada quando os que são pobres em sentido material se sentem motivados a dar com alegria. — 2 Cor. 9:7.

15 Em um país bem pobre na África, alguns irmãos reservam uma pequena parte de sua horta para plantar algumas hortaliças a fim de vendê-las e usar o dinheiro da venda para apoiar a obra do Reino. Nesse mesmo país, planejou-se a construção de um Salão do Reino que era muito necessário. Os irmãos e as irmãs locais quiseram ajudar. Mas a construção ia ocorrer no meio da época do plantio. Ainda assim, os irmãos estavam determinados a participar; por isso, trabalhavam na construção durante o dia e, à noite, iam para os campos plantar. Um excelente exemplo de sacrifícios a favor do Reino! Isso nos faz lembrar os irmãos da Macedônia, no primeiro século. Eles viviam em extrema “pobreza”, mas ainda assim rogavam pelo privilégio de participar no programa de ajuda que estava em andamento. (2 Cor. 8:1-4) Que cada um de nós também ‘dê de modo proporcional à bênção que Jeová nos tem dado’. — Leia Deuteronômio 16:17.

16. Como podemos nos certificar de que nossos sacrifícios sejam aceitáveis para Jeová?

16 Mas é preciso uma palavra de cautela. Assim como no caso dos israelitas do passado, devemos nos certificar de que nossos sacrifícios sejam aceitáveis para Deus. Precisamos manter o equilíbrio ao cuidarmos de nossas principais responsabilidades, ou seja, as familiares e as espirituais. Dar de nosso tempo e recursos em favor de outros não deve nos levar a negligenciar o bem-estar físico e espiritual de nossa família. Do contrário, seria como dar o que não temos. (Leia 2 Coríntios 8:12.) Além disso, precisamos manter nossa própria espiritualidade. (1 Cor. 9:26, 27) Mas podemos ter a certeza de que, quando vivemos segundo os padrões bíblicos, nossos sacrifícios nos dão muita alegria e satisfação, além de serem ‘especialmente aceitáveis’ para Jeová.

NOSSOS SACRIFÍCIOS SÃO DE GRANDE VALOR

17, 18. Qual é a sua opinião sobre os que fazem sacrifícios pelo Reino, e o que todos nós devemos considerar?

17 Muitos de nossos irmãos são ‘derramados como oferta de bebida’ por meio do apoio que dão às necessárias atividades do Reino. (Fil. 2:17) Somos muito gratos aos que dão de si mesmos dessa forma. As esposas e os filhos dos irmãos que tomam a dianteira na obra do Reino também merecem elogios por seu espírito generoso e abnegado.

18 É necessário muito trabalho para apoiar os interesses do Reino. Todos nós devemos considerar com oração como podemos participar o máximo possível nessa obra. Você pode estar certo de que receberá muitas bênçãos agora e muito mais “no vindouro sistema de coisas”. — Mar. 10:28-30.

^ parágrafo 2 Veja o artigo “Ofereçamos sacrifícios de toda a alma para Jeová”, em A Sentinela de 15 de janeiro de 2012, páginas 21-25.