Isaías 29:1-24

  • Ai de Ariel! (1-16)

    • A hipocrisia religiosa é condenada (13)

  • Surdos ouvirão e cegos verão (17-24)

29  “Ai de Ariel,* Ariel, a cidade onde Davi acampou!+ Continue ano após ano,Que continue o ciclo de festividades.+   Mas eu causarei aflição a Ariel,+E haverá luto e lamentação;+Ela se tornará para mim como o braseiro do altar de Deus.+   Acamparei ao seu redor,E a cercarei com estacas pontiagudas;Erguerei contra você obras de cerco.+   Você será rebaixadaE falará desde o chão;Suas palavras serão abafadas pelo pó. Sua voz virá do chão+Como a voz de alguém que invoca espíritos,E suas palavras serão sussurradas* desde o pó.   Os seus muitos inimigos* se tornarão como a poeira fina;+A multidão dos tiranos, igual à palha* que é levada pelo vento.+ Isso acontecerá num instante, repentinamente.+   Jeová dos exércitos virá em seu auxílioCom trovões, terremotos e com um grande ruído,Com vendaval, tempestade e com as chamas de um fogo consumidor.”+   Então, a multidão de todas as nações que travam guerra contra Ariel+— Todos os que guerreiam contra ela,Erguem torres de cerco contra elaE lhe causam aflição —Se tornarão como um sonho, uma visão da noite.   Sim, será como quando alguém com fome sonha que está comendo,Mas acorda com fome;*E como quando alguém com sede sonha que está bebendo,Mas acorda cansado e com sede.* Assim acontecerá com a multidão de todas as naçõesQue travam guerra contra o monte Sião.+   Fiquem espantados e perplexos;+Ceguem-se e fiquem cegos.+ Eles estão embriagados, mas não com vinho;Cambaleiam, mas não por causa da bebida alcoólica. 10  Pois Jeová derramou sobre vocês um espírito de profundo sono;+Ele fechou os seus olhos, os profetas,+E cobriu as suas cabeças, os videntes.+ 11  Para vocês toda visão se torna igual às palavras de um livro selado.+ Quando o entregam a alguém que sabe ler e lhe pedem: “Leia isto em voz alta, por favor”, ele responde: “Não posso, pois está selado.” 12  E quando entregam o livro a alguém que não sabe ler e lhe pedem: “Leia isto, por favor”, ele diz: “Não sei ler.” 13  Jeová diz: “Este povo se aproxima de mim com a bocaE me honra com os lábios,+Mas o seu coração está muito longe de mim;E a adoração que me prestam* se baseia em regras de homens, que lhes foram ensinadas.+ 14  Por isso, mais uma vez farei coisas espantosas com este povo,+Uma coisa espantosa após outra;A sabedoria dos seus sábios acabará,E o entendimento dos seus homens sensatos* se esconderá.”+ 15  Ai dos que fazem de tudo para esconder seus planos* de Jeová.+ Eles praticam seus atos num lugar escuroE dizem: “Quem nos vê? Quem sabe o que estamos fazendo?”+ 16  Como vocês distorcem as coisas!* Será que o oleiro deve ser considerado igual ao barro?+ Será que a coisa feita pode dizer sobre aquele que a fez: “Ele não me fez”?+ E será que o objeto que foi moldado diz sobre aquele que o moldou: “Ele não entende nada”?+ 17  Muito em breve o Líbano será transformado em pomar,+E o pomar será considerado uma floresta.+ 18  Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro;E, livres das trevas e da escuridão, os olhos dos cegos verão.+ 19  Os mansos terão grande alegria em Jeová,E os pobres da terra exultarão no Santo de Israel.+ 20  Pois o tirano não existirá mais,O arrogante chegará ao seu fim,E todos os que se mantêm alertas para causar dano serão destruídos:+ 21  Os que usam palavras falsas para condenar outros,Que tentam enlaçar aquele que defende* outros no portão da cidade+E que, com argumentos vazios, negam justiça ao justo.+ 22  Portanto, Jeová, aquele que resgatou a Abraão,+ diz o seguinte à casa de Jacó: “Jacó não se envergonhará mais,E o seu rosto não mais ficará pálido.*+ 23  Pois, ao ver em seu meio os seus filhos,Trabalho das minhas mãos,+Eles santificarão o meu nome;Sim, santificarão o Santo de Jacó,E reverenciarão o Deus de Israel.+ 24  Os que são rebeldes no espírito vão adquirir entendimento,E os que se queixam aceitarão instrução.”

Notas de rodapé

Que possivelmente significa “o braseiro do altar de Deus”, aparentemente se referindo a Jerusalém.
Ou: “chilrarão”.
Lit.: “estranhos”.
Ou: “pragana”.
Ou: “acorda e sua alma está vazia”.
Ou: “e sua alma está seca”.
Ou: “E o seu temor de mim”.
Ou: “prudentes”.
Ou: “conselhos”.
Ou: “Como vocês são perversos!”
Lit.: “repreende”.
Isto é, de vergonha e decepção.