Configurações de acessibilidade

Pular para menu principal

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Pular para conteúdo

Busca avançada

Testemunhas de Jeová

A SENTINELA NOVEMBRO DE 2012

Pergunta 3: Por que Deus permite que eu sofra?

IAN tinha um pai alcoólatra. Embora tivesse tudo que precisava em sentido material, Ian sentia falta do apoio emocional de seu pai. “Eu nunca me senti muito próximo dele, em grande parte porque ele bebia e maltratava minha mãe”, diz Ian. Ao ficar mais velho, Ian começou a questionar a existência de Deus. “Eu pensava: ‘Se Deus existe mesmo, por que ele permite que as pessoas sofram?’”

Por que fazer essa pergunta?

Mesmo que você não tenha muitos problemas, com certeza seu senso de justiça o leva a ficar indignado ao ver pessoas inocentes sofrerem. No entanto, a questão do sofrimento ganha proporções maiores quando você, assim como Ian, passa por uma dificuldade ou quando alguém que você ama fica doente ou morre.

Como alguns responderiam?

Alguns acreditam que Deus permite o sofrimento para nos ensinar a mostrar humildade e compaixão. Outros acham que as pessoas sofrem por causa dos pecados que cometeram numa vida anterior.

O que isso significaria?

Que Deus é indiferente ao sofrimento humano, o que torna difícil amá-lo, e que ele é cruel.

O que a Bíblia ensina?

A Bíblia diz claramente que Deus não é o culpado pelo sofrimento. “Quando posto à prova, ninguém diga: ‘Estou sendo provado por Deus.’ Pois, por coisas más, Deus não pode ser provado, nem prova ele a alguém.” (Tiago 1:13) Na verdade, a ideia de que Deus é o culpado pelo sofrimento não se harmoniza com a descrição que a Bíblia faz de sua personalidade. Como assim?

Uma das principais qualidades de Deus é o amor. (1 João 4:8) Para destacar esse ponto, a Bíblia compara os sentimentos de Deus com os de uma mãe que amamenta. “Pode a mulher esquecer-se de seu nenê, de modo a não se apiedar do filho de seu ventre?”, pergunta Deus. “Mesmo estas mulheres podem esquecer-se,  mas eu é que não me esquecerei de ti.” (Isaías 49:15) Você acha que uma mãe amorosa faria mal a seu filho de propósito? Não, pelo contrário, ela faria de tudo para impedir que seu filho sofresse. De modo similar, Deus não é o responsável pelo sofrimento de pessoas inocentes. — Gênesis 18:25.

Mesmo assim, os inocentes continuam sofrendo. Você talvez se pergunte: ‘Se Deus se importa conosco e é todo-poderoso, por que não elimina as causas do sofrimento?’

Deus tem boas razões para permitir o sofrimento. Considere apenas uma. Geralmente são as pessoas que causam sofrimento. Muitos que perseguem e maltratam outros não estão dispostos a mudar, e essa é uma das principais causas do sofrimento. Por isso, Deus precisará destruir essas pessoas.

Explicando por que Deus ainda não destruiu os que fazem o mal a outros, o apóstolo Pedro escreveu: “Jeová não é vagaroso com respeito à sua promessa, conforme alguns consideram a vagarosidade, mas ele é paciente convosco, porque não deseja que alguém seja destruído, mas deseja que todos alcancem o arrependimento.” (2 Pedro 3:9) A paciência de Jeová Deus é um aspecto de sua personalidade amorosa e misericordiosa.

No entanto, Jeová agirá em breve. Ele vai ‘pagar de volta tribulação aos que causam tribulação’. Os que fazem os inocentes sofrer injustamente “serão submetidos à punição judicial da destruição eterna”. — 2 Tessalonicenses 1:6-9.

Ian, já citado, encontrou boas respostas para suas perguntas sobre o sofrimento. O que ele aprendeu mudou seu modo de encarar a vida. Leia sua história no próximo artigo, “A Bíblia Muda a Vida das Pessoas”.