Configurações de acessibilidade

Pular para menu principal

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Pular para conteúdo

Testemunhas de Jeová

A SENTINELA 2010-03-01

A Bíblia é a Palavra de Deus?

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça, a fim de que o homem de Deus seja plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra.” — 2 TIMÓTEO 3:16, 17.

SEM dúvida, essa foi uma declaração poderosa que o apóstolo Paulo fez sobre o extraordinário valor da Bíblia. Naturalmente, ele estava se referindo à parte da Bíblia disponível naquela época — aquilo que as pessoas muitas vezes chamam de Velho Testamento. Mas o que ele disse se aplica com a mesma força a todos os 66 livros da Bíblia, incluindo os que foram escritos pelos discípulos fiéis de Jesus no primeiro século EC.

Você preza a Bíblia tanto quanto Paulo? Acredita que seus escritores foram realmente inspirados por Deus? Os cristãos do primeiro século acreditavam. Nos séculos seguintes, essa crença não perdeu a força. Por exemplo, John Wycliffe, clérigo inglês do século 14, encarava a Bíblia como “a regra infalível da verdade”. O Novo Dicionário da Bíblia, comentando as palavras de Paulo já citadas, diz que “a inspiração [divina], por conseguinte, garante a veracidade de tudo quanto a Bíblia assevera”.

Mudanças no modo de encarar a Bíblia

Mais recentemente, porém, a confiança na autoridade da Bíblia diminuiu. O livro The World’s Religions (As Religiões do Mundo) diz que, “na teoria, todos os cristãos [ainda] aceitam a Bíblia como autoridade, tanto para orientar suas ações como para formar suas crenças”. Mas na prática, isso simplesmente  não acontece mais. Muitas pessoas hoje a encaram como mera “tradição humana que não é confiável”. Embora reconheçam que os seus escritores eram homens de grande espiritualidade, elas os veem apenas como humanos falíveis empenhados em explicar verdades espirituais profundas, mas a quem faltava o conhecimento e esclarecimento atual.

Na verdade, muito poucas pessoas hoje deixam que a Bíblia realmente oriente seus pensamentos e ações. Por exemplo, você já não ouviu muitas vezes alguém dizer que os padrões morais da Bíblia estão totalmente ultrapassados e que não são práticos? Muitos não veem problema em minimizar as leis e os princípios da Bíblia, ou até mesmo ignorá-los por completo quando lhes parece conveniente. Alguns que se dizem cristãos ignoram descaradamente o que a Bíblia diz sobre fornicação, adultério, desonestidade e embriaguez. — 1 Coríntios 6:9, 10.

Por que isso acontece? No início do século 20, uma das razões foi identificada pelo arqueólogo Sir Charles Marston no seu livro The Bible Is True (A Bíblia é Verdadeira). Ele disse que as pessoas prontamente se dispunham a “aceitar, sem contestar, muitas das especulações feitas por escritores modernos” que questionavam a integridade da Bíblia. Será que isso ainda acontece hoje? Como você deve encarar as opiniões e teorias de eruditos que minam a confiança na Bíblia? Veja o que o próximo artigo tem a dizer sobre isso.

 

LOGIN