Configurações de acessibilidade

Pular para menu principal

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Pular para conteúdo

Busca avançada

Testemunhas de Jeová

Português

A SENTINELA (EDIÇÃO DE ESTUDO) MARÇO DE 2014

Como manter um espírito abnegado

“Se alguém quer vir após mim negue-se a si mesmo.” — MAT. 16:24.

1. Como Jesus deu um exemplo perfeito de abnegação?

QUANDO esteve na Terra, Jesus deu um exemplo perfeito de abnegação. Ele deixava de lado seus desejos e confortos a fim de fazer a vontade de Deus. (João 5:30) Por permanecer fiel até a morte numa estaca de tortura, ele provou que seu espírito abnegado não tinha limite. — Fil. 2:8.

2. Como podemos mostrar abnegação, e por que devemos fazer isso?

2 Como seguidores de Jesus, nós também precisamos mostrar um espírito abnegado. O que isso significa? Dito de maneira simples, significa estarmos dispostos a abrir mão de nossos interesses a fim de ajudar outros. Em certo sentido, é o contrário do egoísmo. (Leia Mateus 16:24.) Um espírito abnegado pode nos ajudar a colocar os sentimentos e preferências dos outros à frente dos nossos. (Fil. 2:3, 4) Jesus ensinou que a abnegação tem um papel central em nossa adoração. Como assim? O amor cristão, que é uma das coisas que motivam alguém a ser abnegado, é a marca que identifica os verdadeiros discípulos de Jesus. (João 13:34, 35) E pense nas bênçãos que temos por pertencermos a uma fraternidade mundial que demonstra abnegação.

3. O que poderia corromper nosso espírito abnegado?

3 Mas nós enfrentamos um inimigo que pode sutilmente corromper nosso espírito abnegado. Esse inimigo é nossa tendência  de ser egoístas. Pense em como Adão e Eva manifestaram egoísmo. Eva se deixou levar pelo desejo egoísta de ser como Deus. Seu marido, pensando apenas em seu benefício, quis agradá-la mais do que a Jeová. (Gên. 3:5, 6) Depois de desviar Adão e Eva da adoração verdadeira, o Diabo continuou a tentar as pessoas a ser egoístas. Ele até mesmo usou essa tática com Jesus. (Mat. 4:1-9) Hoje, Satanás tem conseguido desencaminhar a maioria das pessoas, levando-as a manifestar egoísmo de muitas maneiras. Isso merece nossa atenção, visto que o espírito egoísta que prevalece no mundo pode nos contaminar. — Efé. 2:2.

4. (a) Podemos eliminar tendências egoístas? Explique. (b) Que perguntas analisaremos?

4 O egoísmo pode ser comparado à ferrugem. Se um objeto de ferro fica exposto ao tempo, ele pode começar a enferrujar. O verdadeiro perigo está em ignorar a ferrugem, permitindo que ela se espalhe a ponto de danificar ou comprometer uma estrutura. De modo similar, embora não possamos eliminar nossa imperfeição e tendências egoístas, devemos estar alertas aos perigos envolvidos e continuar lutando contra essas tendências. (1 Cor. 9:26, 27) Como podemos identificar sinais de egoísmo em nós mesmos? E como podemos desenvolver ainda mais um espírito abnegado?

USE A BÍBLIA PARA IDENTIFICAR TRAÇOS DE EGOÍSMO

5. (a) Em que sentido a Bíblia pode ser comparada a um espelho? (Veja a gravura no início do artigo.) (b) O que devemos evitar ao verificar se há traços de egoísmo em nós?

5 Assim como usamos um espelho para verificar nossa aparência física, podemos usar a Bíblia para verificar o que somos no íntimo e corrigir quaisquer defeitos que encontremos. (Leia Tiago 1:22-25.) No entanto, um espelho só será útil se o usarmos do modo correto. Por exemplo, se dermos uma olhada rápida no espelho, talvez deixemos de notar alguma mancha ou sujeira pequena, mas significativa. Ou se olharmos no espelho na diagonal, talvez vejamos a imagem de outra pessoa. Do mesmo modo, se queremos usar a Bíblia para verificar se há em nós algum defeito, como o egoísmo, precisamos fazer mais do que lê-la casualmente e não devemos usá-la para ver os defeitos dos outros.

6. De que modo ‘persistimos’ na lei perfeita?

6 Por exemplo, nós podemos ler a Palavra de Deus regularmente, até diariamente, e ainda assim não ver traços de egoísmo que estão se desenvolvendo em nós. Como isso é possível? Pense nisto: na ilustração de Tiago sobre o espelho, o problema não é que o homem olha com falta de atenção. Conforme Tiago disse, “ele olha para si mesmo”. A palavra grega usada aqui indica um exame detalhado ou uma consideração cuidadosa. Então, qual é o problema daquele homem? Tiago acrescenta: “[Ele] vai embora, e esquece imediatamente que sorte de homem ele é.” De fato, ele se afasta do espelho sem tomar nenhuma ação com base no que viu. Em contraste com isso, o outro homem da ilustração não apenas “olha de perto para a lei perfeita”, mas “persiste nisso”. Em vez de deixar para trás a lei perfeita da Palavra de Deus, ele persiste em seguir os ensinamentos dela. Jesus ensinou uma lição parecida ao dizer: “Se permanecerdes na minha palavra, sois realmente meus discípulos.” — João 8:31.

7. Como podemos usar a Bíblia para identificar traços de egoísmo?

7 Assim, para vencer a luta contra traços de egoísmo, é necessário primeiro ler a Bíblia cuidadosamente. Isso pode ajudar a identificar áreas que precisam de atenção. Mas isso não é tudo. É preciso ir mais a fundo por fazer pesquisas. Ao ler um relato bíblico, imagine-se naquela situação e pergunte-se:  ‘O que eu teria feito? Será que teria agido da maneira correta?’ Mais importante do que isso: após meditar no que leu, esforce-se para colocar em prática o que aprendeu. (Mat. 7:24, 25) Vejamos como os relatos sobre o Rei Saul e o apóstolo Pedro podem nos ajudar a manter um espírito abnegado.

APRENDA DO EXEMPLO DE ALERTA DO REI SAUL

8. Com que atitude Saul começou seu reinado, e como ele demonstrou isso?

8 O exemplo de Saul, rei de Israel, serve de alerta sobre como o egoísmo pode corroer nosso espírito abnegado. No início de seu reinado, Saul tinha um conceito modesto e humilde de si mesmo. (1 Sam. 9:21) Ele se recusou a punir os israelitas que tinham falado contra seu reinado — algo que ele poderia ter se sentido justificado a fazer, visto que Deus o havia designado rei. (1 Sam. 10:27) Além disso, o Rei Saul aceitou a orientação do espírito de Deus por liderar Israel numa batalha bem-sucedida contra os amonitas. Depois, ele humildemente deu a Jeová o crédito pela vitória. — 1 Sam. 11:6, 11-13.

9. Como Saul passou a ter um modo de pensar egoísta?

9 Mais tarde, Saul permitiu que um modo de pensar egoísta e o orgulho se desenvolvessem, assim como a ferrugem. Quando derrotou os amalequitas numa batalha, ele colocou seus próprios desejos à frente de sua obediência a Jeová. De modo ganancioso, ele se apossou do despojo em vez de destruí-lo, como Deus havia ordenado. Saul também mostrou arrogância ao construir um monumento em sua própria homenagem. (1 Sam. 15:3, 9, 12) Quando o profeta Samuel lhe disse que sua conduta havia desagradado a Jeová, Saul tentou se justificar por destacar a parte da ordem de Deus a que ele havia obedecido e por culpar outros pelo seu erro. (1 Sam. 15:16-21) O orgulho também o levou a ficar mais preocupado em salvar as aparências do que em agradar a Deus. (1 Sam. 15:30) Como podemos usar o exemplo de Saul como espelho para nos ajudar a manter um espírito abnegado?

10, 11. (a) O que a experiência de Saul nos ensina sobre manter um espírito abnegado? (b) Como podemos evitar cair no mesmo erro que Saul?

10 Primeiro, a experiência de Saul mostra que não podemos nos acomodar, achando que sempre teremos um espírito abnegado só porque já o demonstramos no passado. (1 Tim. 4:10) Lembre-se de que Saul demonstrou esse espírito e teve o favor de Deus por um tempo, mas cedeu às tendências egoístas que começaram a dominá-lo. Por fim, Jeová o rejeitou por causa de sua desobediência.

11 Segundo, devemos tomar cuidado para não nos concentrar apenas em aspectos de nossa vida em que estamos nos saindo bem, ignorando aqueles em que precisamos melhorar. Isso seria como usar um espelho para admirar nossas roupas novas e ao mesmo tempo não ver alguma sujeira no rosto. Mesmo que não sejamos tão autoconfiantes como Saul, devemos sem dúvida nos esforçar para evitar qualquer tendência que possa nos levar a cair no mesmo erro que ele. Se recebermos algum conselho, devemos tomar cuidado para não justificarmos nossas ações, não minimizarmos o problema e não colocarmos a culpa em outros. Em vez de sermos como Saul, seria muito melhor sermos abertos a conselhos. — Leia Salmo 141:5.

12. Como um espírito abnegado poderia nos ajudar caso cometêssemos um pecado grave?

12 Mas e se cometermos um pecado grave? Saul quis manter sua reputação, e isso impediu que ele se recuperasse espiritualmente. Um espírito abnegado, por outro lado, poderia nos ajudar a superar a  vergonha e obter a ajuda necessária. (Pro. 28:13; Tia. 5:14-16) Por exemplo, um irmão começou a ver pornografia aos 12 anos de idade e continuou fazendo isso em secreto por mais de uma década. Ele conta: “Foi muito difícil admitir para minha esposa e para os anciãos o que eu estava fazendo. Mas, quando fiz isso, foi como se um peso enorme tivesse sido tirado dos meus ombros. Alguns amigos meus ficaram decepcionados quando deixei de ser servo ministerial, como se eu os tivesse desapontado. Mas sei que Jeová está mais feliz com o meu serviço agora do que quando eu via pornografia, e a opinião dele é a que realmente importa.”

PEDRO VENCEU O EGOÍSMO

13, 14. Como Pedro manifestou tendências egoístas?

13 O apóstolo Pedro mostrou um espírito abnegado enquanto estava sendo treinado por Jesus. (Luc. 5:3-11) Mas ele precisou combater tendências egoístas. Por exemplo, ele ficou indignado quando os apóstolos Tiago e João tramaram ganhar posições de destaque ao lado de Jesus no Reino de Deus. Talvez Pedro pensasse que uma dessas posições deveria ser dele, visto que Jesus já havia dito que ele teria um papel especial. (Mat. 16:18, 19) De qualquer forma, Jesus alertou Tiago e João, assim como a Pedro e os demais apóstolos, para que eles não se tornassem egoístas tentando ‘dominar’ seus irmãos. — Mar. 10:35-45.

14 Mesmo depois que Jesus tentou corrigir o modo de pensar de Pedro, o apóstolo continuou lutando para ter um conceito correto de si mesmo. Quando Jesus disse aos apóstolos que eles o abandonariam temporariamente, Pedro rebaixou os outros e se colocou acima deles por afirmar que apenas ele se mostraria fiel. (Mat. 26:31-33) Mas ele não devia ter sido tão autoconfiante, porque naquela mesma noite ele falhou em mostrar um espírito abnegado. Numa tentativa de se proteger, Pedro repudiou Jesus três vezes. — Mat. 26:69-75.

15. Por que, no geral, o exemplo de Pedro é encorajador?

15 Apesar de suas lutas e fracassos, a vida de Pedro é um exemplo encorajador.  Com seus próprios esforços e a ajuda do espírito santo de Deus, ele venceu suas tendências egoístas e demonstrou autodomínio e amor abnegado. (Gál. 5:22, 23) Ele suportou provações que podem ser consideradas mais fortes do que aquelas em que ele havia falhado. Ele mostrou humildade pelo modo como reagiu à repreensão pública que recebeu do apóstolo Paulo. (Gál. 2:11-14) Após ter sido repreendido, Pedro não guardou mágoa, achando que a correção de Paulo havia prejudicado sua reputação. Ele continuou mostrando amor por Paulo. (2 Ped. 3:15) O exemplo de Pedro pode nos ajudar a cultivar um espírito abnegado.

Depois de ser corrigido, como Pedro reagiu? Será que teríamos uma reação parecida? (Veja o parágrafo 15.)

16. Como podemos demonstrar um espírito abnegado em circunstâncias difíceis?

16 Pense em como você reage em circunstâncias difíceis. Quando Pedro e os apóstolos foram presos e chibateados por causa de sua pregação, eles se alegraram “porque tinham sido considerados dignos de ser desonrados a favor do nome [de Jesus]”. (Atos 5:41) Por ter um espírito abnegado, você também pode encarar a perseguição como oportunidade de imitar o exemplo de Pedro e seguir os passos de Jesus. (Leia 1 Pedro 2:20, 21.) Esse conceito pode até mesmo ajudá-lo se você precisou receber uma disciplina dos anciãos. Siga o exemplo de Pedro em vez de se sentir ofendido. — Ecl. 7:9.

17, 18. (a) O que podemos nos perguntar sobre nossos alvos espirituais? (b) O que podemos fazer se percebermos certa medida de egoísmo em nosso coração?

17 O exemplo de Pedro também pode ser de ajuda no que se refere a alvos espirituais. Você pode buscá-los de um modo que reflita um espírito abnegado. Mas tome cuidado para que sua motivação não seja o desejo de ter destaque. Pergunte-se: ‘Será que quero melhorar ou aumentar meu serviço a Jeová porque, no fundo, desejo receber mais reconhecimento ou autoridade, como parece ter sido o caso de Tiago e João quando fizeram seu pedido a Jesus?’

18 Se você perceber certa medida de egoísmo no seu coração, peça que Jeová o ajude a corrigir seu modo de pensar e seus sentimentos; daí esforce-se mais ainda para se concentrar na glória dele, não na sua. (Sal. 86:11) Você pode também se empenhar por alvos que não o coloquem em evidência. Por exemplo, pode cultivar mais plenamente algum aspecto do fruto do espírito que é desafiador para você. Ou caso se prepare muito bem para suas partes nas reuniões, mas tem pouco interesse em participar na limpeza do Salão do Reino, talvez possa estabelecer o alvo de pôr em prática o conselho de Romanos 12:16. — Leia.

19. O que podemos fazer para não ficarmos desanimados com o que vemos no espelho da Palavra de Deus?

19 Quando olhamos com atenção para nós mesmos usando o espelho da Palavra de Deus e vemos falhas, até mesmo traços de egoísmo, talvez fiquemos desanimados. Se algum dia isso acontecer com você, pense no bom exemplo do homem que Tiago citou em sua ilustração. Tiago não mencionou quanto tempo levou para o homem corrigir os problemas que ele notou, nem sequer disse se ele conseguiu eliminar cada mancha. O que Tiago mencionou é que o homem ‘persistiu na lei perfeita’. (Tia. 1:25) O homem se lembrou do que viu no espelho e continuou se esforçando para melhorar. Portanto, mantenha um conceito positivo de si mesmo e um conceito equilibrado de suas imperfeições. (Leia Eclesiastes 7:20.) Continue a olhar de perto para a lei perfeita e se esforce para manter um espírito abnegado. Jeová está disposto a ajudá-lo assim como ajudou muitos outros que, mesmo sendo imperfeitos, têm o favor e as bênçãos de Deus.