Configurações de acessibilidade

Pular para menu principal

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Pular para conteúdo

Busca avançada

Testemunhas de Jeová

DESPERTAI! NOVEMBRO DE 2012

PUBLICADO EM

 O Conceito da Bíblia

Por que evitar a ostentação?

“Usar uma calça jeans de grife ou qualquer outra coisa de marca é suficiente para tirar uma pessoa insegura do tédio da insignificância e levá-la à ilusão de pensar: ‘Agora eu sou importante! Se você não acredita, dê uma olhada na etiqueta da minha roupa!’” — Chaytor D. Mason, psicólogo.

PARA conseguirem a admiração dos outros, alguns ostentam roupas de grife e outros itens chiques. Em certo país asiático, por exemplo, os “novos ricos amam produtos luxuosos — itens importados, como bolsas francesas e carros esportivos italianos. Mas o que eles mais amam é exibir [sua riqueza]”, diz um artigo do jornal The Washington Post.

É claro que não há nada de errado em aproveitar as coisas boas resultantes de seu trabalho. A Bíblia diz: “Que todo homem coma e deveras beba, e veja o que é bom por todo o seu trabalho árduo. É a dádiva de Deus.” (Eclesiastes 3:13) Mas é sábio ostentar, ou exibir, nossos bens? O que a Bíblia diz?

“O rico tem muitos amigos”

Quando alguém rico ou que finge ser rico ostenta seus bens, que tipo de amigos ele talvez atraia? A Bíblia nos dá uma dica neste sábio provérbio sobre a natureza humana: “O pobre é desprezado até pelo seu vizinho, mas o rico tem muitos amigos.” — Provérbios 14:20, Bíblia na Linguagem de Hoje.

Isso dá a entender que os “muitos amigos” do rico na verdade não são amigos da pessoa em si, mas das riquezas dela. A suposta amizade e os falsos elogios deles são motivados por puro interesse. A Bíblia chama esse tipo de conversa de “fingimento para cobiça”, ou ganância. — 1 Tessalonicenses 2:5.

Então, pergunte-se: ‘Que tipo de amigos eu quero? Amigos que me amam pelo que tenho ou pelo que sou?’ A Bíblia mostra que nosso comportamento influencia no tipo de amigos que atraímos.

“A sabedoria está com os modestos”

Outro problema relacionado ao exibicionismo fica evidente no relato bíblico sobre o Rei Ezequias, que viveu na Jerusalém antiga. Certa vez, ele mostrou a pessoas influentes de Babilônia “tudo o que se achava nos seus tesouros”. Obviamente, sua grande riqueza impressionou os visitantes. Mas isso também deve ter estimulado a ganância deles. Depois que eles partiram, Isaías, profeta de Deus, disse corajosamente a Ezequias que um dia todo o seu tesouro ‘seria realmente levado a Babilônia. Não sobraria nada’. E isso aconteceu mesmo! Depois de anos, os babilônios voltaram e levaram todas as riquezas que pertenciam à família de Ezequias. — 2 Reis 20:12-17; 24:12, 13.

Hoje, as pessoas que ostentam sua riqueza também correm o risco de perdê-la — pelo menos parte dela. Um relatório sobre criminalidade e segurança no México diz: “Exibir ostensivamente riquezas atrai ladrões na Cidade do México. Usar joias e relógios caros e mostrar grandes quantidades de dinheiro chamam um tipo indesejável de atenção.” Fica claro que é muito melhor seguir o conselho da Bíblia de  não se orgulhar “das suas riquezas”. (Jeremias 9:23). “A sabedoria está com os modestos”, diz Provérbios 11:2.

Veja o que há de bom nos outros

Em vez de querer chamar atenção para si mesmo, alguém modesto e humilde se agrada das qualidades e pontos positivos dos outros. A Bíblia diz: “Não façam nada por competição e por desejo de receber elogios, mas por humildade, cada um considerando os outros superiores a si mesmo.” (Filipenses 2:3, Pastoral) Gálatas 5:26 acrescenta: “Não fiquemos egotistas, atiçando competição entre uns e outros, invejando-nos uns aos outros.”

Você quer ter amigos que o amam pelo que você tem ou amigos que o amam pelo que você é?

De modo similar, pessoas que têm o conceito de Deus sabem que o altruísmo e o respeito mútuo são a base da verdadeira amizade e que essa amizade não termina quando o dinheiro acaba. Na verdade, ela fica mais forte com o tempo. “O verdadeiro companheiro está amando todo o tempo”, diz Provérbios 17:17. Acima de tudo, a pessoa sábia se esforça para agradar a Deus. Ela sabe que ele não fica impressionado com a aparência externa, mas se concentra na “pessoa secreta do coração” — o que somos por dentro. (1 Pedro 3:4) Por isso, esse tipo de pessoa se esforça bastante para desenvolver qualidades que caracterizam o que a Bíblia chama de “nova personalidade”. (Efésios 4:24) Algumas dessas qualidades são mencionadas em Miqueias 6:8: “O que é que Jeová pede de volta de ti senão que exerças a justiça, e ames a benignidade, e andes modestamente com o teu Deus?”

É verdade que o mundo de hoje não incentiva nem um pouco a modéstia. Mas isso não surpreende quem estuda a Bíblia. Como assim? Ao falar dos “últimos dias”, a Bíblia predisse que os humanos, no geral, seriam “avarentos, . . . vaidosos, . . . e cheios de orgulho”. (2 Timóteo 3:1-5, BLH) Nesse contexto social, pessoas que ostentam seus bens se sentem bem à vontade. Mas Deus nos incentiva a ‘ficar longe dessa gente’, para que não nos tornemos como elas.