Configurações de acessibilidade

Pular para menu principal

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Pular para conteúdo

Busca avançada

Testemunhas de Jeová

Achegue-se a Jeová

 Capítulo 5

Poder Criativo — “Aquele que fez o céu e a terra”

1, 2. De que modo o Sol demonstra o poder criativo de Jeová?

JÁ FICOU alguma vez perto do fogo numa noite fria? Talvez tenha mantido as mãos na distância certa das chamas, para sentir seu calor agradável. Se você momentaneamente chegou perto demais, o calor ficou insuportável. E, caso tenha se afastado demais, o ar gelado da noite o fez sentir frio.

2 Existe um “fogo” que esquenta o nosso corpo durante o dia. Está a uma distância de uns 150 milhões de quilômetros. * Para que sintamos o calor do Sol de uma distância tão grande, que tremenda energia ele precisa ter! Mas a Terra orbita essa assombrosa fornalha termonuclear na distância exata. Perto demais, as águas da Terra evaporariam; longe demais, congelariam. Ambos os extremos eliminariam a vida no nosso planeta. Essencial para a vida na Terra, a luz solar é também limpa e eficiente, além de agradável. — Eclesiastes 11:7.

‘Jeová preparou o luzeiro, sim, o Sol’

3. O Sol confirma que verdade importante?

3 No entanto, a maioria das pessoas encara o Sol como algo corriqueiro, embora dependam dele para viver. Com isso, deixam de aprender uma lição importante. A Bíblia diz a respeito de Jeová: ‘Preparaste o luzeiro, o Sol.’ (Salmo 74:16) Sim, o Sol honra a Jeová, “Aquele que fez o céu e a terra”. (Salmo 19:1; 146:6) Ele é apenas um dos incontáveis corpos celestes que nos conscientizam do tremendo poder criativo de Jeová. Vamos examinar alguns desses e depois voltaremos nossa atenção para a Terra e sua grande variedade de vida.

 “Levantai ao alto os vossos olhos e vede”

4, 5. Qual é a capacidade e o tamanho do Sol, mas como se compara isso com outras estrelas?

4 Como sem dúvida sabe, o Sol é uma estrela. Ele parece ser maior do que as estrelas noturnas, pois está bem mais perto de nós. Qual é a sua capacidade? No núcleo, sua temperatura é de uns 15 milhões de graus Celsius. Se você pudesse apanhar do núcleo do Sol um pedacinho do tamanho de uma cabeça de alfinete e trazê-lo aqui para a Terra, ninguém estaria seguro a menos de 140 quilômetros distante dessa minúscula fonte de calor! A cada segundo, o Sol emite energia equivalente à explosão de muitas centenas de milhões de bombas nucleares.

5 O Sol é tão grande que, dentro dele, caberiam mais de 1 milhão e 300 mil Terras. Mas será que ele é uma estrela excepcionalmente grande? Não, os astrônomos chamam-na  de anã amarela. O apóstolo Paulo escreveu que “estrela difere de estrela em glória”. (1 Coríntios 15:41) Ele nem tinha noção de como essas palavras inspiradas eram verdadeiras. Existe uma estrela tão grande que, se fosse colocada no lugar do Sol, a Terra ficaria dentro dela. Se fosse feita a mesma coisa com outra estrela gigante, essa ocuparia todo o espaço até Saturno — embora esse planeta esteja tão distante da Terra que uma espaçonave, viajando 40 vezes mais rápido do que uma bala de fuzil, levou quatro anos para chegar lá!

6. Como a Bíblia mostra que o número de estrelas é vasto do ponto de vista humano?

6 Ainda mais assombroso do que o tamanho das estrelas é a sua quantidade. De fato, a Bíblia sugere que as estrelas são praticamente inumeráveis, tão difíceis de contar como  a “areia do mar”. (Jeremias 33:22) Isso subentende que há muito mais estrelas do que se pode ver a olho nu. Afinal, se um escritor bíblico, como Jeremias, erguesse os olhos e tentasse contar as estrelas à noite, teria contado apenas umas três mil — o total que se pode detectar a olho nu numa noite estrelada. Isso é comparável ao número de grãos num mero punhado de areia. Na realidade, porém, o número de estrelas é inimaginável, como o de grãos de areia do mar. * Quem seria capaz de contá-lo?

‘Ele chama a todas elas por nome’

7. (a) Mais ou menos quantas estrelas existem na galáxia Via Láctea e, em comparação com o total, será que esse é um número muito grande? (b) Por que é significativo que os astrônomos achem difícil contar as galáxias, e o que isso nos diz a respeito do poder criativo de Jeová?

7 Isaías 40:26 responde: “Levantai ao alto os vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Foi Aquele que faz sair o exército delas até mesmo por número, chamando a todas elas por nome.” O Salmo 147:4 diz: ‘Ele conta o número das estrelas.’ Qual é “o número das estrelas”? Não é uma pergunta fácil de ser respondida. Os astrônomos calculam que há mais de 100 bilhões delas só na nossa galáxia, a Via Láctea. * Mas a nossa galáxia é apenas uma dentre muitas outras, muitas das quais fervilham com mais estrelas ainda. Quantas galáxias existem? Alguns astrônomos estimam em 50 bilhões. Outros calculam que possam existir até 125 bilhões. De modo que o homem não consegue determinar nem mesmo o número de galáxias e muito menos o total exato dos bilhões de estrelas que elas contêm. Mas  Jeová sabe quantas são. Além disso, ele dá um nome a cada estrela!

8. (a) Como se pode ter uma ideia do tamanho da galáxia Via Láctea? (b) Por que meios Jeová controla os movimentos dos corpos celestes?

8 A nossa reverência só pode aumentar quando pensamos no tamanho das galáxias. Calcula-se que a extensão da Via Láctea seja de uns 100 mil anos-luz. Imagine um raio de luz viajando à tremenda velocidade de 300 mil quilômetros por segundo. Esse raio levaria 100 mil anos para cruzar a nossa galáxia! E há galáxias muito maiores do que a nossa. A Bíblia diz que Jeová ‘estende’ esses vastos céus como se fossem um simples tecido. (Salmo 104:2) Ele também controla os movimentos dessas criações. Desde a menor partícula de poeira interestelar até a mais poderosa galáxia, tudo se move segundo leis físicas formuladas e aplicadas por Deus. (Jó 38:31-33) Assim, alguns cientistas comparam os movimentos precisos dos corpos celestes à coreografia de um complexo balé. Pense, então, Naquele que criou essas coisas. Não sente profunda reverência pelo Deus de tamanho poder criativo?

“Quem fez a terra pelo seu poder”

9, 10. De que maneiras é evidente o poder de Jeová no posicionamento do sistema solar, de Júpiter, da Terra e da Lua?

9 O poder criativo de Jeová é evidente em nosso lar, a Terra. Ele a situou com muita precisão dentro do vasto Universo. Alguns cientistas acreditam que muitas galáxias sejam inóspitas para um planeta em que há vida, como o nosso. A maior parte da Via Láctea evidentemente não foi projetada para sustentar vida. O centro galáctico está coalhado de estrelas. A radiação é alta e quase colisões entre estrelas são comuns. Nas extremidades da galáxia não existem muitos dos elementos essenciais à vida. O nosso sistema solar se localiza no ponto ideal, entre esses extremos.

 10 A Terra se beneficia de um remoto, porém gigante, protetor — o planeta Júpiter. Mais de mil vezes maior do que a Terra, Júpiter exerce uma tremenda influência gravitacional. O resultado? Ele absorve ou desvia objetos que cruzam o espaço. Os cientistas calculam que, se não fosse Júpiter, a chuva de projéteis maciços que atingem a Terra seria 10 mil vezes maior do que é no presente. Mais perto, a Terra é abençoada com um satélite incomum — a Lua. Mais do que um ornamento e fonte de “luz noturna”, a Lua mantém a Terra numa inclinação constante e firme. Essa inclinação produz aqui estações previsíveis e estáveis — outro fator importante que favorece a vida.

11. Como a atmosfera da Terra foi projetada para servir de escudo protetor?

11 O poder criativo de Jeová é evidente em todas as facetas do projeto da Terra. Veja a atmosfera, que serve como um grande escudo. O Sol emite tanto raios benéficos como mortíferos. Ao atingirem a parte superior da atmosfera, os raios letais transformam o oxigênio comum em ozônio. A resultante camada de ozônio, por sua vez, absorve a maioria desses raios. Assim, nosso planeta tem seu próprio “guarda-chuva” protetor.

12. Como o ciclo de água atmosférico ilustra o poder criativo de Jeová?

12 Esse é apenas um dos aspectos da atmosfera, uma complexa mistura de gases, ideal para sustentar a vida das criaturas na superfície da Terra ou perto dela. Outra maravilha da atmosfera é o ciclo da água. Todo ano, o sol faz mais de 400 mil quilômetros cúbicos de água evaporar dos oceanos e mares da Terra. Essas águas formam nuvens, que os ventos atmosféricos espalham por toda a parte. Depois, filtradas e purificadas, elas caem como chuva, neve ou gelo, reabastecendo os suprimentos de água. É exatamente como diz Eclesiastes 1:7: “Todas as torrentes hibernais correm para o mar,  contudo, o próprio mar não está cheio. Ao lugar de onde correm as torrentes hibernais, para lá elas voltam a fim de sair correndo.” Somente Jeová poderia ter acionado tal ciclo.

13. Que evidências do poder do Criador vemos na vegetação e no solo da Terra?

13 Onde existe vida, há evidência do poder do Criador. Desde as majestosas sequoias-sempre-verdes (mais altas do que um prédio de 30 andares) até as plantas microscópicas que pululam nos oceanos e suprem grande parte do oxigênio que respiramos, o poder criativo de Jeová é evidente. O próprio solo fervilha de coisas vivas — minhocas, fungos e micróbios, todos interagindo de maneiras complexas que ajudam no crescimento das plantas. Apropriadamente, a Bíblia fala do solo como tendo “poder”. — Gênesis 4:12.

14. Que poder latente existe até mesmo no minúsculo átomo?

14 Sem dúvida, é Jeová “Quem fez a terra pelo seu poder”. (Jeremias 10:12) O poder de Deus é evidente até mesmo nas menores criações. Por exemplo, um milhão de átomos colocados lado a lado não atingiriam a espessura de um fio de cabelo humano. E, mesmo se um átomo fosse aumentado até a altura de um prédio de 14 andares, seu núcleo seria do tamanho de um mero grão de sal no sétimo andar. No entanto, esse infinitésimo núcleo é a fonte da espantosa energia liberada numa explosão nuclear!

“Toda coisa que respira”

15. Ao referir-se a vários animais selvagens, que lição Jeová ensinou a Jó?

15 Outra prova vívida do poder criativo de Jeová é a abundância de vida animal na Terra. Entre as muitas coisas que louvam a Jeová, alistadas no Salmo 148, o versículo 10 inclui “feras e todos os animais domésticos”. Para mostrar por que o homem deve ter reverência pelo Criador, Jeová falou certa vez a Jó a respeito de animais como o leão, a zebra,  o touro selvagem, o beemote (ou hipopótamo) e o leviatã (pelo visto, o crocodilo). Qual era o ponto em questão? Se o homem se admira dessas criaturas fortes, temíveis e indomáveis, como deveria se sentir com relação ao Criador delas? — Jó, capítulos 38-41.

16. O que o impressiona a respeito de algumas aves criadas por Jeová?

16 O Salmo 148:10 menciona também “aves aladas”. Pense na enorme variedade! Jeová falou a Jó da avestruz, que “ri do cavalo e do seu cavaleiro”. (Jó 39:13, 18) De fato, essa ave de 2,5 metros de altura talvez não saiba voar, mas pode correr a 65 quilômetros por hora, com passadas de até uns 4 metros! (Jó 39:13, 18) O albatroz, por sua vez, é um planador nato que passa a maior parte da vida no ar, sobre os oceanos. Essa ave tem uns 3 metros de envergadura e pode planar por horas a fio sem bater as asas. Em contraste, o beija-flor-abelha, de apenas uns 5 centímetros de comprimento, é a menor ave do mundo. Ele pode bater as asas 80 vezes por segundo! Beija-flores, reluzentes como pequeninas gemas aladas, podem pairar no ar como helicópteros e até voar de marcha a ré.

17. Qual é o tamanho da baleia-azul? A que conclusão natural devemos chegar ao meditar nos animais que Jeová criou?

17 O Salmo 148:7 diz que até mesmo os “monstros marinhos” louvam a Jeová. Considere o que em geral é considerado o maior animal que já viveu neste planeta, a baleia-azul. Esse “monstro” marinho pode chegar a mais de 30 metros de comprimento. Pode igualar-se ao peso de uma manada de 30 elefantes adultos. Só a sua língua tem o peso de um elefante. O coração é do tamanho de um carro popular. Esse enorme órgão bate apenas 9 vezes por minuto — em contraste com o coração do beija-flor, que pode bater umas 1.200 vezes por minuto. Pelo menos um dos vasos sanguíneos da baleia-azul é tão grande que uma criança poderia se arrastar por dentro dele. Com certeza, nosso coração nos  induz a repetir a exortação final do livro dos Salmos: “Toda coisa que respira — louve ela a Jah.” — Salmo 150:6.

Aprendamos do poder criativo de Jeová

18, 19. Até que ponto chega a diversidade das coisas vivas feitas por Jeová na Terra, e o que a criação nos ensina a respeito de Sua soberania?

18 O que nos ensina o uso do poder criativo de Jeová? A diversidade da criação nos assombra. Certo salmista exclamou: “Quantos são os teus trabalhos, ó Jeová! . . . A terra está cheia das tuas produções.” (Salmo 104:24) É verdade! Os biólogos já identificaram bem mais de um milhão de espécies de coisas vivas na Terra; mas as opiniões variam quanto a se o total é de 10 milhões, 30 milhões, ou mais. Um artista humano pode achar que às vezes esgota a sua criatividade. Em contraste, a criatividade de Jeová — seu poder de inventar e criar coisas diversificadas — é obviamente inesgotável.

19 O uso que Jeová faz de seu poder criativo nos ensina algo a respeito de Sua soberania. A própria palavra “Criador” distingue Jeová de qualquer outra coisa no Universo, onde tudo o que existe é “criação”. Até mesmo o Filho unigênito de Jeová, que serviu como “mestre de obras” durante a  criação, jamais é chamado de Criador, ou de Cocriador, na Bíblia. (Provérbios 8:30; Mateus 19:4) Em vez disso, ele é “o primogênito de toda a criação”. (Colossenses 1:15) A posição de Jeová como Criador dá a ele o direito inerente de exercer exclusivo poder soberano sobre todo o Universo. — Romanos 1:20; Revelação (Apocalipse) 4:11.

20. Em que sentido Jeová repousou depois de terminar sua criação terrestre?

20 Será que Jeová parou de usar seu poder criativo? Bem, a Bíblia diz que Jeová “passou a repousar no sétimo dia de toda a sua obra que fizera” nos anteriores seis dias criativos. (Gênesis 2:2) O apóstolo Paulo indicou que a duração desse sétimo “dia” é de milhares de anos, pois ainda estava em curso nos seus dias. (Hebreus 4:3-6) Mas será que “repousar” significa que Jeová parou totalmente de trabalhar? Não, Jeová nunca para de trabalhar. (Salmo 92:4; João 5:17) Portanto, seu repouso deve simplesmente significar que ele encerrou suas obras criativas materiais com relação à Terra. As obras para cumprir os seus propósitos, porém, têm continuado sem interrupção. Essas obras incluem a inspiração das Escrituras Sagradas e até mesmo “uma nova criação”, assunto que será abordado no Capítulo 19. — 2 Coríntios 5:17.

21. Como o poder criativo de Jeová afetará os humanos fiéis por toda a eternidade?

21 Quando o dia de repouso de Jeová chegar ao fim, ele poderá classificar de “muito bom” tudo o que fez com relação à Terra, assim como fez no fim de cada um dos seis dias criativos. (Gênesis 1:31) Como ele vai decidir usar o seu ilimitado poder criativo depois disso, resta ver. Seja como for, podemos ter certeza de que o uso do poder criativo de Deus continuará a nos fascinar. Por toda a eternidade, aprenderemos mais coisas a respeito de Jeová por meio de suas criações. (Eclesiastes 3:11) Quanto mais aprendermos sobre ele, mais profunda será a nossa reverência — e mais nos achegaremos ao nosso Grandioso Criador.

^ parágrafo 2 Para ter uma ideia da enormidade desse número, imagine: cobrir essa distância de carro — a 160 quilômetros por hora, 24 horas por dia — levaria mais de cem anos!

^ parágrafo 6 Alguns acham que os antigos, nos tempos bíblicos, devem ter usado algum tipo de telescópio primitivo. Senão, ponderam, como as pessoas daquele tempo poderiam saber que o número de estrelas é tão vasto e incontável do ponto de vista humano? Essa especulação infundada não leva em conta Jeová, o Autor da Bíblia. — 2 Timóteo 3:16.

^ parágrafo 7 Sabe quanto tempo você levaria apenas para contar 100 bilhões de estrelas? Se pudesse contar uma por segundo — 24 horas por dia —, levaria 3.171 anos!